Exportações do agronegócio rendem US$ 5,8 bi em janeiro

Vendas externas tiveram recuo de 9,4%; importações do setor caíram apenas 1,6%.

Negócios Internacionais / 18:16 - 17 de fev de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

As exportações do agronegócio totalizaram, em janeiro, US$ 5,8 bilhões, recuo de 9,4%. O setor participou com 40,4% do total das exportações brasileiras. As importações do setor somaram US$ 1,2 bilhão (-1,6%) e desta forma o saldo da balança ficou em US$ 4,6 bilhões, de acordo com levantamento da Balança Comercial do Agronegócio, elaborado pela Secretaria de Comércio e Relações Internacionais (SCRI) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

A queda nos preços dos produtos do agronegócio exportados pelo Brasil, de 7,4%, foram a razão preponderante para a redução das vendas externas em janeiro, segundo análise da Secretaria. Também ocorreu redução na quantidade comercializada para o exterior, que declinou 2,2% na comparação do mês de janeiro de 2019.

As vendas externas de carnes (bovina, suína e de frango), açúcar e algodão, no primeiro mês do ano, ajudaram a compensar, em parte, a queda nos produtos do complexo soja (grãos, farelo e óleo) – 31% e dos produtos florestais (celulose, papel, madeira e suas obras) – 33,8%.

As carnes foram responsáveis por 23,2% do total exportado e atingiram US$ 1,35 bilhão (30,9%). A carne bovina foi a principal carne exportada, com US$ 631,5 milhões (+38,1%). Tanto o valor exportado como o volume, 135,3 mil toneladas, foram recordes para os meses de janeiro.

A carne suína também foi destaque com aumento de 79,9% no valor exportado (US$ 163,30 milhões) com 67,7 mil toneladas (42%). Já a carne de frango somou US$ 522,0 milhões, alta de 17%.

As vendas externas de açúcar subiram 55,8%, para US$ 470,25 milhões, com a quantidade de 1,6 milhão de toneladas (50,4%).

 

STF: trading tem imunidade tributária

Por unanimidade, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, no dia 12 passado, que empresas conhecidas como trading companies (empresas comerciais que atuam como intermediárias entre empresas fabricantes e empresas compradoras, em operações de exportação e importação) têm direito à imunidade tributária na exportação de produtos. Com a decisão, esse tipo de empresa não poderá ser tributada quando realizar operações de intermediação de venda de mercadorias de produtores brasileiros para o exterior.

O caso foi decidido pela Corte em duas ações movidas por associações e empresas ligadas ao agronegócio, setor que mais utiliza esse tipo de operação. As entidades questionaram no STF a legalidade da Instrução Normativa 971/2009, da Receita Federal, que definiu que a isenção de contribuições sociais vale somente para produtores que fazem a operação de exportação de forma direta. Dessa forma, quem utiliza as empresas que fazem a intermediação da venda deveria pagar os tributos.

 

Gulfood 2020 tem 14 agroindústrias brasileiras

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), liderará um grupo com agroindústrias exportadoras de proteína animal durante a Gulfood 2020, maior feira de alimentos do Oriente Médio, programada entre os dias 16 e 20 de fevereiro, em Dubai (Emirados Árabes Uidos). Ao todo, 14 agroindústrias participam da ação. São elas: Agroaraçá, Aurora Alimentos, Avenorte, Bello Alimentos, BRF, Coasul, Copacol, Granja Faria, GTFoods, Integra, Naturovos, Netto Alimentos, Pamplona Alimentos e Vibra.

A ação contará com um espaço de cerca de 370 metros quadrados, com salas e total estrutura para a realização de encontros de negócios para as empresas participantes dos projetos setoriais Brazilian Chicken, Brazilian Egg e Brazilian Breeders – marcas internacionais da avicultura do Brasil. Em um amplo espaço gastronômico, os visitantes poderão apreciar o sabor dos produtos brasileiros em omeletes e shawarma (cortes de frango servidos em pão sírio).

Durante a ação, a ABPA realizará encontros com associações de importadores e stakeholders do mercado islâmico, para reforçar as parcerias entre as nações importadoras e o Brasil, o maior produtor e exportador de carne de frango halal do mundo. Os visitantes também receberão materiais informativos sobre o setor produtivo, com dados sobre a qualidade, o status sanitário e o perfil sustentável da produção brasileira, além do contato das empresas exportadoras.

Dubai é um hub internacional e a Gulfood também exerce este papel: é um ponto de encontro mundial de produtores e exportadores de alimentos. Lá, recebemos importadores de todo mundo, especialmente dos países árabes e da Ásia. É uma oportunidade fundamental para o planejamento dos negócios e a ampliação da pauta exportadora do Brasil”, ressalta Ricardo Santin, diretor-executivo da ABPA.

 

Apex-Brasil fará webinars sobre o Brexit

A Apex-Brasil e o MRE realizarão na quinta-feira (20), às 11 horas, seu primeiro seminário online sobre o Brexit. O evento Brexit Webinars é resultado de um programa de acompanhamento e análise da Apex-Brasil sobre o tema em parceria com a Embaixada de Londres sobre os possíveis impactos a serem enfrentados pelas empresas brasileiras. A série de webinars visa apresentar às empresas brasileiras o panorama das relações comerciais com a saída do Reino Unido da União Europeia, incluindo o cronograma do processo do Brexit, pontos de atenção sobre alterações na regulamentação, mudanças previstas para o setor de alimentos e recursos da plataforma Brazil Brexit Watch.

O debate online terá como convidados especiais o ministro conselheiro Roberto Doring, da Embaixada do Brasil em Londres, e outros diplomatas especialistas no tema. A transmissão será realizada pela plataforma de webinar da Apex-Brasil, Passaporte para o Mundo. A moderação do debate será feita por Patrícia Steffen, analista de mercado da Apex-Brasil.

O Brexit é o processo de saída do Reino Unido da União Europeia iniciado em 2017 e com previsão para terminar em dezembro de 2020. O Reino Unido é a quinta maior economia mundial e suas importações somaram US$ 673,1 bilhões em 2018. Cerca de 1.700 empresas brasileiras já exportam para o Reino Unido, com um resultado em torno de US$ 3 bilhões de exportação em bens em 2019.

Com a saída do país da União Europeia, as empresas brasileiras do setor de alimentos poderiam conquistar participação de mercado pertencente a exportadores de outros países da União Europeia. Em torno de 50% do que o Reino Unido consome em alimentos é oriundo de importações. São estas e mais outras questões que serão tratadas no Brexit Webinars.

Os participantes interessados em enviar previamente perguntas sobre o assunto podem fazê-lo encaminhando uma mensagem com nome, nome da empresa e pergunta para o e-mail inteligencia@apexbrasil.com.br até o dia 18 de fevereiro. As perguntas serão compiladas e encaminhadas aos palestrantes para que, havendo possibilidade, sejam consideradas em suas exposições. No ato da inscrição será necessária a instalação da plataforma para a videoconferência. Reserve em torno de 30 minutos para realizar a instalação e registro do seu acesso na plataforma.

Importante: Não haverá uma transmissão local na Sede da Apex-Brasil, nem uma sala reservada para assistir o evento.

 

Plataforma Passaporte para o Mundo

O Passaporte para o Mundo é uma plataforma online que disponibiliza uma ampla base de informações sobre negócios internacionais, com conteúdo de alta qualidade, produzido pela Apex-Brasil e por seus parceiros. A plataforma oferece orientações de negócios, videoaulas, webinars, estudos, informações sobre mercados e espaço para networking com especialistas. Tudo isto em um só lugar para dar ao empresário um conteúdo completo e estratégico para a gestão de negócios internacionais

Mais informações: portal.apexbrasil.com.br

 

Contato com o colunista: pietrobelliantonio0@gmail.com

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor