‘Falida é a sociedade que prefira ignorância ao conhecimento’

A universidade pública não está falida. Falida estará a sociedade brasileira, se renunciar à autonomia científica em favor de uma subordinação a interesses estrangeiros, se optar pela discriminação e não pela colaboração científica, cultural, acadêmica, se renunciar enfim às condições de procura e de produção da verdade. Repito. A universidade pública brasileira não é um projeto falido. Falida estará sim a sociedade que prefira a ignorância ao conhecimento, que renuncie à ciência e à cultura em favor do preconceito e do obscurantismo.” A fala contundente é do reitor João Carlos Salles (UFBA), presidente da Andifes, em audiência pública da Câmara dos Deputados, na semana passada.

O presidente da associação dos reitores das federais afirmou que os que procuram resultados imediatos, não têm os olhos no futuro comum. “A universidade pública é o lugar da produção científica em nosso país. Ela é a fonte de tecnologia e inovação. Ela é também o lugar de reflexão sobre a sociedade e de representação de políticas públicas. Ela é o lugar de críticas, de criação, de arte e cultura. É critério para o que é qualidade acadêmica, sendo pautada por objetivos postos em comum pela sociedade e gerida com transparência e, vale enfatizar, conforme valores e princípios democráticos.”

João Carlos Salles não se furtou a apontar problemas. Um deles, que a universidade pública divulga mal seus resultados. “Continua seu trabalho, como se fosse pacífico seu valor e inconteste a necessidade de mais e mais investimentos”, criticou. Mas destacou o compromisso inegociável com a ciência brasileira.

 

Não é nada, não é nada…

Destoando do mercado financeiro, do governo e de economistas, a FGV acredita que o PIB brasileiro crescerá 1,1% este ano. As estimativas dos demais giram em torno de 0,8%–0,9%. A diferença, na verdade, pouca importância tem além do simbolismo de que o Brasil não cresceu ainda menos do que no Governo Temer.

 

Carro 4.0

A indústria automotiva está em um ponto de inflexão, com queda na venda de veículos, aponta o estudo “Direct: A new way for OEMs and dealers to thrive in times of disruption”, da consultoria Accenture, em que discute o futuro do segmento, que enfrenta quatro megatendências, de prazos distintos de realização: veículos elétricos, veículos sem motorista, conectividade e economia compartilhada.

Pesquisas revelam que 20% dos consumidores estão insatisfeitos como o modelo de negócios de como os veículos nesse momento estão sendo vendidos. Assim, o texto sugere a prática de um modelo complementar de vendas, mais informatizado e com utilização intensa de online.

Um desafio para o segmento e uma boa referência para o setor de seguros”, conclui o consultor Francisco Galiza, da Rating de Seguros.

 

Já ouviu falar no DPO?

Organizar-se para proteger pessoas queridas, assegurar bichos de estimação e limitar riscos aos seus bens. Estes são alguns dos usos do Documento Prático Organizacional (DPO). Nele, pode-se reunir dados e documentos para os momentos em que não estiver presente. Serve também para indicar um conjunto de ações práticas a serem executadas no caso de imprevistos.

A Gouvêa Advogados Associados (GAA) oferece uma cópia gratuita do DPO Básico para livre preenchimento. Basta encaminhar e-mail para marketing@gouveaadvogados.com.br ou mandar mensagem no WhatsApp (21) 99687-5880.

 

Arrocho renovado

Fonte muito próxima a Paulo Guedes garante que, agora que o desmonte da Previdência foi concluído, o governo enviará logo ao Congresso projeto retomando as medidas contra direitos trabalhistas que foram rejeitadas na votação da MP 881, a da “Liberdade Econômica”.

 

Rápidas

Nesta quinta-feira, às 15h, no Clube de Engenharia, debate sobre “A Base de Alcântara e a Soberania Nacional depois do Acordo” *** Também na quinta, das 10h às 15h, em parceria com a Secretaria de Saúde de São João de Meriti, o Shopping Grande Rio receberá uma unidade móvel para realização de exame preventivo *** O Carioca Shopping recebe 14ª edição da Expo Noivas e Festas Diga Sim de 25 a 27 de outubro *** O presidente da Associação Nacional das Administradoras de Benefícios (Anab), Alessandro Acayaba de Toledo, participa, nesta quinta-feira, em São José do Rio Preto (SP), do I Congresso Brasileiro de Direito Médico Faceres. Comporá a mesa que debaterá a postura do Poder Judiciário na área de saúde.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Argentina fechará com China parceria do Cinturão e Rota

Iniciativa pode ser pontapé inicial para desenvolvimento e integração da América Latina.

G20 analisa aumentar taxação de corporações, mas…

Proposta tem que ser vantajosa para todos, não só para as sedes das multinacionais.

Botes salva-vidas para a classe A

No mundo de negócios, é tudo uma questão de preço.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Castello Branco diz adeus à Petrobras

Assembleia de acionistas da estatal aprovou a destituição.

Alerj pede ao STF suspensão do pagamento de dívida na pandemia

Alerj estima que desde março de 2020, quando se iniciou a pandemia, o Estado do Rio já quitou R$ 1 bilhão em juros da dívida com a União.

Governo Bolsonaro tumultua e população vive drama para receber auxílio

Consórcio do Nordeste, formado por todos os governadores da região, defende que governo descentralize pagamento do benefício.

Indústria do cimento cresce 19% no 1º tri

Mau desempenho no primeiro trimestre de 2020, em razão das fortes chuvas e do início da pandemia, frente ao mesmo período de 2021, refletiram na alta do setor.

Metroviários de SP param por vacinas e lockdown

Greve de 24 horas pede medidas de prevenção contra Covid para trabalhadores do transporte público.