Embraer entregou 17 aviões no segundo trimestre

Fim da negociação de joint venture com a Boeing e coronavírus afetaram resultados.

Empresas / 11:45 - 5 de ago de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A indústria brasileira Embraer entregou 17 aeronaves no segundo trimestre deste ano, segundo informações divulgadas hoje pela empresa. Foram quatro aviões comerciais e 13 executivos. Com isso, a empresa encerrou o primeiro semestre com entregas de 31 aeronaves, nove comerciais e 22 executivas.

As entregas do segundo trimestre ficaram bem abaixo das feitas no mesmo período de 2019, quando foram entregues 51 aeronaves, das quais 25 executivas e 26 comerciais. No primeiro semestre do ano passado também as entregas foram bem maiores do que nos primeiros seis meses de 2019, com 73 entregas de 37 jatos comerciais e 36 executivos.

"As entregas de aeronaves foram negativamente impactadas pela pausa no início do ano devido à separação dos negócios de aviação comercial e de seus serviços relacionados para a parceria estratégica, agora encerrada, com a The Boeing Company e também pela pandemia da Covid-19 que tem afetado o mundo, apesar de que seus impactos no segmento de aviação executiva têm sido menos severos que no segmento de aviação comercial", disse a companhia, no relatório de resultados.

Boeing e Embraer mantinham negociações para o estabelecimento de uma joint venture na área de jatos regionais da empresa brasileira, mas a companhia norte-americana decidiu encerrá-las em abril.

Entre as entregas feitas pela Embraer estiveram um E190-E2, para a Helvetic Airways, da Suíça, um Phenom 300E, para o Dunham & Jones, P.C., escritório de advocacia dos Estados Unidos, e um KC-390 Millennium à Força Aérea Brasileira (FAB). A fabricante brasileira comemorou a atualização do pedido firme da Congo Airways em contrato de US$ 256 milhões.

A Embraer sentiu o efeito das entregas menores em seus resultados financeiros. No segundo trimestre, a receita líquida caiu 47% sobre o mesmo período de 2019 e ficou em R$ 2,8 bilhão. Já no primeiro semestre, a receita líquida recuou 33% para R$ 5,7 bilhões. Todos os segmentos de negócios tiveram queda na receita, mas o maior impacto foi na aviação comercial.

A empresa informou no relatório que no segundo trimestre registrou despesas de R$ 151,1 milhões em excesso de capacidade ociosa por causa da pandemia, o que impactou a margem bruta. A Embraer teve prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão no segundo trimestre contra lucro de R$ 26,1 milhões em igual período de 2019. No semestre o prejuízo líquido foi de R$ 2,9 bilhões contra R$ 134,7 milhões de prejuízo em iguais meses do ano anterior.

 

Agência de Notícias Brasil-Árabe

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor