Espanha em queda livre

     
          A opção do Governo Zapatero por cortar os gastos públicos e beneficiar a banca fez a renda per capita da Espanha recuar em relação à média da União Européia (UE) – composta por 27 países – ao nível de 2002, oito pontos abaixo da média da Zona do Euro – formada por  17 membros. Há três anos em crise e com 4 milhões de desempregados, a Espanha viu sua renda per capita, em 2010, cair para o nível da média da UE, o que implicou perda de três pontos em relação a 2009, quando o indicador do país era de 103%. Isso significa um retrocesso de oito anos em relação ao patamar atingido pelos espanhóis.

Espanha em queda livre – 2
O recente empobrecimento da sociedade espanhola contrasta com a melhora das condições do país empreendida a partir de 1994, quando começou a reduzir sua diferença em relação ao padrão de vida médio da Europa. Em 2008, segundo a Eurostat, a agência de estatísticas da região, o país atingiu sua melhor posição nesse ranking. A abertura da UE ao Leste Europeu fez a Espanha passar de um dos países europeus mais pobres da região – à frente apenas de Grécia e Portugal – para uma nação de renda per capita acima média do bloco.

Mais do mesmo
Dobradinha que bate um bolão – na mídia – o governador do Rio, Sérgio Cabral, deu o pontapé na campanha pela reeleição do prefeito da Capital, Eduardo Paes. Em evento na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), que homenageou Paes, Cabral teve apoio do presidente da entidade, Antenor de Barros Leal: “Como pessoa física, declaro o meu voto ao prefeito Eduardo Paes em 2012. Seu trabalho à frente da Prefeitura há muito não se via, principalmente nas áreas da saúde e da educação”, disse Antenor.
Realmente, há muito não se via – o que está longe de significar um elogio desta coluna.

Central virtual
Já o prefeito Eduardo Paes, fez questão de ressaltar que as obras de revitalização da área da Central estão em pleno andamento. No entanto admitiu que alguns problemas só serão resolvidos com o término das obras do Mercado Popular como, por exemplo, moradores de rua, viciados, lixo, roubos, entre outros problemas. E frisou que, para a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos, a Cidade estará pronta para realizar grandes eventos e receber os turistas.
A sede deste MM no Rio está localizada na região da Central e, por mais boa vontade que exista, não se consegue ver sinais, ainda que embrionários, desta revitalização.

Sem teto
Sérgio Cabral adiantou que nos próximos dias o Governo do Rio irá renovar o aluguel social da Região Serrana. Com isso, diz, cerca de 7 mil famílias serão beneficiadas. Ou seja, esse é o número de famílias que, um ano após a tragédia causada pelas chuvas, esperam um local definitivo e seguro para morar.

“Viúvas” da privataria
Boicotado por grande parte da imprensa “a favor até demais” – na sincera definição do ex-presidente FH flagrado no “grampo” nas tratativas sobre os leilões das telecomunicações – o livro A Privataria Tucana (Geração Editorial), do jornalista Amaury Ribeiro Jr., provoca debates acalorados, não apenas na blogesfera. No BNDES, de onde vieram muitos dos operadores daqueles leilões, “viúvas” do tucanato reagem com indignação às denúncias feitas por Ribeiro.

Privataria digital
Apesar do boicote, A Privataria Tucana já teve esgotada a primeira edição, estimada em 15 mil exemplares. A segunda deve chegar às livrarias nos próximos dias. Quem não quiser – ou puder – esperar pode recorrer à edição digital.

Laços mantidos
Aliás, o boicote da grande mídia às denúncias contra o tucanato e seus aliados – não somente o livro de Amaury Jr., mas também as suspeitas envolvendo o Metrô de São Paulo, a inspeção veicular na capital paulista e outras – mostra bem as relações dos barões da imprensa com FH e cia. e, de quebra, ajuda a compreender porque as tiragens e audiências dessa mídia despencam ladeira abaixo, ao ignorarem seus leitores para atenderem a seus senhores.
     
     

Artigo anteriorTransferência
Próximo artigoBancos&governos
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Inflação e PIB expõem falácia do Teto dos Gastos

‘Faz sentido?’, pergunta Paulo Rabello. ‘Claro que não’.

Mirem-se nos exemplos da Shell e da Exxon

Petrobras é fundamental para o desenvolvimento brasileiro.

Governo pode – e deve – controlar progresso tecnológico

Tecnologias transformadoras do século 20 não teriam sido possíveis sem liderança do Estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preço do diesel avança pelo quarto mês consecutivo

Combustível ultrapassou R$ 4 em fevereiro e os dois tipos, comum e S-10, registraram valores acima de todos os meses de 2020.

Antítese da véspera

Ontem o dia foi completamente diferente da terça-feira, em que começamos o dia raivosos, suavizando mais tarde.

Rio fecha bares à noite e adota toque de recolher

Bares e restaurantes agora só podem funcionar das 6 às 17h; em SP, diretor do Butantan defende que estado seja colocado em fase mais restritiva.

PEC emergencial e pedidos por seguro-desemprego

Mercados europeus fecharam mistos na quarta-feira; indicadores da Zona do Euro tiveram desempenho acima do esperado.

Setor de eventos terá parcelamento e isenção de impostos

Projeto foi aprovado pela Câmara e segue para o Senado.