Explosivo

A Internet deve movimentar US$ 507 bilhões nos Estados Unidos em 99, mais do que setores como telecomunicações (US$ 300 bilhões) e aéreo (US$ 355 bilhões). A estimativa consta de pesquisa divulgada pela Cisco Systems. O volume de negócios conduzido diretamente na Internet aumentou 127% no período entre o primeiro trimestre de 1998 ao primeiro trimestre de 1999. Atualmente as transações comerciais na rede são responsáveis por 2,3 milhões de empregos. O estudo, que é a segunda avaliação da economia da Internet feita pelos economistas da Universidade do Texas para a Cisco, revelou que das 3.400 empresas entrevistadas, mais de um terço não existia antes de 1996. Essas novas empresas empregam hoje 305 mil pessoas.

Na rua
Completam-se hoje quatro meses que o ministro da Reforma Agrária, Raul Jungmann, esteve no Rio e prometeu assentar 800 famílias de trabalhadores sem-terra acampadas no estado. Ninguém foi assentado e o número de famílias cresceu 50%. Em protesto, trabalhadores do MST acampam hoje em frente à Superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Cerca de 200 lavradores virão das cidades de Campos, Cachoeiras de Macacu, Resende, Cardoso Moreira e Barra Mansa.

Guerreiro
Internado na Casa de Saúde São José, o líder do PDT na Câmara Municipal, vereador Lysâneas Maciel, está vencendo mais uma batalha. Sua recuperação está surpreendendo a equipe médica. O “guerreiro Lysâneas”, como ficou conhecido na Casa, segundo seus assessores, já está preparando algumas emendas para o orçamento do ano 2000, a ser votado no mês dezembro. “Vou voltar com toda força. Quem me conhece sabe que sou chato. Não vou me deixar vencer facilmente”, comentou Lysâneas.

Negociação
Muito eficiente e prestativo com os interesses dos grandes grupos de interesse, sobretudo estrangeiros, a direção do BNDES não tem o mesmo desprendimento com seus funcionários. Depois de quase dois meses sem uma resposta às reivindicações salariais dos funcionários, o banco propôs ontem, na última hora, a reabertura de negociações.
Com isso, foi suspensa a greve prevista para hoje. Sem aumento ano passado, os empregados reivindicam 23,07% de reajuste (11,81% referentes aos últimos 12 meses, mais 10,07% relativos às perdas desde 1994). Eles interromperam as atividades na tarde de sexta-feira, quando aprovaram a greve, agora suspensa.

Cancelados
Cerca de 6,2 milhões de títulos eleitorais devem ser cancelados a partir do próximo dia 20. Terminou ontem a campanha nacional, iniciada dia 6 de agosto, para que os 6,531 milhões de eleitores que não votaram nas três últimas eleições procurassem a Justiça Eleitoral para regularizar suas situações. Entretanto, a estimativa do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de que a regularização chegue aos 300 mil títulos. Técnicos estimam, a princípio, que 3,5 milhões dos títulos em falta se referem a eleitores que já morreram. O restante, porém, podem ser “fantasmas”. O cadastro atualizado, segundo o presidente do TSE, ministro Néri da Silveira, “é o primeiro passo para uma eleição sem fraude.”

Sujeira no trânsito
A Comlurb deveria convocar para um curso de direção defensiva o motorista do caminhão LHW-4226 da companhia. No fim da tarde de ontem, ele quase causou um grave acidente perto da Praça da República, por falta de atenção. Felizmente, sua irresponsabilidade resultou apenas num espelho quebrado do motorista do carro sobre o qual jogou o caminhão, sem sinalizar ou olhar pelo retrovisor.

Sublimação
Ex-assessor econômico da candidatura de Brizola à presidência, o economista Carlos Alberto Cosenza, da UFRJ,  disse achar o PT um “um partido sublimado”. “Ele é um movimento no sentido social. Não é um partido político. Acho ele muito leve para ser um partido. É uma poesia”, avalia. Para o economista, se o PT chegar ao poder, vai ter dificuldades para implementar suas propostas. Não porque elas não sejam viáveis, destacou, mas porque pelas “pressões imensas dos elementos que estão no poder, que colocaram em prática um processo de globalização irresponsável e fizeram uma abertura desnorteada”.

Troca-troca
Avaliação feita por um ultra-pesado empresário paulista sobre a possibilidade de desenvolvimento e a mudança de postura do BNDES: “Tiraram o homem da empreiteira e o homem do ACM e colocaram o homem do ACM e o homem da empreiteira. Assim não vai mudar nada”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRuído
Próximo artigoReis do Orçamento

Artigos Relacionados

Os EUA lavam mais branco

Lavagem de dinheiro através de imóveis tem poucos obstáculos na pátria de Tio Sam.

Apagão já foi tragédia, volta como farsa

Modelo de mercantilização da energia é o culpado.

Volume de reservatórios pode cair a 6% em novembro

Quadro crítico poderá ser alcançado em 2 meses, mesmo com tarifaço.

Últimas Notícias

Reforma do IR trará impacto negativo para o caixa das empresas

O projeto de reforma tributária do Imposto de Renda aprovado na Câmara no início de setembro merece atenção especial do setor produtivo. O alerta...

A paz é o caminho

Por Paulo Alonso.

Setor farmacêutico ganha aliado para agilizar contratações

Farmácias e drogarias passaram a integrar o aplicativo Closeer, responsável por conectar empresas e trabalhadores autônomos. Oportunidades de trabalho no segmento devem crescer até...

Taxa de desemprego entre os mais pobres é de 36%

Queda em renda indica aumento na desigualdade durante a pandemia; jovens já são 42% dos empregos temporários no primeiro semestre.