Efeito torre

Os atentados de 11 de setembro continuam fazendo estragos nos Estados Unidos. Depois de ocupar até 2000, o segundo lugar no mercado de turismo internacional, os EUA perderam esta posição, ano passado, para a Espanha.  A França, com 11,1% do movimento mundial, manteve a liderança do ranking. A Espanha recebeu 7,2% dos turistas, os EUA, 6,5% e a Itália, com 5,.7%, ficou em quarto lugar do mercado. Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT) até agosto o movimento do turismo mundial crescera 8%, mas depois dos atentados, fechou em queda de 11%.

Mudança de ares
Os números da OMT indicam ainda que os atentados nos EUA podem estar provocando uma redistribuição no mercado de turismo – segundo maior negócio do mundo, atrás apenas da indústria armamentista. A queda registrada na Europa (0,7%) foi bem inferior à média internacional em 2001. Na Espanha, o movimento recuou apenas 0,3%, enquanto na França,  cresceu 1,3% em relação ao ano anterior.

Perdas
O blecaute de 21 de janeiro levou mais de 20 mil consumidores a entrar com pedidos de indenização por danos em aparelhos eletro-eletrônicos, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Cerca de 8 mil pedidos já foram deferidos, dos quais apenas 3 mil foram ressarcidos. Os 5 mil restantes ainda terão seus aparelhos reparados pelas empresas. As distribuidoras também informaram que indeferiram, até o momento, 2,3 mil pedidos de ressarcimento. Outras 10 mil solicitações ainda estão examinadas. Os consumidores podem encaminhar os pedidos de ressarcimento até o dia 22 deste mês, 90 dias desde a data de ocorrência do apagão que atingiu as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste.

Produtividade
Esquecido pelo governo, que só se mostra atento na hora de beneficiar as distribuidoras de energia elétrica privatizadas, o cronograma de revisões tarifárias será publicado pela Aneel este mês. A revisão está prevista nos contratos de concessão e ocorre a cada três, quatro ou cinco anos. O objetivo é repassar aos consumidores os gigantescos ganhos de produtividade obtidos pelas concessionárias, que demitiram funcionários e reduziram os serviços oferecidos aos clientes.
A revisão começará em abril; em julho será feita a revisão da Eletropaulo (SP); em agosto da Elektro (SP); em outubro da Elektro e da Piratininga (ambas de SP); em novembro da Light (RJ) e em dezembro da Cerj (RJ). Essas empresas representam aproximadamente 66% do mercado do distribuição.
A revisão se destina à manutenção do equilíbrio econômico-financeiro das empresas. Conhecendo o atual governo, esta coluna assume papel de oráculo e avisa que vêm novos aumentos de tarifa por aí.

Tráfico
É comum quando um novo governante assume passar o primeiro ano de mandato culpando o antecessor por qualquer problema que acontece. Se contar com uma máquina de divulgação azeitada, consegue estender este prazo até o final do segundo ano de administração. Pois o governo Garotinho, do Rio, inovou. Tenta imputar ao sucessor – Benedita da Silva, vice-governadora, assume com a saída de Garotinho amanhã, para disputar a Presidência da República – a responsabilidade pela guerra do tráfico que aterrorizou a Tijuca, bairro de classe média tradicional.
O fracasso em conter a escalada da violência é a principal pedra no sapato de Garotinho.

Reciclagem
As empresas de construção civil poderão ter que implantar serviço de coleta seletiva e de reciclagem do lixo gerado pelas obras nos centros urbanos. A medida foi aprovada ontem pela Câmara de Controle Ambiental do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O resíduo das construções pode ser utilizado como matéria-prima em diversas áreas, como na fabricação de blocos de tijolos, placas pré-moldadas e em capa de asfalto. A resolução será submetida ao plenário do Conama no próximo mês. De acordo com o conselho, a colocação dos resíduos em locais inadequados contribui para degradação da qualidade ambiental, principalmente considerando que o setor é responsável por grande percentual dos resíduos sólidos gerados nos centros urbanos.

Artigo anteriorPropina
Próximo artigoOrelhão oficial
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.

Exterior abre em alta e futuros no Brasil operam com cautela

China atinge crescimento de 18,3%; na Europa, Índice de Preços ao Consumidor amplo de março teve avanço de 1,3% ao ano.

Economia da China expande 18,3% no trimestre

A economia da China cresceu anualmente 18,3% no primeiro trimestre de 2021, à medida que as fortes demandas doméstica e externa impulsionaram a recuperação...