EUA: inflação ao consumidor ficou acima do esperado em junho

Serviços de transporte avançaram fortemente no mês, subindo 2,05% após queda de mais de 3% no mês anterior.

Opinião do Analista / 15:33 - 14 de jul de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A inflação ao consumidor (CPI) de junho teve leitura acima do esperado pelo mercado tanto nos índices headline como nos subjacentes.

CPI (%MoM): 0,6% (esperado: 0,5%; anterior: -0,1%)

CPI (%YoY): 0,6% (esperado: 0,6%; anterior: 0,1%)

CPI Core (%MoM): 0,2% (esperado: 0,1%; anterior: -0,1%)

CPI Core (%YoY): 1,2% (esperado: 1,1%; anterior: 0,2%)

Por dentro da variação mensal headline, o índice de energia avançou 5% no mês, primeira leitura positiva neste ano. Já alimentação subiu 0,61% no mês.

Por dentro do índice core, que atingiu patamar semelhante de expansão mensal ao que vigorava em janeiro, destaca-se o avanço tanto de bens como de serviços, que avançaram 0,21% e 0,25%, respectivamente. Em termos anuais, ambas as aberturas mostraram quedas comparado com a leitura anterior, bens caindo para -1,08% e serviços caindo para 1,95%.

A parte de moradia teve crescimento mensal menor do que no mês anterior, caindo de 0,2% para 0,13%. Como alertamos anteriormente, mantemos a expectativa de que este componente (~33% do basket) atue como fator de desinflação na virada do ano, dada a defasagem entre a inflação de moradia e o índice de desemprego.

Serviços de transporte avançaram fortemente no mês, subindo 2,05% após queda de mais de 3% no mês anterior. Ainda assim, a variação em 12 meses mostra queda de -7,05% no item.

Olhando para o trimestral anualizado, tanto core como headline permanecem em patamar negativo.

O cenário para inflação permanece benigno dado o elevado grau de desemprego nos EUA. A leitura de hoje, por mais que tenha surpreendido as expectativas de mercado não altera esta projeção. Assim, abre-se caminho para manutenção da política monetária extremamente expansionista por parte do Fed.

.

Felipe Sichel

Estrategista-chefe do Banco Digital Modalmais

Fonte: www.modalmais.com.br

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor