Emprego industrial perdeu menos que restante da economia

O emprego industrial, assim como todos os demais setores, tem sido muito afetado pela crise da Covid-19. Apesar disso, os microdados da Pnad/IBGE analisados pelo Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) mostram que a indústria conseguiu atenuar a redução geral do número de ocupados no setor privado ao longo de 2020, sobretudo no emprego formal.

O número total de ocupados na indústria de transformação recuou 8,9% no quarto trimestre do ano passado, em comparação com o mesmo período de 2019. No restante do setor privado, o tombo foi ainda maior: 11%.

O emprego industrial com carteira assinada caiu 7,8%, com sinal de amenização frente ao terceiro trimestre de 2020, enquanto no restante do setor privado as perdas se agravaram para 12,1%, analisa o Iedi.

Leia também:

Micros criaram cerca de 60% dos empregos gerados em março

Artigos Relacionados

Brasil volta a defender quebra de patente

Um dia após declarar na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que “sou contra a quebra de patente”, como forma de flexibilização de...

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Estado do Rio registra 68,8 mil novos MEIs

Alimentação fora do lar foi o segmento com mais abertura de empresas, com 10,4 mil novos microempreendedores.

Volume de vendas do varejo restrito regrediu em março

'Recuo foi acima do esperado por nós (-3,4%) e pelo mercado (-5,1%)', diz Felipe Sichel.

Quase 80% não trabalham totalmente remoto na pandemia

Segundo levantamento sobre adaptação ao modelo de teletrabalho, 49,7% dos entrevistados estiveram na empresa semanalmente.

Tunísia pretende exportar 80 mil toneladas de frutas

País produz pêssegos, nectarinas, damasco, ameixa e estima aumento de 7% na safra de frutas em 2021; grandes importadores são Líbia, França e Itália.

Rio acaba com toque de recolher

Novas medidas têm validade até o dia 20 de maio; medidas podem ser revistas.