Embaixador da Jordânia no Brasil discute cooperação

Recém-chegado, Maen Masadeh está em Brasília desde setembro de 2021.

O novo embaixador da Jordânia em Brasília, Maen Masadeh, está em São Paulo e visitou a sede da Câmara de Comércio Árabe Brasileira nesta terça-feira. Masadeh assumiu o posto em setembro do ano passado e esta é sua primeira viagem à capital paulista, onde cumpre agenda de reuniões com empresas e associações nos próximos dias. Na Câmara Árabe, Masadeh discutiu sobre formas de cooperação e diversificação da pauta comercial.

Ele foi recebido pelo embaixador Osmar Chohfi, presidente da entidade, pelo vice-presidente, Mohamed Mourad, o diretor do Conselho, Mohamed Abdouni e a gerente de Relações Institucionais, Fernanda Baltazar. Participou remotamente da reunião a diretora de Marketing e Conteúdo da Câmara Árabe, Silvana Gomes.

O presidente Chohfi falou sobre como a pandemia evidenciou a necessidade de inovar e digitalizar os processos da câmara de comércio. Silvana Gomes e Fernanda Baltazar apresentaram o Ellos Blockchain, a plataforma digital da Câmara Árabe criada para facilitar os negócios. O comércio entre o Brasil e a Jordânia já é certificado pelo sistema de blockchain da entidade, que conta com diversos serviços.

O Brasil exportou US$ 293,52 milhões a Jordânia em 2021, principalmente em produtos como carne de frango, carne bovina, milho e café. O crescimento foi de 20,6% em relação a 2020. Na outra mão, o País comprou US$ 130,52 milhões em produtos da Jordânia no ano passado, uma alta de 140,4%. Os principais produtos foram fertilizantes, potássio, cebola e alho.

Sobre o comércio entre os países, Masadeh afirmou que está feliz com o crescimento, mas que é importante diversificar a pauta.

“Temos potencial e queremos trazer nossos produtos para o Brasil, para o benefício mútuo. Ambos os países podem ser compradores e vendedores”, declarou.

Segurança alimentar é um tópico que tem sido muito discutido na Jordânia, segundo o embaixador.

“O Brasil é um país que pode ajudar a nossa região, segurança alimentar não é só venda de produtos ou ingredientes, é tecnologia e know-how e uma ideia é termos uma parceria nesse sentido”, sugeriu o embaixador.

Ele ainda mencionou que o Porto de Aqaba é uma importante porta de entrada para o mercado iraquiano.

“Além de sermos vizinhos, temos história juntos. Há 100 mil iraquianos na Jordânia, e muitos são empresários. A maioria chegou em 2003 e ficou, pela estabilidade”, explicou. Segundo o embaixador, o percurso de caminhão de Aqaba até Bagdá, capital do Iraque, é de cerca de 12 horas, e há frotas de caminhões dos dois lados da fronteira.

Masadeh reforçou sua intenção de trabalhar em conjunto com a embaixada do Brasil em Amã e com as câmaras de comércio e demais entidades interessadas para atingir um objetivo comum, o de impulsionar e diversificar o comércio entre os países.

O diplomata assumiu seu primeiro posto como embaixador aqui, na capital brasileira. Maen Masadeh iniciou a carreira em 1996 e atuou no Catar, Sudão, Malásia e Romênia, como cônsul ou vice-embaixador. Ele também foi diretor do departamento de América Latina e América Central no Ministério de Relações Exteriores da Jordânia.

Após três meses trabalhando em Brasília, ele veio conhecer a capital paulista. “Me considero sortudo por estar aqui. O Brasil é um grande país com muitas oportunidades. Meu principal objetivo como embaixador é promover as relações políticas, econômicas, sociais e culturais entre os países. Estamos no caminho certo e devemos continuar trabalhando, temos muitos potenciais e com o apoio de nossos governantes podemos aumentar e diversificar as relações comerciais”, disse.

 

Com informações da Agência de Notícias Brasil-Árabe

Leia também:

China reduz juros em empréstimo de médio prazo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Despesas de planos médicos atingiram R$ 206 bi na pandemia

Estudo mostra que aumento de 24% durante um ano está relacionado com a retomada de procedimentos médicos a partir de 2021.

Tunisianos investem em azeite orgânico para entrar no Brasil

Segundo executivo, Tunísia está em primeiro lugar no ranking global de azeites orgânicos.

Carga tributária brasileira já corresponde a 35% do PIB

Mais de R$ 1 tri de impostos arrecadados só neste ano

Últimas Notícias

SP é o segundo estado com maior potência de energia solar em telhados

Geração própria de energia solar no Rio ultrapassa 49,8 mil conexões em telhados e pequenos terrenos.

Mais de um terço das famílias relata queda da renda mensal

Estudo destaca comportamento das pessoas sobre gastos e dívidas no primeiro trimestre; mais impactados são famílias de menor renda.

Despesas de planos médicos atingiram R$ 206 bi na pandemia

Estudo mostra que aumento de 24% durante um ano está relacionado com a retomada de procedimentos médicos a partir de 2021.

Tunisianos investem em azeite orgânico para entrar no Brasil

Segundo executivo, Tunísia está em primeiro lugar no ranking global de azeites orgânicos.

População mais pobre está bastante pessimista em relação ao Brasil

Em contrapartida, segundo a Associação Comercial de São Paulo, classes AB e C mostram cada vez mais confiança na economia do país.