Embrulhado

Um dos principais indicadores do crescimento, a indústria de embalagem produziu o equivalente a R$ 31,3 bilhões, em 2005, queda de 1,26% em relação a 2004, segundo a Associação Brasileira de Embalagem (Abre). A entidade atribui o recuo na produção aos juros elevados e à desaceleração do crescimento da produção de bens de consumo não-duráveis, que utilizam intensamente embalagens, no segundo semestre do ano passado. Nesse período, a indústria de alimentos, por exemplo, caiu 1,48%, depois de crescer 3,19% no primeiro semestre. A perspectiva para 2006 para o setor de embalagens é de crescer, no máximo, 3%.

Leão mora ao lado
O Banco do Brasil não se mete somente em escândalos como o valerioduto, no qual é acusado de ser o principal abastecedor. O BB atrasou o envio a seus correntistas de demonstrativo para o Imposto de Renda. Funcionário do banco admite que “alguns extratos realmente ainda não chegaram”, o que obriga o cliente a ir à agência ou à Internet para obter o documento. Detalhe: é obrigatório o envio do demonstrativo; a empresa que não o fizer corre o risco de multa de R$ 41,43 por documento – imposta pela Receita Federal, que, aliás, está sob o desatinado comando do mesmo Ministério da Fazenda. Com quase 23 milhões de clientes, o BB se arrisca a multa de até R$ 952,89 milhões.

Procura-se
Clientes da agência Marechal Floriano do Banco do Brasil, no Centro do Rio de Janeiro, procuram há dias alguns dos gerentes da instituição. Pela ausência sistemática, trabalho lá é um serviço somente externo.

Exterior
Com entrada franca, acontece na próxima sexta-feira, no Hotel Glória (Rio), a ExpoEstudenoExterior, feira de intercâmbio cultural cuja proposta é facilitar a vida de quem quer estudar ou trabalhar fora do Brasil. Diretores das principais instituições de ensino do exterior estarão fornecendo informações sobre cursos de idiomas, colegial, MBA, pós-graduação, especialização ou ainda para quem quer um trabalho temporário fora do Brasil. O evento começa às 16 horas e vai até 21 h. A próxima parada da feira é Porto Alegre, no dia 2 de abril, no Sheraton.

Alô? Alô?
A falta de qualidade do aparelho e a incompetência do fabricante SonyEricsson vêm prejudicando, há três meses, a Redação do MONITOR MERCANTIL. Um dos celulares que serve à reportagem, destinado a transmitir notícias redigidas à distância, agilizando a informação aos leitores, está desde janeiro com a SonyEricsson que, como não conseguiu consertá-lo, prometeu um aparelho novo – obrigação legal. A desorganização é tanta, porém, que o celular prometido não chega à loja. Felizmente, os demais aparelhos móveis do MM são de marcas de qualidade, Motorola e Nokia.

Tô nem aí
Para um presidente cujo slogan onipresente é “Nunca ninguém fez melhor”, afirmar que o ministro Palocci “não foi, possivelmente, o melhor ministro da Fazenda”, significa muito mais do que condenar a desastrosa política econômica conduzida pelo filho da República de Ribeirão, sob as bênçãos de Lula. Significa o que Lula na sua melhor função executiva, a de ministro dos Esportes, traduziria, repetindo os pedantes treinadores de futebol de hoje, como “Eu ganhei, nós empatamos, eles perderam”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEspecialidade
Próximo artigoProgressista

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Últimas Notícias

Baixas temperaturas e geadas trazem prejuízos a agricultores

Balança comercial do agro, entretanto, apresentou superávit de US$ 43,7 bilhões no acumulado do ano, de janeiro a abril.

A pandemia do burnout

Por César Griebeler.

OIT: crises geraram déficit de 112 milhões de empregos no mundo

Guy Ryder: 'efeitos sobre os trabalhadores e suas famílias, particularmente nos países em desenvolvimento, serão devastadores.'

Banco central da China injeta liquidez via recompra reversa

O Banco Central da China injetou na sexta-feira 10 bilhões de yuans (cerca de 1,48 bilhões de dólares) de recompra reversa, visando manter a liquidez do sistema bancário.

Representante chinês pede coordenação e estabilidade sobre alimentação

Um representante chinês pediu na quinta-feira para que a comunidade internacional trabalhe em conjunto, no objetivo de estabilizar o mercado global de alimentos, garantir suprimentos diversos de alimentos e facilitar globalmente o comércio agrícola.