EUA, base de produção da China

33

Springfield, no Estado do Massachusetts, foi um importante centro industrial dos Estados Unidos. Hoje, a cidade comemora a produção da fábrica da CRRC, empresa chinesa que fabrica trens e vagões de metrô. Também a região sudeste de Chicago, no Estado de Illinois, foi um dos maiores centros manufatureiros norte-americanos. Enfrentou os dissabores associados ao declínio do “cinturão enferrujado”. Em 16 de março, a fábrica da CSR Sifang Co Ltd., do mesmo grupo chinês, realizou lá uma cerimônia. O evento anunciava o retorno da indústria de construção de locomotivas à cidade. O operário Sean Williams, membro da terceira geração de construtores de locomotivas, trouxe o seu irmão mais velho à cerimônia. “Sempre tivemos orgulho no metrô de Chicago. No futuro próximo, a velocidade da construção local de trens será ainda maior, pelo que ficaremos ainda mais orgulhosos”, disse ao jornal chinês Diário do Povo.

Para melhor se integrar no mercado norte-americano, a CRRC inaugurou no país bases de produção e desenvolvimento de transportes ferroviários, recrutando e oferecendo formação aos empregados locais. Delas, atende a encomendas como as de Boston, num total de 418 vagões, que deverão ser construídas em Springfield. Em Chicago serão produzidos pelo menos 168 metropolitanos por ano. Desde 2014, quando entrou no mercado norte-americano, a CRRC já atende a cidades como Los Angeles e Filadélfia, além de Boston e Chicago, acumulando um total de 1.359 encomendas de vagões e locomotivas. O presidente da CRRC, Liu Hualong, disse que não só a empresa expandiu a sua presença nos EUA, como foi também materializado um consenso de cooperação no âmbito dos transportes ferroviários entre a China e os EUA.

O futuro da construção ferroviária dos EUA deverá ser caracterizado por uma descendência sino-americana, resume a matéria do Diário do Povo.

Saúde da família

No Dia Mundial da Saúde, comemorado nesta sexta, a Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco) externo suas preocupações com os rumos da política de saúde em nosso país e os riscos para a saúde da população. “Reafirmamos o nosso compromisso com a plena garantia do direito à saúde e com o desafio da construção de um Sistema Único de Saúde (SUS) universal e público. Essas ações e escolhas são inspiradas pelos valores de democracia, justiça e solidariedade.”

A entidade defende a prioridade da Estratégia de Saúde da Família, com extensão do serviço a pelo menos 80% dos cidadãos. “Todos os países que têm Sistemas Nacionais de Saúde, ao modo do SUS, têm mais de 90% de sua população inscrita em equipes de atenção primária com capacidade de realizar prevenção e atendimento clínico.”

A Abrasco afirma que é necessário maior envolvimento da União e dos estados, “pois a municipalização por si não é capaz de assegurar uma oferta integral, equânime e adequada de serviços de saúde e promover a reorganização do sistema em regiões de saúde”. E cita o sucesso do Programa Mais Médicos, uma comprovação desta tese: “Este programa expandiu, em pouco tempo, a cobertura da atenção primária no Brasil em 35%, o que somente foi possível graças a ação direta do Ministério da Saúde sobre o provimento e formação de médicos.”

Saúde francesa

Os empresários franceses estão em busca de oportunidades principalmente nos setores de saúde e farmácia (30%), agroalimentar (16%), tecnologia e informação (13%) e energia e meio ambiente (11%). Os dados são de pesquisa da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB-SP). Os franceses reclamam dos impostos (39,6%) e do marco regulatório e burocracia (25% cada).

Sem amarras

A revisão do decreto que regulamenta a exploração de portos organizados e de instalações portuárias, que deve ocorrer este mês, recebeu apoio do diretor-presidente da Associação de Terminais Portuários Privados (ATP), Murillo Barbosa, na Intermodal 2017. “A lei foi um avanço para o nosso setor, contudo, há necessidade de avanços em relação à segurança jurídica, liberdade de investimentos, redução de custos operacionais e diminuição da burocracia”, destacou Barbosa.

A previsão é que o documento diminua os entraves burocráticos, facilitando os investimentos privados. O mercado espera também que o novo decreto reduza os prazos de tramitação dos processos, tanto no próprio ministério, quanto na Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Rápidas

Mariano Amartino foi designado para o cargo de diretor de Startups da Microsoft América Latina *** Depois de São Paulo, o Rio de Janeiro vai sediar a 17ª Patchwork Design e a Contemporâneo – Exposição Internacional de Arte Têxtil, de 27 a 29 de abril, no Clube Monte Líbano (Av. Borges de Medeiros, 701, Lagoa). Em junho (7 a 10), o evento estará em Curitiba, na Expo Trade Convention Center. Mais informações no site www.bializ.com/patchworkdesign/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui