Empresário iraniano é condenado à morte por corrupção

O empresário iraniano Babak Zanjani foi condenado à morte por corrupção, informou o porta-voz da autoridade judiciária do Irã, Gholamhossein Mohseni-Ejeie. Detido em dezembro de 2013, o milionário foi acusado de desviar US$ 2,8 bilhões em transações ilegais de petróleo, contornando as sanções internacionais que foram impostas ao Irã.
“O veredito do julgamento de Babak Zanjani e de outros dois acusados foi pronunciado. Eles foram considerados culpados por corrupção e condenados à morte”, afirmou Mohseni-Ejeie. Eles foram ainda condenados a ressarcir a Companhia Nacional Iraniana de Petróleo e pagar uma multa equivalente a um quarto do montante sonegado, adiantou o porta-voz.
Babak Zanjani pode recorrer do veredicto. Com 41 anos, ele é um influente empresário, dono de muitas empresas que estão confiscadas, incluindo uma companhia aérea.
A prisão de Zanjani ocorreu depois da ordem dada pelo presidente do Irã, Hassan Rohani, ao seu governo para lutar contra a corrupção “em particular daqueles que tiram proveito das sanções econômicas”.
No julgamento, que durou vários meses e foi realizado em público, o empresário explicou que, sob o governo do ex-presidente Mahmoud Ahmadinejad, o Ministério do Petróleo pediu a sua ajuda para repatriar o dinheiro do petróleo vendido no exterior.

Agência Brasil, com informações da Lusa

Artigos Relacionados

China declara eliminação de pobreza extrema

Xi Jinping: retirada de 850 milhões de pessoas é uma ‘conquista sem precedentes’.

Venda cai, mas árabes são o segundo destino de alimentos do Brasil

No total, os embarques de alimentos e bebidas ao exterior tiveram aumento de 11,4% no ano, frente a 2019.

Países ricos se recuperam mais rapidamente, pobres ficam para trás

Lacuna aumenta; vacinação global geraria US$ 9 trilhões até 2025, inclusive para os países desenvolvidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Presidente do Banco do Brasil joga a toalha

Centrão tem interesse no cargo.

Imóveis comerciais tiveram estabilidade em janeiro

Nos últimos 12 meses, entretanto, preços de venda e locação do segmento acumulam quedas de 1,32% e 1,18%, respectivamente.

Contas públicas têm superávit de R$ 58,4 bilhões em janeiro

Dívida bruta atinge 89,7% do PIB, o maior percentual da história.

Presidente do Inep é exonerado do cargo

Medida foi publicada no Diário Oficial de hoje; até o momento, não foi anunciado o nome de quem o substituirá.

Primeiro caso de Covid-19 no Brasil completa um ano

Brasil tem novo recorde de mortes diárias, diz Fiocruz; boletim informa que houve ontem 1.148 mortes.