Eles não são bolivarianos

As caravanas com milhares de migrantes da Guatemala, Honduras e El Salvador com destino aos Estados Unidos são um drama exibindo a...

As caravanas com milhares de migrantes da Guatemala, Honduras e El Salvador com destino aos Estados Unidos são um drama exibindo a catástrofe social e econômica na América Central. O movimento não tem levantado na comunidade internacional o apoio e o debate necessários diante de uma situação tão grave. Fala-se em 7 mil pessoas, mas há jornais que calculam o dobro disto.

Nos EUA, o assunto caiu no noticiário eleitoral. A resposta de Trump é mandar soldados e cortar ajuda aos países envolvidos (que, explorados pelos norte-americanos, enviaram no sentido contrário valores muito maiores). A ONU dá respostas tímidas, e a OEA parece interessada apenas na Venezuela.

Este é um dos motivos de os migrantes ficarem à margem da mídia (outro, a própria invisibilidade social): eles são originários de países cujos governos são fiéis aos princípios de Washington. Não vêm de Cuba ou Nicarágua. Guatemala, Honduras e El Salvador, como o Haiti, são nações pobres, sistematicamente exploradas, mas nunca são apresentadas como prova do “fracasso do capitalismo”.

Os EUA recebem de braços abertos os imigrantes com dólares para comprar o green card, dinheiro enviado dos mesmos países que condenam suas populações a pobreza e violência. Para os que não têm como pagar, sempre haverá os marines.

JC Cardoso, de Beijing

Ausente

Cerimônia de encerramento de todo o programa de intercâmbio entre a imprensa latina e a chinesa. Adivinha qual embaixada não mandou representante? Nem mesmo um aspone?

 

Iniciativa

Homem não chama mulher para beber (bebida alcoólica) nem para dançar na China. A menos, é claro, que sejam namorados, marido e mulher, ou haja segundas intenções. Em caso de convite sem qualquer conotação afetivo-sexual, homem só convida para comer. Já elas podem tudo.

 

Mais utopia

No grupo da Ásia, há um jornalista do Nepal. Conversamos sobre Himalaia. A maior parte fica do lado chinês (Tibete), mas o acesso é muito mais difícil. Por isso, seu país acaba sendo rota turística. Ele mesmo já havia subido até a segunda base.

Foi quando me lembrei (de novo) da história de Horizonte Perdido. Comentei sobre o livro que virou filme e falei que a cidade da trama se chamava Xangri-lá. “Sim, quer dizer utopia em tibetano. Todo mundo pergunta isso. Mas não existe na vida real, só na ficção. Xangri-lá não é uma cidade, é um estado de espírito. Está em cada um de nós.”

 

Rápidas

Um lote de café do tipo Cereja Descascada, da Fazenda Santa Alina, em São Sebastião da Grama, conquistou a maior pontuação (9,01) no 17º Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo *** Para celebrar os cem anos do livro Urupês, de Monteiro Lobato, a Editora Unesp e a Universidade do Livro realizam encontro com especialistas, nestas segunda e terça-feira. Inscrições: http://editoraunesp.com.br/unil/cem-anos-de-urupes-05112018?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=Infomativo+130 *** Na segunda-feira, o Center Shopping Rio realizará campanha de doação de sangue em parceria com o Hemorio, das 10h às 15h *** Nesta sexta, às 17h, o Center Shopping Rio apresenta a contação de história Jasmin e Alladin *** No domingo, às 16h, a peça Chapeuzinho Vermelho será encenada no Shopping Jardim Guadalupe *** Nestas segunda e terça, a Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM) realiza, no campus Higienópolis, o II Fórum de Liberdade Econômica. Inscrições: www.mackenzie.br/liberdade-economica/ *** Na próxima terça-feira, André Salles, especialista em investimentos da Driftwood, dará palestra sobre opções de aplicações para obtenção do Green Card e outros tipos de vistos para residência permanente e temporária nos EUA. O evento, gratuito, será realizado no JW Marriott (Av. Atlântica, 2600 – Copacabana) *** A FMP/Fase, de Petrópolis, está fechando parceria para intercâmbio com a Universidade Nacional de Quilmes, da Argentina *** Os mais de 102 mil advogados do Rio de Janeiro vão às urnas no próximo dia 21 para escolher o novo presidente e a diretoria da OAB/RJ para o triênio 2019–2021. Concorrem seis chapas *** A chapa OAB Forte e Unida, da advogada Ana Tereza Basilio, realiza o evento Mulheres com Bandeira, nesta segunda, às 17h, na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

No privatizado Texas, falta luz no inverno e no verão

Apagões servem de alerta para quem insistem em privatizar a Eletrobras.

A rota do ‘Titanic’: ameaça de apagão não é de agora

‘Por incrível que pareça, no Brasil, térmicas caras esvaziam reservatórios!’

TCU confirma que União paga R$ 3,8 bi de juros e amortização por dia

Mais de ¼ dos títulos da dívida pública vencem em 12 meses.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Objetos do Coração ajuda o Pró Criança Cardíaca

E-commerce que vende objetos para casa e decoração exclusivamente em formato ou com estampa de coração vai doar 10% da venda de produtos selecionados...

Empresa Fácil oferece estudo de viabilidade a novos empreendedores  

Sistema permite a emissão do Alvará Provisório em 24h.

Fatores comportamentais podem influenciar nos acidentes de trabalho

Psicóloga e uma assistente social e também técnica de segurança do trabalho criaram o jogo Conversa Segura.

Reclamações sobre serviços de telecom caem 28,4% em maio

O número de reclamações de usuários dos serviços de telecomunicações caiu 28,4% em maio de 2021 na comparação com maio do ano passado, segundo...

EMS explica faturamento com o ‘kit Covid’

farmacêutica brasileira EMS informou à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que faturou R$ 142 milhões com medicamentos do kit Covid-19 em 2020,...