Exportação de café gera US$ 5,01 bi de receita cambial em 12 meses

Foram vendidas ao exterior 39,82 milhões de sacas de 60kg ao preço médio de US$ 126 a unidade entre março de 2019 e fevereiro de 2020.

Conjuntura / 15:41 - 31 de mar de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

As exportações dos cafés do Brasil, no período de março de 2019 a fevereiro de 2020, incluindo as espécies de café arábica e de conilon, atingiram um volume físico equivalente a 39,82 milhões de sacas de 60kg, que geraram receita cambial de US$ 5,01 bilhões, a qual, se convertida em reais, corresponde ao montante aproximado de R$ 20,19 bilhões. Nesses últimos 12 meses em destaque, o preço médio da saca de café vendida ao exterior foi de US$ 125,77 e, em moeda corrente nacional, essa cotação média foi o equivalente a R$ 506,98.

Nesse contexto, os volumes de cafés vendidos ao exterior e suas respectivas receitas cambiais, nos últimos cinco anos, considerando os meses de janeiro a dezembro, foram, respectivamente: 37,02 milhões de sacas de 60kg com receita de US$ 6,16 bilhões, em 2015; 34,27 milhões de sacas e US$ 5,45 bilhões, em 2016; 30,93 milhões de sacas e US$ 5,25 bilhões, em 2017.

Na sequência desse quinquênio, em 2018 o volume físico exportado somou 35,64 milhões de sacas, com US$ 5,15 bilhões; e, por fim, destaque-se que, a despeito do recorde do volume físico de café exportado de 40,69 milhões de sacas em 2019, a receita cambial nesse ano, em dólares, foi de apenas US$ 5,11 bilhões, ou seja, a menor receita cambial registrada nos cinco anos objeto dessa análise.

Esses números da performance das exportações brasileiras de café, entre outros dados relevantes do setor, constam do Relatório mensal fevereiro 2020, do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor