A Era que as elites querem destruir

Em 24 de agosto de 1954, Getulio Vargas saiu da vida para consolidar seu nome na História. Sessenta e dois anos depois, o legado do presidente continua presente. Chamado por seus simpatizantes de “pai dos pobres”, até hoje gera raivosa oposição de elites que desejam enterrar a Era Vargas. Nos últimos anos, as elites nunca estiveram tão ouriçadas quanto agora com a possibilidade de, sem votos, tomar o poder e eliminar direitos que dignificam o trabalhador. O discurso de aumentar a produtividade não passa por valorizar o empregado, com boa remuneração e treinamento, como mandam os gurus da administração. Ao contrário, busca-se produzir mais demitindo e pressionando os que ficam a trabalhar mais, ganhando menos.

A Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) realiza nesta quarta o Dia Nacional de Luta em Defesa da CLT. “Os atos têm como objetivo chamar a atenção da sociedade e de instituições como os poderes Executivo e Legislativo contra a agenda de retrocessos que vem sendo imposta ao país pelo segmento financeiro e por uma parcela mais retrógrada do setor industrial brasileiro, com o objetivo principal de atacar os direitos trabalhistas e previdenciários”, ataca a CSB. “O real problema se apresenta no comprometimento de quase 43% do orçamento da União, que em 2015 chegou a R$ 2,268 trilhões, com o pagamento de juros da dívida pública”, ressalta o presidente da CSB, Antonio Neto.

Estão planejados atos em todo o país na data simbólica que é o dia de memória ao presidente Vargas, o pai da CLT. Em São Paulo, a mobilização ocorrerá no Edifício Getúlio Vargas, sede do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados, às 14h, na Avenida Angélica, 35.

Errou o alvo

Nenhum carioca engoliu as críticas do The New York Times ao biscoito Globo, mas o problema foi que o jornalão norte-americano acertou no nome, mas errou no produto: se tivesse dito que O Globo é vazio e sem graça, todo mundo teria aplaudido.

Baixar a bola

Qual o Neymar verdadeiro: o que chorou copiosamente após a conquista da medalha de ouro pela seleção olímpica ou o que reutilizou a triste frase “vocês vão ter que me engolir”? Se for o segundo, é bom ele medir seu lugar. Zagallo, o autor original, pronunciou a rancorosa frase com três títulos mundiais – pela seleção principal – na bagagem. Ele ainda tinha o motivo de que, tanto como jogador, quanto como técnico, sempre teve seu trabalho menosprezado. Já Neymar, idolatrado pela mídia, tem pouco a se queixar e muito a conquistar. Quem sabe, depois de conquistar uma Copa do Mundo…

Carência

Apesar do investimento de R$ 600 mil em reformas, os 62 novos leitos de CTI do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da UFRJ, permanecem vazios. De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos (SinMed/RJ), Jorge Darze, a maior carência de leitos no Rio de Janeiro está no setor de tratamento intensivo. A razão da falta de leitos é a ausência de médicos e enfermeiros. Segundo o SinMed, citando a direção do hospital, seriam necessários mais 180 profissionais.

Os hospitais universitários vêm passando por um projeto de privatização, defendido pelo governo federal, que pretende entregar as unidades à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Segundo o diretor do hospital do Fundão, Eduardo Côrtes, “o Ministério da Educação (MEC) vem pressionando para que o Clementino Fraga Filho também seja administrado pela empresa de direito privado, já que outras unidades já estão sob a sua gestão”.

Indireta

O título do site da Exame “Brasileiro quer reformar Previdência – mas só a dos outros” cabe como uma luva para o presidente interino, Michel Temer, aposentado aos 55 anos.

Em pânico

Quem assistiu ao encerramento das Olimpíadas pela Band caiu na real quando o apresentador Álvaro José falou: “A seguir, Pânico na TV

Rápidas

A partir desta terça, o Shopping Via Brasil, na Baixada Fluminense, oferece estacionamento gratuito na hora do almoço para os seus clientes. Para obter o benefício, basta o cliente comprovar o consumo mínimo de R$ 15 no segmento de alimentação, das 12h às 15h – exceto feriados. É a lei do mercado em ação *** Descobrir jovens empresas de tecnologia e incentivar o desenvolvimento de soluções digitais inovadoras que contribuam para os cuidados com a saúde são os objetivos da segunda edição do prêmio Desafio Pfizer, que selecionará três startups nacionais de Saúde Digital. Inscrições em www.desafiopfizer.com.br, até 4 de setembro *** O grupo Insigne, de consultoria e terceirização de serviços contábeis, reforça seu portfólio de clientes com a GNR Dois Arcos e a DMS Transportes *** Os ministros do STF Gilmar Mendes e Luiz Roberto Barroso participam do seminário sobre os 75 anos da Justiça do Trabalho e os 70 anos do Tribunal Superior do Trabalho. A organização é da Fundação Getulio Vargas. O evento ocorre nestas quinta e sexta, no Centro Cultural da FGV (Praia de Botafogo 186).

Artigo anteriorNação brasileira
Próximo artigoLegado olímpico
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Balanços guiarão, aparentemente, os mercados hoje

Europa e Nova Iorque precavidas, Ásia continua em queda livre.

Confiança da construção atinge maior nível desde março de 2014

Índice teve alta de 3,3 pontos e chegou a 95,7; já inflação do setor cai para 1,24% em julho.

IPCA-15 apresentou alta de 0,72% em julho

Maiores contribuições vieram da categoria habitação (2,14%), que contribuiu com 0,32%, e de transporte (1,07%), que adicionou 0,22%.

Itaú Unibanco deixa administração da XP

Decisão foi tomada no último dia 23, após análise concorrencial e prudencial; cisão foi aprovada pelo Banco Central.

Abertura de mercado

Após fim de semana tenso, segunda é sempre de trégua, pela ausência de parlamentares em Brasília, quanto mais em período de recesso.