32.4 C
Rio de Janeiro
sábado, janeiro 23, 2021

EUA: índice do consumidor avançou 0,4% no mês

Bottom line – O índice de preços ao consumidor (CPI) dos EUA avançou 0,4% no mês, em linha com o esperado pelo mercado. Já a leitura subjacente avançou 0,1% em dezembro, também em linha com o esperado.

A média móvel de três meses do subjacente caiu de 0,14% para 0,10%.

 

Comentário – O índice de preços ao consumidor (CPI) dos EUA avançou 0,4% no mês, em linha com o esperado pelo mercado. Já a leitura subjacente avançou 0,1% em dezembro, também em linha com o esperado. A média móvel de três meses do subjacente caiu de 0,14% para 0,10%.

Por dentro do índice, destaca-se especificamente o avanço da parte de bens subjacentes, que aceleraram em relação ao mês passado para 0,15%. Note-se que isto é justificado pelo avanço de 1,36% em vestuário. Por outro lado, veículos usados seguem no processo de ajuste para baixo iniciado há três meses. O mesmo pode ser dito para bens médicos.

No lado dos serviços, moradia mostrou resiliência e dá sinais de estabilidade. Ainda assim, ante o efeito defasado de desemprego e inflação deste grupo, esperamos que este item siga pesando sobre o CPI até o final do primeiro semestre. Serviços médicos registraram leitura negativa pelo quarto mês consecutivo.

As métricas QoQ anualizadas mostram de forma evidente a normalização do CPI Core após o forte avanço por conta do ajuste de preços no terceiro trimestre. A métrica permaence em patamar abaixo do que vigorou ao longo de grande parte do ciclo anterior (ex-2020, obviamente).

Em suma, nosso cenário prospectivo de inflação nos EUA permanece benigno, o que enseja tranquilidade para o Fed ao longo do ano. Poderemos ver alguma aceleração de preço na medida em que a economia reabra por conta de ajuste de oferta e demanda, mas Jerome Powell já deixou clara a intensão do Fed em desconsiderar acelerações temporárias dos preços.

.

Felipe Sichel

Estrategista-chefe do Banco Digital Modalmais

Leia mais:

EUA vivem achatamento da classe média

EUA reabrem programa de manutenção do emprego na pandemia

Artigos Relacionados

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Copom está alinhado com maioria da expectativa do mercado

Considerando foco na inflação de 2022, estamos considerando agora que BC começará a aumentar Selic em maio e não em agosto.

Primeira prévia dos PMI’s e avanço da Covid-19

Bolsa brasileira sucumbe ao terceiro dia de queda, mediante aos temores fiscais.

Exterior em baixa

Queda acontece em meio às preocupações com problemas para obtenções de vacinas.

Más notícias persistem

Petróleo negociado em NY mostrava queda de 2,60% (afetando a Petrobras), com o barril cotado a US$ 51,75.

Mercado reagirá ao Copom e problemas internos

Na Europa, Londres teve alta de 0,41%. Frankfurt teve elevação de 0,77%. Paris teve ganhos de 0,53%.