Fake news na mídia dos outros é refresco

Desde 2006 circula na imprensa brasileira boato sobre a presença da organização libanesa Hezbollah na região da Tríplice Fronteira (Brasil, Argentina, Paraguai), que atuaria no contrabando de cigarros e tráfico de drogas e armas. A fonte é um think tank norte-americano, a Fundação de Defesa da Democracia (FDD).

Emplacada a notícia, a FDD foi adiante. No ano passado, Emanuelle Ottolenghi, membro da Fundação, falou que o Hezbollah estaria atuando em parceria com o PCC. Não há nenhum dado que corrobore a informação. No máximo, citação a vagas “fontes da Polícia Federal”.

Faltou algo básico no jornalismo: conferir a isenção da fonte. A FDD é uma pequena, mas atuante ONG de direita pró-Israel, fundada após o 11 de Setembro, que promove a Guerra contra o Terror e defende a invasão da Síria e do Irã. Nas palavras da própria Fundação, “transforma ideias em ação e políticas concentrando esforços onde as opiniões são formadas, e as decisões, tomadas”.

Deve-se a um órgão de comunicação francês, a RFI, jogar um pouco de jornalismo nas fake news. Entrevistou o chefe do Departamento de Relações Internacionais da PUC de São Paulo, Reginaldo Nasser, para quem uma sociedade entre o Hezbollah e o PCC é improvável. “Há toda uma conjuntura política muito específica no Líbano e, por não ter interesses políticos no Brasil, não vejo por que a organização libanesa se associaria ao PCC.”

Nasser lembra que o Hezbollah tem deputados e ministros atuantes no governo libanês, é uma organização reconhecida por uma boa parte do Oriente Médio e tem o objetivo político de controlar o poder do país. “O Hezbollah não é uma organização que atua internacionalmente. Ela exerce atividades no Líbano e nas fronteiras com Israel. Tudo o que se fala sobre o Hezbollah fora desse território ainda é pura especulação”, diz.

 

Abolição

Os 130 anos da Abolição da Escravatura no Brasil serão lembrados em evento que o Arquivo Nacional realizará de 8 a 12 de maio. Serão expostos os documentos originais da Lei Áurea e da Lei do Ventre livre. Está prevista uma série de shows de grupos afro-brasileiros, uma exposição com 40 itens do acervo do período da escravidão, uma mostra de cinema em homenagem a Nelson Pereira dos Santos (cujos originais dos filmes estão guardados no Arquivo Nacional) e um Seminário sobre Pós-Abolição com curadoria da pós-doutora Helena Theodoro. O evento faz parte do calendário de comemoração dos 180 anos do Arquivo Nacional, que fica na Praça da República, no Centro do Rio.

Durante toda a semana, a partir das 18h30, serão realizados shows de grupos como o Cordão da Bola Preta, roda de choro com Silvério Pontes e Choro na Rua, Afoxé Filhos de Ghandi, Rio Maracatu, Bloco Afro Lemi Ayó, Duelo do Passinho, Jongo de Pinheiral e Companhia de Aruanda.

A programação culmina no sábado com o evento da Rede Globo, “Programão Carioca”, que prevê vários shows, dentre eles uma roda de samba.

 

Abolição?

A TV Globo está mostrando cenas de sua próxima novela. A trama acontece, hipoteticamente, na Bahia, mas as imagens não exibem personagens negros.

 

Rápidas

A FGVInvest realiza na quinta-feira que vem, às 19h30, debate sobre o mercado de arte no Brasil. Será na Rua Itapeva, 432 – 4° andar – Salão Nobre *** A FGV Dapp organiza, no mesmo dia, debate sobre transparência e dados abertos. Na ocasião, será lançado o Índice de Dados Abertos para Cidades 2018, desenvolvido em parceria com a Open Knowledge Brasil (OKBr). A partir de 14h, na sede de Botafogo (RJ) *** Neste sábado, o Pátio Alcântara apresenta a peça infantil As aventuras do Menino-Gato e Corujita, a partir das 16h30. E no domingo, o Shopping Jardim Guadalupe recebe a peça infantil Deu a Louca na Mamãe, às 16h *** A próxima edição da Feira Rio Antigo acontece neste sábado, a partir das 10h. Na tradicional mostra, cerca de 400 expositores tomam conta da Rua do Lavradio *** Mais de 5 mil pessoas são esperadas no Festival de Empreendedorismo da Fiesp, nestes domingo e segunda-feira, na sede da Fiesp, na avenida Paulista. Programação em http://hotsite.fiesp.com.br/FestEmp2018/ *** A Comissão de Trabalho da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) fará uma audiência pública nesta segunda-feira, às 11h, com o tema “Tratar do equacionamento do déficit do Fundo de Pensão dos Empregados da Petrobras”.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Preços ao consumidor de março avançaram mais que esperado

Veículos novos registraram o segundo mês consecutivo sem variação, enquanto os usados apresentaram variação positiva.

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.