Esquizofrenia ataca os jornalões

As manifestações deste domingo a favor do Governo Bolsonaro foram um estrondoso fracasso, e não há imagem que mostre o contrário. Já era previsível, pois apenas um governo fraco precisa dar uma demonstração de força menos de seis meses após a posse. As pesquisas de opinião também já sinalizavam o fiasco, pois a impopularidade de Bolsonaro já superou a popularidade. Entre os investidores do mercado financeiro, a queda foi ainda maior.

O desabamento do governo avança na velocidade inversa à da economia, que vai parando. Tudo turbinado pela proposta de cortes nas aposentadorias e na educação. Assim, era tão fácil prever os esquálidos atos deste domingo quanto cravar que o VAR beneficiará o Flamengo ou o Corinthians.

Os jornalões, porém, criaram uma armadilha para eles próprios. Contrários a pontos do governo que destoam de suas pautas, são tietes da reforma da Previdência, por fatores que tran$cendem a Bolsonaro. Dessa forma, manifestações pró-governo deveriam ser tratadas como atos de apoio à reforma, a Paulo Guedes e a Sergio Moro.

Quando o previsível fracasso foi confirmado, a grande mídia ficou encurralada. O apoio pregado às milagrosas reforma não veio; ficou patente a oposição aos cortes nas aposentadorias. A saída foi brigar com as imagens e padronizar o discurso: a óbvia comparação com os atos de 15 de maio foi reduzida pelos jornalões a uma conta sobre em quantos estados e cidades cada manifestação ocorreu.

Se o ato a favor da educação e contra a reforma da Previdência tinha 250 mil, e o pró-reforma, apenas 3 mil (caso de Belo Horizonte) – incluído o senhorzinho que sai para passear com o cachorro pela Praça da Liberdade – esta inconveniente verdade não vinha ao caso. Eles não assumiriam a manchete óbvia: “Fracassa manifestação a favor da reforma da Previdência”.

 

Peneira

Processo do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), terceirizados e até estagiários de entidades privadas prestadoras de serviços têm acesso a dados protegidos por sigilo fiscal.

 

Avanço de sinal

O TCU considerou irregular o aumento do pedágio cobrado pela Via 040, concessionária que explora a BR-040 (de Juiz de Fora a Brasília). De acordo com o Tribunal, “a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não apresentou fundamentação técnica que justifique a primeira revisão extraordinária da tarifa. Além disso, o cálculo apresentado pela agência não fornece estimativa correta dos custos de investimentos”.

A Concessionária BR-040 S/A, mais conhecida como Via 040, é controlada pela Invepar. O processo é o 025.311/2015-8, acórdão: 1180/2019, que teve como relator o ministro Augusto Nardes.

 

Custo da austeridade

Em 2014, a dívida líquida do setor público equivalia a 32% do PIB, metade (53%, para ser mais preciso) do endividamento deixado por FHC, ensina o economista da Unicamp Marcio Pochmann. Em março de 2019, após quatro anos de política econômica de austeridade, pulou para 54,2%.

 

O povo não é bobo

A Globo é contra Bolsonaro, pois ele afeta alguns interesses, como fatia da publicidade oficial. Mas é a favor dos cortes na Previdência, porque os intere$$e$ são maiores e profundos. Convocou atos como se fossem a favor da reforma. E ficou sem saber o que fazer com o fracasso.

 

Rápidas

O Seminário Nacional de Governança e Compliance acontecerá na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) no próximo dia 7, 8h30 às 12h30 *** Neste sábado, o Carioca Shopping realizará ação gratuita de vacinação contra a gripe em parceria com a Clínica da Família Ana Maria Conceição dos Santos Correia *** Hamilton Vasconcellos, presidente da Comissão de Turismo da OAB/RJ, participará da primeira edição do Comunica Rio, dia 5, de 9h às 20h. Inscrições em encontrocomunicario.com.br *** Neste domingo, a cantora Bruna Barros apresentará seu show Sambalanço, no Bar Boa Praça, a partir das 17h *** A Associação Comercial de Santos (ACS) e Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial farão, entre 24 e 28 de junho, um mutirão para que empresas negociem suas dívidas e resolvam seus conflitos. Os interessados em participar do mutirão devem se cadastrar até o dia 3 de junho na ACS *** O Ibef-Rio realizará o seminário Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) – Desafios à Implementação. Será em 6 de junho, 8h30, na sede da entidade (Av. Rio Branco, 156 – 4º andar – ala C).

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.

Metroviários de SP param por vacinas e lockdown

Greve de 24 horas pede medidas de prevenção contra Covid para trabalhadores do transporte público.