Emissão recorde de títulos estimula investimentos em infraestrutura

Novas vendas totalizaram 1,5 trilhão de uanes.

Internacional / 00:50 - 3 de abr de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Ministério das Finanças da China comunicou nesta quinta-feira que a emissão de títulos dos governos locais do país registrou um novo recorde no primeiro trimestre do ano. Isso aconteceu porque as autoridades alocaram cotas adicionais para novas vendas como parte das políticas fiscais mais proativas para fortalecer a economia atingida pela pandemia de coronavírus, segundo dados oficiais.

O valor desses títulos emitidos em março totalizou 387,5 bilhões de iuanes (US$ 54,6 bilhões), de acordo com o Ministério das Finanças. Os dados levaram a emissão total de títulos do tipo para mais de 1,6 trilhão de yuans no primeiro trimestre, um número recorde.

Conforme a agência Xinhua, entre as emissões, as novas vendas totalizaram 1,5 trilhão de uanes, representando 83,5% das cotas de 1,85 trilhão de iuanes alocadas pela pasta antes do previsto para mitigar os impactos econômicos do surto do novo coronavírus.

Uma reunião do Conselho de Estado decidiu na terça-feira aumentar a emissão de títulos especiais dos governos locais para apoiar os investimentos efetivos, enfatizando que a prioridade deve ser as regiões com grandes projetos e baixos riscos.

O país atribuirá com antecedência algumas das cotas para os títulos especiais, e as autoridades locais devem se esforçar para emitir os títulos até o final do segundo trimestre, disse a reunião.

Projeto de infraestrutura

As vendas de títulos são usadas principalmente para financiar os grandes projetos de infraestrutura, incluindo ferrovias e conservação da água, os analistas esperam que a aceleração de vendas eleve o investimento em infraestrutura para um crescimento de dois dígitos.

Gao Ruidong, analista da Guotai Junan Securities, prevê que os títulos especiais estimularão o investimento em infraestrutura em cerca de 2,5 a 3 trilhões de iuanes em 2020, com o crescimento do investimento em infraestrutura atingindo 10% a 12% este ano.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor