Erro fatal

Empresas piratas e piratas eletrônicos recorreram a novo truque para burlar a já frágil segurança dos sistemas de informática dos bancos. Tornou-se comum a abertura de sítios com nomes quase idênticos aos de instituições financeiras, com exceção de uma letra a menos ou mais ou outros erros recorrentes em digitação. Quando o cliente se vê no sítio errado e não nota de imediato o equívoco, tecla sua senha, que passa a ser apropriada pelos picaretas, que passam a ter livre movimentação das contas da vítima.

Baixada
A Confederação Geral dos Trabalhadores (CGT/Rio) promove hoje debate entre os candidatos ao governo do Estado do Rio de Janeiro: Solange Amaral (PFL), Jorge Roberto Silveira (PDT) e Cyro Garcia (PSTU). A candidata do PT e atual governadora do Rio, Benedita da Silva, e Rosinha, mulher do ex-governador Anthony Garotinho, ainda não confirmaram participação. O debate ocorrerá entre 10h e 12h, no Sesc de Nova Iguaçu (Rua D. Adriano Hipólito 10, Moquetá). Para o presidente regional da CGT, Jorge Medeiros Freitas, o Montanha, o evento vai “permitir ao trabalhador e aos moradores da Baixada Fluminense conhecerem as idéias dos postulantes ao cargo máximo do comando do estado”. Para Montanha, “o candidato que quiser chegar ao Palácio Guanabara terá de ser ouvido na Baixada Fluminense, detentora de 21% dos votos do eleitorado do Rio.”

Senado
Ainda no Rio de Janeiro, pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Datafolha mostra que o candidato do PMDB ao Senado, Sérgio Cabral Filho, tem 45% das intenções de voto. Em segundo, aparece o ex-governador Leonel Brizola (PDT), com 29%, seguido pelo bispo Marcelo Crivella  (PL), com 25%, e pelo tucano Arthur da Távola, citado por 24% dos entrevistados.
O eleitor médio de Cabral Filho mora na capital e ganha mais de dez salários mínimos. Brizola tem os melhores resultados entre eleitores entre 45 e 59 anos, de baixa renda – até cinco salário mínimos. O ex-governador do Rio é apoiado tanto por eleitores da candidata do PT, Benedita da Silva, quanto pelos que preferem o candidato do PDT, Jorge Roberto Silveira.

Empregador
Durante o seminário O Esporte no Brasil no quadriênio 2003/2006, ontem, no Rio, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, afirmou que as 20 mil associações esportivas e de educação física existentes no Brasil oferecem nada menos que 15 milhões de empregos diretos e indiretos. Diante de três dos quatro candidatos à Presidência da República – Lula (PT/PL) não estava presente – ele cobrou dez medidas concretas do próximo governo: “Lei de Incentivos Fiscais para o Esporte, Lei de Responsabilidade Fiscal para o Esporte, Lei que separe o futebol das demais modalidades, Manutenção do Ministério dos Esportes; Apoio ao esporte de base das Confederações Brasileiras, organização de grandes eventos esportivos no Brasil, Bolsa Atleta, Esporte na escola, Jogos da Juventude e Olimpíada Colegial”.

Artigo anteriorCobertor curto
Próximo artigoEstratosfera
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços ao consumidor de março avançaram mais que esperado

Veículos novos registraram o segundo mês consecutivo sem variação, enquanto os usados apresentaram variação positiva.

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.