Etiópia assina acordos de transporte com empresas chinesas

As autoridades do capital da Etiópia, Adis Abeba, concluíram acordos sobre modernização de transporte com duas empresas chinesas, no valor de 29,17 milhões de dólares, informou a imprensa estatal Ethiopia Press Agency (EPA) nesta terça-feira.

Foto tirada em 5 set, 2020 mostra a estação de Lebu da Ferrovia Etiópia-Djibuti na zona rural de Adis Abeba, capital da Etiópia. (Xinhua/Michael Tewelde)

Xinhua - Silk Road

Adis Abeba, 16 mar (Xinhua) — As autoridades do capital da Etiópia, Adis Abeba, concluíram acordos sobre modernização de transporte com duas empresas chinesas, no valor de 29,17 milhões de dólares, informou a imprensa estatal Ethiopia Press Agency (EPA) nesta terça-feira.

“O primeiro acordo, no valor de 15 milhões de dólares, fará com que a administração da cidade de Adis Abeba compre 110 ônibus da principal fabricante de ônibus da China, Yutong, em um período de oito meses”, relatou EPA. “O segundo acordo, um esquema de 14,17 milhões de dólares para modernizar o sistema de transporte público de ônibus da cidade, com dispositivos avançados de informação digital, foi assinado entre a administração da cidade de Adis Abeba e a Hisense TransTech Co., Ltd.”

A Etiópia espera que os dois acordos de modernização de transporte tragam melhorias fundamentais na logística de transporte na capital nacional, por meio da integração de sistemas de tecnologia da informação e comunicação (TIC) de última geração.

No início deste mês, a transportadora aérea nacional da Etiópia, Ethiopian Airlines (ET) anunciou que promoveu uma parceria com a Air Djibuti e a International Djibuti Industrial Park Operation (IDIPO) para iniciar o transporte multimodal mar-aéreo, explicando que o seu acordo fará com que as cargas sejam transportadas de destinos chineses para a Zona Franca de Djibuti pelo mar, e depois elevada por via aérea do Aeroporto Internacional de Djibuti.

O governo etíope identificou o setor de transporte e logística como divisor de águas para manter a trajetória de crescimento econômico do país leste africano. Além disso, foi desenvolvido recentemente um plano de desenvolvimento do setor de transporte de 10 anos, que prevê, entre muitas coisas, a construção de muitos projetos rodoviários e ferroviários. Fim

Leia também:

Fabricante chinesa OPPO lança novos celulares 5G na Arábia Saudita

Xinhua Silk Road
Agência de notícias oficial do governo da República Popular da China.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Comércio da China com países do Cinturão e Rota registra crescimento

Os laços econômicos e comerciais da China com os países ao longo do Cinturão e Rota se fortaleceram significativamente na última década, afirmou Sheng Qiuping, vice-ministro do Comércio da China, nesta sexta-feira.

Produção de chá eletrificada impulsiona indústria de chá na China

A produção de chá eletrificada na Província de Hunan, na região central da China, um dos setores de eletrificação rural promovidos pela State Grid Hunan Electric Power Co., Ltd., está ajudando a indústria local de chá a prosperar em uma forma de produção mais verde e eficiente.

JD.com acompanha sua receita líquida crescer 18% no primeiro trimestre

A gigante do comércio eletrônico da China, JD.com, observou sua receita líquida aumentar 18% ano a ano no primeiro trimestre deste ano, informou o China Securities Journal.

Últimas Notícias

Câmara deve colocar em votação PL que desonera tarifas de energia

Em 2021, o Brasil passou pela pior crise hídrica em mais de 90 anos

Metodologia para participação de investidor estrangeiro

Serão considerados os dados de liquidação das operações realizadas no mercado primário nos sistemas da B3

Fitch eleva rating do Banco Sicoob para AA (bra)

Houve melhora do perfil de negócios e de risco da instituição

Petrobras Conexões para Inovação cria robô de combate a incêndio

Estatal: Primeiro no mundo adaptado para a indústria de óleo e gás

Brasil tenta ampliar diálogo com a UE

Debate da recuperação econômica nas duas regiões e discussão sobre as perspectivas das políticas fiscais