Esquizofrenia ataca os jornalões

Sem conseguir elogiar Bolsonaro, mídia luta contra o óbvio: apoio à reforma da Previdência foi um fracasso.

As manifestações deste domingo a favor do Governo Bolsonaro foram um estrondoso fracasso, e não há imagem que mostre o contrário. Já era previsível, pois apenas um governo fraco precisa dar uma demonstração de força menos de seis meses após a posse. As pesquisas de opinião também já sinalizavam o fiasco, pois a impopularidade de Bolsonaro já superou a popularidade. Entre os investidores do mercado financeiro, a queda foi ainda maior.

O desabamento do governo avança na velocidade inversa à da economia, que vai parando. Tudo turbinado pela proposta de cortes nas aposentadorias e na educação. Assim, era tão fácil prever os esquálidos atos deste domingo quanto cravar que o VAR beneficiará o Flamengo ou o Corinthians.

Os jornalões, porém, criaram uma armadilha para eles próprios. Contrários a pontos do governo que destoam de suas pautas, são tietes da reforma da Previdência, por fatores que tran$cendem a Bolsonaro. Dessa forma, manifestações pró-governo deveriam ser tratadas como atos de apoio à reforma, a Paulo Guedes e a Sergio Moro.

Quando o previsível fracasso foi confirmado, a grande mídia ficou encurralada. O apoio pregado às milagrosas reforma não veio; ficou patente a oposição aos cortes nas aposentadorias. A saída foi brigar com as imagens e padronizar o discurso: a óbvia comparação com os atos de 15 de maio foi reduzida pelos jornalões a uma conta sobre em quantos estados e cidades cada manifestação ocorreu.

Se o ato a favor da educação e contra a reforma da Previdência tinha 250 mil, e o pró-reforma, apenas 3 mil (caso de Belo Horizonte) – incluído o senhorzinho que sai para passear com o cachorro pela Praça da Liberdade – esta inconveniente verdade não vinha ao caso. Eles não assumiriam a manchete óbvia: “Fracassa manifestação a favor da reforma da Previdência”.

 

Peneira

Processo do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), terceirizados e até estagiários de entidades privadas prestadoras de serviços têm acesso a dados protegidos por sigilo fiscal.

 

Avanço de sinal

O TCU considerou irregular o aumento do pedágio cobrado pela Via 040, concessionária que explora a BR-040 (de Juiz de Fora a Brasília). De acordo com o Tribunal, “a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não apresentou fundamentação técnica que justifique a primeira revisão extraordinária da tarifa. Além disso, o cálculo apresentado pela agência não fornece estimativa correta dos custos de investimentos”.

A Concessionária BR-040 S/A, mais conhecida como Via 040, é controlada pela Invepar. O processo é o 025.311/2015-8, acórdão: 1180/2019, que teve como relator o ministro Augusto Nardes.

 

Custo da austeridade

Em 2014, a dívida líquida do setor público equivalia a 32% do PIB, metade (53%, para ser mais preciso) do endividamento deixado por FHC, ensina o economista da Unicamp Marcio Pochmann. Em março de 2019, após quatro anos de política econômica de austeridade, pulou para 54,2%.

 

O povo não é bobo

A Globo é contra Bolsonaro, pois ele afeta alguns interesses, como fatia da publicidade oficial. Mas é a favor dos cortes na Previdência, porque os intere$$e$ são maiores e profundos. Convocou atos como se fossem a favor da reforma. E ficou sem saber o que fazer com o fracasso.

 

Rápidas

O Seminário Nacional de Governança e Compliance acontecerá na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) no próximo dia 7, 8h30 às 12h30 *** Neste sábado, o Carioca Shopping realizará ação gratuita de vacinação contra a gripe em parceria com a Clínica da Família Ana Maria Conceição dos Santos Correia *** Hamilton Vasconcellos, presidente da Comissão de Turismo da OAB/RJ, participará da primeira edição do Comunica Rio, dia 5, de 9h às 20h. Inscrições em encontrocomunicario.com.br *** Neste domingo, a cantora Bruna Barros apresentará seu show Sambalanço, no Bar Boa Praça, a partir das 17h *** A Associação Comercial de Santos (ACS) e Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial farão, entre 24 e 28 de junho, um mutirão para que empresas negociem suas dívidas e resolvam seus conflitos. Os interessados em participar do mutirão devem se cadastrar até o dia 3 de junho na ACS *** O Ibef-Rio realizará o seminário Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – Desafios à Implementação. Será em 6 de junho, 8h30, na sede da entidade (Av. Rio Branco, 156 – 4º andar – ala C).

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Falta de servidores traz prejuízo, inclusive financeiro

Fila de segurados no INSS vai engrossar precatórios em R$ 11 bilhões.

Desmonte do Estado se dá pelas beiradas

Miçangas e espelhos empurram reformas administrativas nos municípios.

O que vale pros precatórios vale pra dívida interna?

Se calotes são defensáveis, poderiam ser estendidos para os títulos públicos.

Últimas Notícias

Distribuição comercial: quais cláusulas e condições mais importantes?

Por Marina Rossit Timm e Letícia Fontes Lage.

Mercado corre do risco em momento de estresse

Se tem uma coisa que o mercado é previsível é com relação ao seu comportamento em momentos de estresse é aversão ao risco. “Nessa...

Petrobras: mais prazo de inscrição no novo Marco Legal das Startups

Interessados em participar do primeiro edital da Petrobras baseado no novo Marco Legal das Startups (MSL) poderão inscrever-se até o dia 12 de dezembro....

Canal oficial para investidor pessoa física na B3

A partir desta sexta-feira, a nova área logada do investidor da B3, lançada em junho, passa a ser o canal que centraliza todas as...

Fitch Ratings atualiza metodologia de Rating de Seguros

A Fitch Ratings, agência de classificação de risco, publicou nesta sexta-feira relatório de atualização de sua Metodologia de Rating de Seguros. Segundo a agência,...