31.1 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

‘Eu vim para confundir’

Mais uma vez vieram os irmãos Batista tumultuar a cena política. Se nas primeiras gravações “vazadas” para o grupo Globo os donos da JBS deixaram o presidente Michel Temer na berlinda, agora sobrou para Dilma, cinco ministros do STF e para o Ministério Público, deixando especialmente mal o procurador-geral, Rodrigo Janot. O que se tem nos áudios até agora é bem distante do material que quase abateu Temer. Os Batista citam Dilma, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, a ministra Cármen Lúcia; mas não há um diálogo gravado com a então presidente, ou com a atual presidente do STF. Apenas insinuações feitas, citações a supostas conversas e relatos que não parecem ter respaldo na realidade.

As revelações podem colocar em risco o acordo fechado com os irmãos Batista, mas não se pode descartar – muito pelo contrário – que eles continuam com protagonismo no caso. Seria muito ingênuo achar que uma gravação comprometedora foi entregue “por engano”. Temer parece sair ganhando com todo o tumulto, assim como integrantes do PMDB e do PSDB, que mais uma vez se livrariam da Lava Jato. É só lembrar o que disseram Jucá, Sarney, Renan: é preciso estancar a sangria (e a PF não achou isto comprometedor). Certo é que a Globo, que esteve na linha de frente contra Temer, agora está contida, como se já tivesse obtido o que queria. Os próximos lances serão decisivos.

 

Seleção

A adoção da TLP a partir do início de 2018 trará a elevação do custo do financiamento de longo prazo no país. Isto porque as expectativas de mercado indicam que a Selic não deve ficar abaixo dos 7% definidos para a TJLP, argumenta Daniel Keller, sócio da UNA Consultoria Econômica.

Além dos juros, os empresários julgam importante que seja feita uma seleção criteriosa para os setores que devem receber apoio, visando às necessidades do país no atual momento em que ainda sofre as consequências da crise. Este é o pensamento da Associação Brasileira das Concessionarias de Rodovias (ABCR), que realiza, dias 12 e 13, seu décimo congresso.

O que a ABCR está pedindo é alguma forma de política de desenvolvimento para o país, o que está fora do horizonte da turma que domina Brasília.

 

Chama os vizinhos

Para o professor de Negociação e Resolução de Conflitos da Fundação Getulio Vargas (FGV), Yann Duzert, os Estados Unidos devem tentar conseguir a todo custo o apoio da China e da Rússia para evitar um conflito com a Coreia do Norte. De acordo com ele, o presidente dos Estados Unidos Donald Trump deve aumentar as sanções e procurar aliados para desmantelar o programa de armas nucleares e mísseis balísticos como foi feito com o Irã.

A análise do professor vai na mesma direção do artigo “O Brasil e a crise norte-coreana”, do desembargador federal Reis Friede, publicado nesta terça no MONITOR DIGITAL.

O professor da FGV diz que Pequim é a razão de sobrevivência do regime norte-coreano, na política e na economia, por ser o destino preferencial de suas magras exportações e o principal fornecedor de petróleo a Kim.

Questionado sobre um possível conflito, Yann Duzert ressalta que é impossível afirmar o que vai acontecer. Segundo ele, o perfil do líder norte-coreano e o de Donald Trump são bem difíceis de ser avaliados. “Qualquer acidente pode desencadear um conflito bélico”, sugere o professor da FGV.

 

Em casa

Quatro meses após entrar no mercado de franquias, a Doutor Feridas já lança a sua segunda unidade no Estado do Rio de Janeiro. O modelo é de atendimento na própria residência dos pacientes. A empresa nasceu na capital paulista, por meio da clínica de mesmo nome comandada pelo médico Evandro Reis, e é voltada exclusivamente para enfermeiros e médicos. O franqueado pode escolher entre dois modelos distintos: consultório e atendimento em casa.

 

Rápidas

O Núcleo de Estágios e Desenvolvimento de Carreiras da FGV e a Fundação Gol de Letra farão, dia 11, o Encontro com Investidores Sociais *** O projeto É Dia de Feira, em parceria com o Quintal da Vanessa, volta ao Passeio Shopping (RJ) nesta sexta e sábado *** O Cers realiza entre 12 e 14 de setembro o 8º Congresso Jurídico Online, com temas centrais o Direito do Trabalho e o Previdenciário. Inscrições em http://mkt.cers.com.br/congresso/index.html *** O Carioca Shopping receberá no dia 10, às 17h, a Orquestra Petrobras Sinfônica (Opes) *** A Câmara Espanhola prorrogou até dia 29 as inscrições do 5º Prêmio de Sustentabilidade: http://camaraespanhola.org.br/sites/default/files/edital_sustentabilidade_2017.pdf

Artigo anteriorA turma de Temer
Próximo artigoAnalisando o VT
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

É hora de radicalizar

Oposição prioriza impeachment, mas sabe aonde quer chegar?.

Soja ameaça futuro do Porto do Açu

Opção por commodities sobrecarrega infraestrutura do país.

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Exportação de cachaça para mercado europeu cresceu em 2020

Investimentos será de R$ 3,4 milhões em promoção; no Brasil, já cerveja deve ficar entre 10 e 15% mais cara em 2021.

UE planeja iniciar gastos de grande fundo de recuperação em meses

Incerteza econômica na Alemanha continua em 2021; economista mantém previsão de crescimento do PIB do país em +3,5%.

Exterior abre positivo e Copom no radar interno

Na Ásia, Bolsas fecharam sem sinal único; Hong Kong registrou avanço de 1,08%.

Índice Ibovespa futuro opera entre perdas e ganhos

No momento, o futuro do índice Ibovespa está em alta de 0,03% e o futuro do dólar está em queda de -0,34%.

Comportamento indefinido

Ontem, logo cedo, Europa seguia a trilha de alta dos mercados da Ásia, o mesmo acontecendo com o mercado americano.