Empresas dos EUA que saem da China são limitadas a setores específicos

A China ainda é atraente para os investimentos estrangeiros em manufatura por seu enorme mercado interno.

Mercado Financeiro / 23:34 - 15 de set de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

penas um número limitado de empresas dos EUA em indústrias específicas está saindo da China, revela um recente relatório divulgado pelo banco de investimentos Goldman Sachs.

No setor de vestuário e smartphones, quase todas as empresas dos EUA já transferiram ou planejam transferir pelo menos parte de suas operações para fora da China, apontou o relatório. No entanto, em muitos outros setores, poucas empresas planejam deixar o país asiático, acrescentou o relatório.

De acordo com o relatório, a maioria das empresas de semicondutores e de cuidados com a saúde está, na verdade, expandindo sua produção na China.

Nos setores de mão-de-obra intensiva, a vantagem do país asiático em termos gerais de manufatura permanece incontestável, segundo o banco de investimentos. A China ainda é atraente para os investimentos estrangeiros em manufatura por seu enorme mercado interno, cadeias de suprimentos industriais completas e boa infraestrutura, indicou o relatório.

Segundo a agência Xinhua, além disso, o relatório apresentou poucas evidências de um retorno em grande escala da atividade manufatureira aos Estados Unidos. “A relação com a China está muito prejudicada”, declarou recentemente o presidente norte-americano, Donald Trump. O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, declarou o fim da política de aproximação, ao clamar que “o mundo livre deve triunfar contra essa tirania”.

 

 

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor