Experiência

A idéia de passar a cobrar o novo ICMS no destino, e não na origem, mereceu críticas do ex-secretário da Receita Federal Osiris Lopes Filho, que participou sexta-feira do seminário sobre reforma tributária na Câmara dos vereadores do Rio. Osiris destacou que a Comunidade Européia tentou implantar esse sistema em 94, quando foram abolidos os controles de fronteira entre países membros. O resultado foi um aumento fantástico da sonegação. Produtos que sairiam de Portugal com destino à Itália, por exemplo, acabavam ficando mesmo em terras lusas. A tentativa de fiscalizar com uso intensivo de computadores esbarrou na diversidade de línguas e tecnologias dos países europeus. Agora tenta-se passar para tributação na origem.
Terrinha
Ainda no seminário sobre reforma tributária, sobraram críticas à fixação de uma alíquota máxima do IPTU no relatório do deputado Mussa Demes (PFL-PI). O motivo da alíquota ter sido fixada pelo relator foi prosaico: o deputado acha muito elevada a taxação sobre algumas “terrinhas” que possui no Piauí.

Eureka
As votações desta semana no Congresso removem a última trincheira do Governo contra o aumento do mínimo: a suposta falta de fontes de financiamento. Com a aprovação da Desvinculação de Receita da União (DRU), o Governo terá R$ 41 bilhões limpos para investir como bem quiser. Basta não torrar tudo no pagamento de juros com a banca que dá para dar um aumento mais digno ao mínimo.

Devagar
O governador Garotinho vai ter de trocar o gogó por serviços prestados à população se quiser que sua candidatura a presidente da República seja levada a sério. Na última pesquisa CNI-Ibope, Garotinho limitou-se a 5% das intenções do votos, à frente apenas do ministro José Serra, o que não é nenhuma façanha. Na última eleição para prefeito de São Paulo, Serra ficou em quinto lugar, atrás, inclusive, dos votos nulos e em branco.

Passado
A Lei de Responsabilidade Fiscal se encaixaria muito bem no período da ditadura. A afirmação é do ex-secretário da Receita Federal Osiris Lopes Filho, que participou sexta-feira do seminário sobre reforma tributária, na Câmara dos Vereadores do Rio. Osiris criticou a centralização que a lei provoca e a subordinação das unidades federativas à União, movimentos incompatíveis com a democracia que o País vive.

Artigo anteriorPrioridades
Próximo artigoDura lex
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

União perde bilhões de dólares no petróleo

Lei isentou campo mais produtivo de pagamento de participações especiais.

Taxa de carbono vai custar quase € 800 mi à Turquia

Barreira ambiental da União Europeia é alerta para o Brasil.

Sonho da casa própria fica mais distante

Contratação de moradias com recursos do FGTS cai ano após ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

EUA: 3,5 milhões de despejos

Mais de 3,5 milhões de norte-americanos estão ameaçadas de despejo poucos dias após o término da prorrogação da medida de proteção aos inquilinos inadimplentes...

STF dá prazo para Bolsonaro explicar bloqueio de jornalistas

O presidente da República terá 10 dias para explicar o bloqueio de jornalistas em seu perfil no Twitter. O prazo foi estipulado pela vice-presidente...

Bolsonaro descarta tributar grandes fortunas

A possibilidade de instituir imposto sobre grandes fortunas, tabelamento de preços ou aumento de carga tributária no Brasil foi descartada nesta segunda-feira pelo Jair...

Só 3,5% das empresas têm mulheres como CEO

BR Rating ouviu 486, sendo 57% de capital nacional e 43% multinacionais Apenas 3,5% das corporações têm mulheres atuando como CEOs, uma prova de que...

Brasil pode ser principal player para investimentos verdes

“Atualmente, estima-se R$ 30 bilhões em gestão de títulos verdes no país, com grande potencial de crescimento, frente a US$ 1 trilhão de recursos...