Eleições de 2016 e além

O noticiário óbvio disparado pelos grandes meios de comunicação sobre a derrota do PT mal consegue arranhar o significado e os desdobramentos da eleição deste domingo. “Só tem algo mais chato do que uma derrota: os epitáfios escritos pelos inimigos, adversários e falsos amigos”, lembra Valter Pomar, militante da ala petista mais à esquerda. A insistência conservadora é tamanha que faz pensar se o esfarelamento do PT foi o esperado, após um ano e meio de desastroso segundo Governo Dilma, dois anos de Lava Jato e a prisão de dois dos mais importantes ex-ministros do partido às vésperas da eleição. O partido, contrariando as pesquisas, chegou ao segundo turno em Recife e por pouco Haddad não obteve o mesmo feito em São Paulo. Na capital paulista, há também a expressiva votação de Eduardo Suplicy e a conquista de dez cadeiras na Câmara. Quantos partidos sobreviveriam a tamanha devassa? Espera-se um recrudescimento da caça à jararaca.

Significativo no xadrez de 2018 foi a vitória de Geraldo Alckmin com seu preferido no primeiro turno, o que aumenta a tensão interna no PSDB. Aécio já falava, nesta segunda, em prévias no partido; FHC deve ter visto mais distante seu sonho de voltar à Presidência ano que vem, por via indireta; e Serra começa a pensar se vale a pena o desgaste de ficar no combalido Governo Temer. O PMDB, por sua vez, pergunta-se o que sobrará para ele daqui a dois anos. Se a Velhinha de Taubaté já perdeu as esperanças de uma retomada a partir de 2018, restará a conta da eliminação de direitos da população. O candidato do PSDB – qualquer que seja – ficaria tentado a abandonar Temer e parceiros, escolhendo outro partido para ocupar a vice na chapa.

Além de tudo isso, há o recado claro das urnas – até Temer ouviu, apesar da tentativa de incluir-se fora dele: desde 2013 a população pede mudanças; o fim do mais do mesmo; na linguagem das elites, não dá para manter o business as usual. Votos brancos, nulos e abstenções superaram os primeiros colocados em nove capitais, Rio e São Paulo inclusive. Um movimento que consiga abraçar esta mistura de indignação com indiferença, como fez o Podemos na Espanha, pode implicar mudanças significativas no quadro político tradicional. Com mais dois anos de crise, PT, PMDB, PSDB e demais podem ser varridos de forma igualitária.

Toque de Midas; só que não

Nas duas principais capitais do país, Rio e São Paulo, a associação com o presidente Michel Temer e suas políticas de destruir direitos da população enterraram as candidaturas do PMDB. Em São Paulo, Marta Suplicy admitiu o problema uma semana antes da eleição, quando sua candidatura começou a mostrar nas pesquisas o que ela já sentia nas urnas.

No Rio, a associação com Temer não foi o único motivo de o candidato de Eduardo Paes não ter conseguido nem ao menos chegar ao segundo turno; a falência do governo do estado, dos também peemedebistas Sergio Cabral e Pezão, teve influência. Há também a questão pessoal de Pedro Paulo, que não conseguiu se livrar da fama de agressor de mulheres, por mais que exibisse sentenças dos tribunais, que o inocentariam. Mas somente o desgaste da proximidade com Temer explica o insucesso de Paes, após a realização exitosa dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos e do final das obras na cidade que tanto transtornos trouxeram aos cariocas.

Temer conseguiu afundar a candidatura à reeleição do prefeito de sua cidade natal, Tietê (SP). Manoel David (PSD) passou os quatro anos do mandato exaltando a proximidade com o então vice-presidente e atual presidente da República. Até monumento, com versos de Temer, David inaugurou em praça central. Acabou batido pelo candidato do PSDB.

Renovação

O Shopping Jardim Guadalupe (RJ) anunciou um investimento de mais de R$ 1 milhão em um pacote de ações que incluem a revitalização do Pátio Guadalupe, além de promoções e eventos gratuitos em parceria com marcas como Warner, Nick Jr e Playmobil. As ações serão implementadas até o final de 2016 e têm como objetivo criar um espaço mais moderno e confortável para o público de 1,2 milhão de moradores das imediações.

Rápidas

A Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ e o Portal Consultoria em Turismo realizam oficina gratuita sobre Marketing Turístico, nesta quarta, das 14h30 às 19 horas, no Hotel Copacabana Praia (Rua Francisco Otaviano, 30). Com o apoio da Sergio Castro Imóveis, Fundação Cesgranrio e Preservale, os professores Bayard Boiteux e Ediana Avellar vão falar sobre fundamentos do marketing, instrumentos de divulgação, formas de promoção e marketing na sociedade 3.0. As inscrições, gratuitas, só até esta terça, pelo e-mail [email protected] *** O “Bigadeiro Rosa”, lançado pelo Lecadô no ano passado para apoiar o movimento de conscientização para o câncer de mama mundialmente conhecido como Outubro Rosa, está de volta. Parte da renda arrecadada com a venda será destinada a ações do INCAvoluntário.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

É urgente a revogação da PPI

Federação do Fisco taxa PEC de Bolsonaro de eleitoreira.

Olavo de Carvalho, quem diria, já escreveu no MM

Críticas à ‘Nova Ordem Mundial’, ‘Globo’, ‘Time’ e Garotinho.

Commodities voltam a subir e ameaçam inflação

Brasil dependerá, mais que nunca, do comportamento do real frente ao dólar.

Últimas Notícias

Taxa de juros dos EUA se mantém, mas deve subir em março

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed), Banco Central dos EUA, anunciou nesta quarta-feira, manter a...

Cargas tributárias foram aliviadas em 2021 na China

A China cortou cerca de 1,1 trilhão de iuanes (US$ 173,9 bilhões) em impostos e taxas em 2021, em meio aos esforços do país...

Receita de máquinas e equipamentos aumentou 21,6% em 2021

A receita líquida do setor de indústria de máquinas e equipamentos no país aumentou 21,6% em 2021, na comparação com o ano anterior, revela...

Petrobras faz inspeções remotas e intervenções preventivas

Com destino ainda incerto considerando a ótica do governo atual que em diversas vezes cogitou publicamente em colocar a estatal na lista da privatização,...

Vistoria remota reduz custos e protege as pessoas

Em tempos de pandemia, a Delphos disponibiliza uma ferramenta que atende à necessidade de proteção da vida das pessoas, sejam os profissionais que fazem...