Eunuco e mudo

Enquanto a britânica BBC dá sequência ao maior projeto de expansão de seu Serviço Mundial desde a década de 1940, o Governo Temer vai matando de inanição a EBC – Empresa Brasileira de Comunicação. Moreira Franco – que ganhou status de ministro para ter foro privilegiado e escapar de um passeio a Curitiba – pretende acabar com a TV Brasil, demitindo de uma só tacada 1,5 mil funcionários. Vindo de onde vem, o plano é mais um entre as ações para desmontar o Estado e gerar dinheiro para o setor privado. Mas quem plantou esta ideia tem interesses mais estratégicos. Pretende retirar o Brasil de qualquer disputa pela circulação de informações no mundo, deixando espaço livre para os grandes meios de comunicação dominados pelas potências ocidentais.

O Serviço Mundial da BBC transmite conteúdo jornalístico ao redor do mundo em 29 línguas, para 246 de milhões de pessoas semanalmente. Agora adicionará 11, verdadeiros dialetos como marathi (Índia) e iorubá (Nigéria, Benim, Togo e Serra Leoa). A expansão consumirá 289 milhões de libras (R$ 1,17 bilhão) recebidos com esse fim em financiamento do governo britânico. A agência chinesa Xinhua transmite noticiário em sete línguas, tem mais de 100 escritórios em 140 países e dezenas de milhares de funcionários. Tal qual a BBC, é uma ferramenta para expandir a presença de seu país – parte do soft power.

A Agência Brasil, da EBC, tem notícias em duas línguas (espanhol e inglês) além do português e não teve nem orçamento para enviar um representante ao importante Fórum de Mídia do Brics, realizado em junho na China.

 

Perdas

A saída da Petrobras do mercado de etanol ajuda a explicar a queda na participação da empresa na venda de combustíveis. O álcool compensa a redução no consumo de gasolina. Em 2015 foram vendidos 17,9 bilhões de litros de etanol.

Também o abandono do biodiesel sofre críticas. Além dos benefícios ecológicos, gera emprego e renda, permitindo desenvolver a agricultura familiar. O consumo deste combustível atingiu 4 bilhões de litros em 2016.

 

Informalidade ilegal

Muitos analistas citaram como exemplo do aumento de emprego informal o crescente número de motoristas de Uber. Informal no Brasil. Em outros países, tidos como muito mais liberais na legislação trabalhista que o nosso, os trabalhadores que dirigem para a empresa têm tido alguns direitos reconhecidos.

Nos EUA, tribunais estaduais apoiaram o pleito dos empregados, que poderão receber horas extras e ter garantido um salário mínimo. No Reino Unido, o Uber foi condenado a garantir férias, remuneração e outros benefícios a alguns motoristas. A empresa recorreu e este mês deverá haver audiência na justiça para ouvir ambos os lados, mas as chances da companhia não são grandes.

No mundo, ganha corpo a tese de que não há informalidade, e sim ilegalidade.

 

Acordo no comércio

O SindilojasRio e o Sindicato dos Comerciários assinaram nesta sexta-feira a Convenção Coletiva de Reajuste Salarial dos empregados cariocas. O reajuste concedido é de 4%. A diferença salarial, retroativa a maio de 2017, deverá ser paga até outubro.

O piso único será de R$ 1.150; garantia do comissionista de R$ 1.265; ajuda de custo de R$ 27; quebra de caixa de R$ 52; lanche aos sábados, domingos e feriados no valor de R$ 18; e auxílio-creche de R$ 190 (empresas com até 50 empregados) e R$ 210 (mais de 50 empregados).

 

Rápidas

O Magazine Luiza abriu inscrições para seu processo de seleção de Trainee de 2018. Inglês intermediário é um requisito. Inscrições até 22 de setembro pelo link: http://www.99jobs.com/magazine-luiza/jobs/11148-programa-trainee- *** A biofarmacêutica global Bristol-Myers Squibb anuncia a contratação de Bruno Macedo como Diretor Financeiro no Brasil *** O Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV vai realizar o Terceiro Seminário de Análise Conjuntural de 2017, dia 11 próximo, no Rio. Inscrições: http://portalibre.fgv.br *** Questões atuais sobre a recuperação judicial de empresas e as propostas da Fiesp para aperfeiçoamento da Lei 11.101/2005 estarão em debate nesta segunda-feira, das 8h30 às 13h30, na sede da avenida Paulista, 15º andar *** Nei Lopes, mais conhecido como sambista e compositor, é um estudioso das questões afro-brasileiras, autor de duas enciclopédias, romances, poesias. Agora, lançará o livro de contos Nas Águas desta Baía Há Muito Tempo Contos da Guanabara (Record), com roda de samba, no dia 7 de setembro, a partir das 14 horas, na Livraria Folha Seca (rua do Ouvidor, 37, Centro, RJ).

Artigo anteriorSuperfaturamento na propina
Próximo artigoA turma de Temer
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Juntar 2 meses e meio de auxílio para comprar cesta básica

Não só a pandemia, mas inflação é ameaça às pretensões de Bolsonaro.

Se mirar Nordeste, Bolsonaro atingirá o próprio pé

Região tem menor média de casos e óbitos causados pela Covid.

Neodefensores do trabalhador ignoraram crise

Desemprego já era estratosférico em 2019, e apoiadores de Guedes nem ligavam.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Campos marítimos do pós-sal estão em decadência

Os campos marítimos do pós-sal já produziram cerca de 16 bilhões de barris de óleo equivalente ao longo de sua história, ou seja, 63%...

Motoboys protestam em São Paulo

Entregadores tomaram ruas de São Paulo contra baixa remuneração e péssimas condições de trabalho

BC altera norma para segunda fase do open banking

Medida complementa regulamentação que estabelece requisitos técnicos de fase que vai permitir compartilhamento de dados e transações de clientes.

Confiança do consumidor medida por Michigan ficou abaixo do esperado

Índice registrou leitura de 86,5 na prévia de abril e o esperado era 89.

Escolha de conselheiros da ANPD preocupa por conflito de interesses

Entre os indicados há diretores e encarregados de dados pessoais de grandes empresas da internet.