Era uma vez um planeta que virou pó

Talvez fique mais fácil entender por que a Covid-19 assusta tanto.

“…depois de se consumirem mil anos, Satanás será solto da prisão, saindo para seduzir as nações dos quatro cantos da Terra e reuni-las para a luta (…) mas desceu um fogo do céu e as devorou (…) e os mortos foram julgados segundo suas obras (…). Vi, então, um novo céu e uma nova terra, pois o primeiro céu e a primeira terra desapareceram e o mar já não existe”.

Apocalipse de São João

 

No ano 1000 da era cristã, os padres da Igreja interpretaram o Apocalipse de João como a predição de que o mundo se acabaria naquele ano. Muita gente doou suas posses e muitos se infligiram flagelos terríveis em busca da penitência e da salvação. Mas o primeiro dia do ano de 1001 acordou lindo e radioso e o mundo não acabou. Depois disso, muitas outras profecias anunciaram o fim do mundo, mas ele continua aí, firme e forte, apesar dos maus tratos que a Humanidade lhe pespega, dia após dia, noite após noite. A Covid-19 já foi anunciada como o início do fim dos tempos, e depois dela virão outras pestes ainda mais terríveis, e outras guerras, e outras catástrofes, e para cada uma delas um profeta de ocasião predirá o fim do mundo e das coisas e o mundo e as coisas continuarão aí, alheios a esses arautos de eternos Armagedons.

Pense comigo: agora mesmo, enquanto você lê este meu artigo e certamente se pergunta “onde é que essa louca quer chegar com isso?”, a Terra, o único lugar que temos para morar, está girando em torno do seu próprio eixo a uma velocidade de 1.666 quilômetros por hora, ou 465 metros por segundo. Nesse mísero segundo em que você tirou os olhos do computador para pensar no que eu disse, a Terra girou 465 metros, ou andou pelo vazio uma distância equivalente a cinco campos de futebol. Além disso, a Terra gira em torno do Sol a uma velocidade de 100.000 quilômetros por hora.

Segundo os cientistas, a Terra pesa cerca de 5.970.000.000.000.000.000.000.000 quilos. Ou seja: quase 6 septilhões de quilos. Ou 6 sextilhões de toneladas. Existem cerca de 100 bilhões de galáxias iguais à nossa, 160 bilhões de planetas fora do nosso sistema solar, 8 planetas no nosso sistema solar, 193 países na Terra e 7 bilhões e 594 milhões de almas morando aqui. Este planetinha, que as pessoas chamam carinhosamente de “minha casa”, é, na verdade, uma imensa bola de 6 sextilhões de toneladas girando a esmo pelo espaço a uma velocidade de 100.000 quilômetros por hora. Se ela errar o caminho e se chocar com algum astro maior e mais pesado, nós simplesmente viraremos pó.

Não se preocupe. Está escrito: “tu és pó e ao pó voltarás”.

Agora que você e eu sabemos que não somos mais do que inúteis vermes microscópicos nos agarrando à poeira de um imenso buraco negro para sobreviver num latifúndio cósmico hostil e desconhecido, talvez fique mais fácil entender por que a Covid-19 assusta tanto, e por que é tão difícil convencer certas pessoas de que o perigo é real, o inimigo é invisível, e se não fizermos a nossa parte o vírus vai aniquilar o planeta antes que nós mesmos o façamos com nossas inexplicáveis imbecilidades.

Este planeta, visto de fora, é uma imensa lata de lixo. Toda a água e ar de que precisamos para viver estão ali desde que o planeta nasceu. É nossa única reserva. Quando acabarem, acabaram. Simplesmente não temos onde buscar um tanque reserva. O planeta vai secar, mas, antes disso, todos morreremos asfixiados. Mas as pessoas continuam vomitando o seu lixo no quintal do outro como se estivessem de fato sujando o quintal do outro, e não o seu próprio quintal.

Leia mais:

Politicamente correto está deixando mundo pateticamente chato

O direito de ser deixado em paz

Mônica Gusmão
Professora de Direito Empresarial, do Consumidor e do Trabalho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Alta dos preços leva a aumento de protestos

Agitação em países onde manifestações eram raras preocupa FMI.

Interlagos vai sediar feira de motos e carros

Eventos priorizam testes para clientes e potenciais compradores.

Romênia e Moldávia: duas faces de uma mesma moeda?

Em alguns aspectos as duas produções se assemelham e, em outros, apresentam diferenças que poderiam até se complementar.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais