Falta de matéria-prima afeta estoques de cerveja em supermercados

Vendas no setor supermercadista caíram, o que faz com que os estoques estejam menores.

A Neogrid, empresa especializada em soluções para a gestão da cadeia de suprimentos, anuncia seu índice de ruptura de agosto, que mede a falta de produtos nos supermercados. Ele permanece alto e estável pelo quinto mês consecutivo. Analisando a base do ecossistema de dados presente na plataforma, a companhia revela que a taxa para o mês é de 11,63%.

As vendas no setor supermercadista caíram, o que faz, por exemplo, que os estoques estejam menores. Esses pontos são preponderantes e têm reflexos diretos no índice de ruptura”, diz Robson Munhoz, CCSO (Chief Customer Success Officer) da Neogrid.

A indisponibilidade de produtos em três categorias chama a atenção nessa edição do levantamento. Os iogurtes, que saem de 9,6% para 14,6%; os depilatórios, de 9,8% para 15,5%; e as cervejas, que vão de 10,2% para 11,9%, voltando a crescer depois de cinco meses em queda.

“A crise tem afetado o mercado como um todo e os reflexos podem ser percebidos de diversas maneiras. O varejo continua demandando para a indústria. Porém, os pedidos não estão sendo entregues, seja pela negociação de reajustes nos preços, ou pela escassez de matéria-prima, por exemplo”, explica Munhoz. “Esse cenário pode ser interessante para a entrada de novos players, pequenos fabricantes e consolidação de marcas próprias do varejo”, complementa.

Alimentos à base de soja e margarina, que foram destaques negativos no levantamento passado, apresentaram uma leve melhora de, em média, 1,1%. Ovos de aves permaneceram no mesmo patamar (17,24%). Já o leite longa vida, também presente na lista anterior, teve a maior evolução, saindo de 20,91% para 16,55%.

Com o objetivo de identificar as causas das faltas e, assim, minimizar possíveis prejuízos como a indisponibilidade de produtos, recentemente, a Neogrid lançou o VIU Varejo. A solução possui indicadores diários que trazem insights estratégicos para que o mercado ofereça o consumidor procura, no local, tempo e quantidades adequados. A ideia é aumentar a rentabilidade evitando perdas e excessos.

Leia também:

Confiança do consumidor recua 6,5 pontos em setembro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Sindicatos defendem política pública para tratar dos combustíveis

Melhor alternativa é considerar todas as etapas e beneficiar o consumidor

Sai edital da primeira desestatização de portos no país

Em Vitória a capacidade de movimentação portuária é de 7 milhões de toneladas

Receita abre segunda-feira consulta a lote residual do IR

Total das restituições atinge R$ 281,9 milhões

Últimas Notícias

Electrolux lança desafio para arquitetos e designers de interiores

A Archademy, primeiro Market Network de Arquitetura e Design de Interiores do Brasil, abre inscrições para a edição do seu Archathon Electrolux 2022. O...

Gestão do Hopi Hari ganha na justiça e se mantém no parque

A gestão do Parque Temático Parque Hopi Hari acaba de obter decisão favorável, proferida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, para...

Bancos chineses registram compra líquida de divisas em 2021

Os bancos chineses registraram uma compra líquida de divisas em 2021, pois a taxa de câmbio do iuan permaneceu geralmente estável e os fluxos...

RNI: Plano de negócio tem o melhor resultado dos últimos 7 anos

Prévia do 4T21 da construtora e incorporadora RNI, do grupo Empresas Rodobens, indica resultados superiores aos últimos sete anos. A empresa, que completou 30...

Chile quer renacionalizar cobre e bens públicos estratégicos

A campanha pela renacionalização do cobre e dos bens públicos estratégicos entregues às transnacionais durante o governo de Augusto Pinochet (1973-1990) tem sido impulsionada...