33.2 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 16, 2021

‘Efeito Mateus’

Por dois anos consecutivos a renda per capita do brasileiro caiu fortemente e soma 10%. A queda dos salários só foi menor do que na Ucrânia – país que está em guerra e a Rússia que sofre os efeitos da queda expressiva das cotações internacionais do petróleo, afirma o economista Ranulfo Vidigal Ribeiro. “A equipe econômica comandada por banqueiros planeja praticar em 2017 uma taxa de juros real de 7% ao ano – isso representa dizer que o ‘poupador’ pode dobrar seu patrimônio, sem trabalhar, em apenas dez anos. Um verdadeiro absurdo”, critica Ranulfo, que integra o Conselho Editorial do MONITOR MERCANTIL. Para comparar, se a taxa de juros real fosse de satisfatório 4%, o capital dobraria em 21 anos.

O baixo crescimento reforça a desigualdade ao intensificar a disputa pelos recursos – o chamado conflito distributivo – tornando mais custosas aos ricos as concessões aos pobres e fazendo com que os primeiros insistam mais do que nunca na estrita observância do ‘Efeito Mateus’ que rege os mercados livres: ‘Ao que tem muito, mais lhe será dado, e ele terá em abundância; mas ao que não tem, até mesmo o pouco que lhe resta lhe será tirado’”, ironiza o economista.

Bola fora

Os milionários chineses mergulharam no futebol ao longo dos últimos anos – com investimentos não apenas no país, mas também nos clubes europeus, incentivados pelo presidente Xi Jinping, deverão começar a se arrepender a partir deste ano, avalia o conselheiro sênior da McKinsey em Xangai, Gordon Orr.

Isso porque não apenas “é alta a probabilidade de que as equipes que esses milionários adquiriram não deslanchem – perdendo, portanto, acesso ao topo da divisão de receita dos direitos de TV – como os torcedores tendem a culpar os novos donos de seus clubes pela campanha ruim, demonstrando sua irritação em jogos e nas redes sociais.”

Para se ter uma ideia, o empresário Chen Yansheng colocou, ao longo de um ano, 150 milhões de euros no Espanyol, time do qual adquiriu 55% em novembro de 2015. Mas esse cenário deve mudar neste ano. “Alguns empresários vão perceber que, embora possuir uma equipe traga manchetes e prestígio de início, esse pode ser um investimento muito volátil e arriscado – provocando uma queda rápida nos preços das fatias adquiridas dos clubes”, prevê Orr.

Uma possibilidade é que os chineses partam para outros negócios ligados ao esporte, como agenciamento de jogadores e o setor de apostas.

Boi no samba

A Associação Brasileira dos Criadores de Girolando declarou seu apoio à proposta de uma reação coletiva das entidades e empresas do setor agropecuário “contra as inverdades que serão apresentadas pela escola de samba Imperatriz Leopoldinense no desfile de Carnaval do Rio de Janeiro”. “É inadmissível que um evento dessa envergadura apresente ao mundo apenas uma imagem distorcida e inverídica do setor, contribuindo para a perpetuação na sociedade do velho preconceito contra o homem do campo”, lamenta a entidade.

A escola de samba carioca homenageia o Xingu indígena. Em um dos trechos, o samba-enredo fala que “o belo monstro rouba as terras dos seus filhos, devora as matas e seca os rios, tanta riqueza que a cobiça destruiu”. Uma visão estereotipada do índio, bastante comum, mas não deixa de ser pertinente a crítica ao latifúndio de monocultura exportadora. O agronegócio, aliás, foi, no ano passado, tema da Unidos da Tijuca.

O produtor brasileiro vem adotando ao longo dos anos diversas tecnologias para garantir a produção sustentável de alimentos, sendo o único país no mundo com quase 62% de vegetação nativa intacta. Ao contrário do que defende o inverídico samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense, o Brasil é uma das nações com maior extensão de área destinada à comunidade indígena. Segundo a Funai, 584 terras indígenas ocupam aproximadamente 14% do território nacional, sendo uma extensão muito superior à destinada ao cultivo de grãos no Brasil”, enumera Luiz Carlos Rodrigues, presidente da Associação.

Oops

Esta coluna publicou, na nota “Sem demanda”, que o Banco de Tokyo-Mitsubishi UFJ faz parte do grupo da montadora de mesmo nome. Na verdade, a instituição financeira e o conglomerado industrial se separaram há décadas. O Mitsubishi UFJ Financial Group é o terceiro maior grupo financeiro do mundo, com US$ 2,9 trilhões em ativos. O Banco de Tokyo-Mitsubishi está no Brasil há quase 100 anos.

Rápidas

A crise comandada por Luiz Fernando Pezão impediu o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro de realizar o Projeto Botinho, que há 53 anos oferece lições de cidadania e cuidados no mar a crianças e adolescentes. Mas, ironicamente na Ilha do Governador, o Instituto Masan se uniu ao 19º Batalhão dos bombeiros para realizar o projeto entre 14 e 28 de janeiro *** Fiamma Zarife (@fzarife) é a nova diretora-geral do Twitter Brasil, no lugar de Guilherme Ribenboim (@guilhermerib), que permanece como vice-presidente para a América Latina e irá liderar globalmente a área de desenvolvimento de soluções para clientes.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Varejo sente redução no auxílio e alta da inflação

Comércio ficou estável em novembro e quebrou sequência de recuperação.

Senado quer que Pazuello se explique

Pedido de convocação para cobrar ação do Ministério da Saúde no Amazonas.

Lenta recuperação na produção industrial dos EUA

Setor ainda está 3,6% abaixo do nível anterior à pandemia.

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.