Em casa

O vazamento na plataforma Deepwater Horizon, da BP, no golfo do México, revelou um ensurdecedor silêncio das grandes ONGs ambientalistas (em contraste com as ruidosas manifestações do Greenpeace contra a Petrobras por vazamentos muitíssimo menores, como o ocorrido na refinaria Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, em 2000, lembra o boletim Resenha Estratégica).
Uma reportagem do Washington Post de 24 de maio demonstrou que as maiores ONGs dos EUA – The Nature Conservancy, Conservation International, Environmental Defense Fund, Sierra Club e National Audubon Society – foram agraciadas nos últimos anos com doações da BP na casa das dezenas de milhões de dólares. Em alguns casos, como os da Nature Conservancy e da Conservation International, executivos da petrolífera integraram ou integram as diretorias das ONGs.

Crise social
Oito por cento dos trabalhadores europeus não têm um salário adequado para assegurar uma vida digna a si mesmo e a suas famílias, enquanto aumenta também a pobreza relativa no continente: “Há cinco anos, 20% dos cidadãos mais ricos tinham uma renda cinco vezes superior aos restantes 80% da população, e a desigualdade entre os países não deixa de aumentar,” afirmou a subsecretária do Conselho Pontifício Justiça e Paz, Flaminia Giovanelli. Segundo ela, 85 milhões de pessoas na União Europeia – 17% da população – vivem abaixo da linha da pobreza, no contexto de uma crise econômica “que está se revelando como uma crise estrutural, de valores, de confiança”.
Revela o boletim eletrônico Resenha Estratégica que as desigualdades sociais, que estão crescendo de forma alarmante na Europa, junto com o desemprego e outros problemas, preocupam a cúpula católica. Os crescentes problemas sociais foram debatidos pela Santa Sé durante a reunião anual dos líderes religiosos com as instituições da União Européia (UE), realizada em Bruxelas, em 19 de julho.

Paris é uma festa
Um governador brasileiro só espera terminar a eleição para ir curtir seu novo imóvel em Paris, um superluxuoso apartamento. Pela declaração de renda, o político não teria condição nem de sonhar com tal estripulia.

Escorpião
Mesmo após quase oito anos de boas relações com o andar de cima, o Governo Lula enfrenta a oposição – mais ou menos velada – de todos os “jornalões” do Sul e do Sudeste.

De bolha em bolha
Grande parte do crescimento norte-americano desde 2001 foi financiada pelo mercado de títulos hipotecários. Sem esse recurso para financiar o consumo, de acordo com o economista John Mauldin, a economia mal teria crescido 1% ao ano durante o governo de George W. Bush. Entre o início de 2000 e a metade de 2006, o preço da casa média do norte-americano mais que dobrou. Não custa lembrar que os EUA de Bush Jr. vinham da explosão de outra bolha, a das empresas pontocom.

Bonzinho
A declaração do responsável pelos pagamentos do Programa de Alívio para Ativos Problemáticos do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos (Tarp), Kenneth Feinberg, de que não buscaria a restituição do US$ 1,6 bilhão que 17 grandes instituições financeiras norte-americanas fizeram em salários e bônus para altos executivos entre o fim de 2008 e o começo de 2009, no auge da crise financeira, revela que não é só no Brasil que as agências fiscalizadoras são, digamos, condescendentes com as empresas que estão sob seu controle. Feinberg alegou que, apesar da “falta de motivo razoável” para os pagamentos, não vai buscar uma restituição porque isso seria injusto com as empresas e poderia levar a ações judiciais privadas e a mais investigações do Congresso.

Bonzinhos
A relação de benesses que prefeitos concedem a empresas de ônibus em anos eleitorais – mesmo que não seja eleição para prefeitura – é inversamente proporcional à qualidade dos serviços prestados – à população, é bom frisar – por estas concessionárias. Aliás, com a expansão das concessões públicas, as benesses também crescem por outros segmentos.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolha
Próximo artigoCabeça chinesa

Artigos Relacionados

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Terceira via tira a máscara

Diferença para atual governo está nos métodos, não nos fins.

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Últimas Notícias

Vale cancela ações em tesouraria sem reduzir o valor do capital social

O Conselho de Administração da mineradora Vale aprovou o cancelamento de 152.016.372 ações ordinárias de emissão da companhia adquiridas em programas de recompra anteriores...

Eve: Aeronaves elétricas de emissão zero de carbono

A Eve Urban Air Mobility, da Embraer, e a francesa Helipass, plataforma de reserva de voo em helicópteros para turismo e mobilidade aérea, anunciaram...

Petrobras terá arquivos nas nuvens

A Petrobras inaugurou, na última sexta-feira (17), o Centro de Competência em Computação em Nuvem (CCC), que vai direcionar e acelerar a estratégia de...

Evergrande: Crise pode afetar exportação de minério de ferro

A segunda-feira foi bastante movimentada com a notícia vinda da China que a Evergrande Real Estate, gigante do setor de incorporação imobiliária no país...

Brics: Título para ter receita e financiar projetos de infraestrutura

Brics: Título para ter receita e financiar projetos de infraestrutura O Novo Banco de Desenvolvimento do Brics (NDB, em inglês) emitiu um título denominado em...