Em uma década, pagamentos serão realizados por biometria

Identidades digitais poderão ajudar na prevenção a fraudes nas transações de consumidores.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Um novo estudo global e brasileiro realizado pela Economist Intelligence Unit para a TransUnion (Nyse: TRU) concluiu que a biometria será o método dominante de autenticação de pagamento de clientes. A segurança e detecção a fraudes aprimoradas são o maior benefício de usar IA (Inteligência Artificial) e um sistema nacional de Identidade Digita ajudará a prevenir fraudes em transações de consumidores, aponta o estudo.

O relatório, “Novas dimensões de mudança: construindo confiança em um cenário de consumo digital”, reuniu respostas de 150 executivos do Brasil e 1.460 executivos do Canadá, Chile, China, Colômbia, República Dominicana, Hong Kong, Índia, Filipinas, África do Sul, Reino Unido e EUA. A pesquisa descobriu como tecnologias a exemplo de Inteligência Artificial, Identidade Digital e Superaplicativos podem ajudar a superar obstáculos e possivelmente criar novos desafios para construir confiança digital.

Aproximadamente 90% dos executivos brasileiros e 85% dos executivos globais afirmam que a biometria provavelmente será usada para autenticar a grande maioria dos pagamentos nos próximos dez anos. Cerca de 44% dos entrevistados brasileiros e 43% globais observaram que a detecção de fraudes e a segurança aprimorada são os maiores benefícios do uso de IA. Além disso, a grande maioria dos executivos, 85% no Brasil e 79% no mundo acredita que as Identidades Digitais ajudarão na prevenção a fraudes nas transações de consumidores.

Garantir a confiança do consumidor começa com a prevenção de fraudes. Nossa pesquisa mostrou que Biometria, IA e Identidade Digital não são apenas uma moda passageira para a prevenção a fraudes em transações de consumidores. Elas são essenciais para o comércio confiável em um futuro próximo”, disse Juarez Zortea, presidente da TransUnion Brasil.

A maioria dos executivos brasileiros afirmam que a biometria provavelmente será usada para autenticar a grande maioria dos pagamentos nos próximos 10 anos. Cerca de 44% dos entrevistados brasileiros e 43% dos entrevistados globais observaram que a melhoria na detecção e segurança contra fraudes é o maior benefício do uso de IA. Esta foi a primeira seleção, com a experiência do cliente sendo a segunda resposta mais comumente selecionada globalmente, com 29% em todo o mundo e 24% no Brasil. Além disso, a grande maioria dos executivos, 85% no Brasil e 79% no mundo acredita que as Identidades Digitais ajudarão na prevenção de fraudes nas transações dos consumidores.

 

Transações digitais

 

O estudo descobriu que a chave para as empresas fecharem ou não depende do fornecimento de transações digitais corretas aos consumidores. Quase 90% dos executivos brasileiros e 85% dos executivos globais entrevistados como parte do estudo disseram acreditar que transações tranquilas são “essenciais para a sobrevivência dos negócios”, e não apenas uma vantagem competitiva.

A Covid-19 acelerou drasticamente a transformação digital, com 66% dos entrevistados brasileiros dizendo que sua organização mudou seu processo de transação digital devido à pandemia”, disse Shai Cohen, vice-presidente sênior de Soluções de Prevenção a Fraude Global da TransUnion. “Mas todo esse progresso digital será eliminado se não pudermos remover essas barreiras para construir uma confiança digital bilateral. Por exemplo, quase dois terços das empresas brasileiras que mudaram seu processo de transação digital como resultado da pandemia enfrentaram falhas, o que poderia levar a mais casos de fraude”.

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor