Empréstimos a taxas fixas ameaçam ganhos dos bancos, diz Fitch

Juros em alta pressionam diferença entre captação e financiamento.

As altas taxas de juros e a elevada inflação devem pressionar os spreads e os lucros dos bancos brasileiros, mas esses desafios devem ser administráveis, dados os níveis de capital e liquidez do sistema bancário, os prudentes padrões de subscrição e as elevadas provisões já constituídas. A afirmação está em relatório publicado nesta sexta-feira pela Fitch Ratings.

Em função das hipotecas e de outros empréstimos de longo prazo, os bancos brasileiros apresentam um descasamento estrutural natural de longo prazo entre ativos e passivos, fazendo com que os custos de financiamento sejam reprecificados mais rapidamente do que os rendimentos recebidos pelos ativos de longo prazo.

A incompatibilidade de ativos e passivos é mais evidente em tempos de aumento de juros, já que os custos de captação geralmente são indexados a taxas variáveis, ao contrário dos empréstimos, nos quais as taxas são fixas. A Fitch estima que 87% dos US$ 800 bilhões em empréstimos do sistema bancário têm taxa fixa, com os 13% restantes, flutuantes.

O endividamento das famílias no Brasil era de 59,9% em junho, o maior desde que o Banco Central começou a monitorar o indicador em 2005, com pagamentos de empréstimos residenciais consumindo 37,1% da renda disponível. “No entanto, as tendências gerais de qualidade de crédito em empréstimos de varejo (que representam quase 60% do crédito total do sistema), devem permanecer administráveis, dados os padrões conservadores de subscrição dos bancos”, prevê a Fitch.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.

Profissional de nível superior tem 23% mais chance de trabalhar remoto

Com avanço da vacinação no Brasil, 62% das empresas planejam voltar ao presencial.

Últimas Notícias

Lei de Melhoria do Ambiente de Negócios no Brasil

Por Letícia Luzia de Sousa Ramos e Renata Homem de Melo.

Para 48%, recém-formados são os mais afetados no mercado de trabalho

Pesquisa feita com mais de 9 mil pessoas descobriu que 25% fazem parte da Geração Nem Nem, que não trabalha nem estuda.

SP registra queda de 13% em mortes de trânsito ante setembro de 2020

Número de óbitos caiu de 455 em setembro do ano passado para 396 no mesmo período de 2021.

Supermercados tiveram queda de 7,15% em vendas

Período avaliado em São Paulo foi de 12 meses, já Rio registra expansão de 41,5% de novas unidades no primeiro semestre.