Falta de matéria-prima afeta estoques de cerveja em supermercados

Vendas no setor supermercadista caíram, o que faz com que os estoques estejam menores.

A Neogrid, empresa especializada em soluções para a gestão da cadeia de suprimentos, anuncia seu índice de ruptura de agosto, que mede a falta de produtos nos supermercados. Ele permanece alto e estável pelo quinto mês consecutivo. Analisando a base do ecossistema de dados presente na plataforma, a companhia revela que a taxa para o mês é de 11,63%.

As vendas no setor supermercadista caíram, o que faz, por exemplo, que os estoques estejam menores. Esses pontos são preponderantes e têm reflexos diretos no índice de ruptura”, diz Robson Munhoz, CCSO (Chief Customer Success Officer) da Neogrid.

A indisponibilidade de produtos em três categorias chama a atenção nessa edição do levantamento. Os iogurtes, que saem de 9,6% para 14,6%; os depilatórios, de 9,8% para 15,5%; e as cervejas, que vão de 10,2% para 11,9%, voltando a crescer depois de cinco meses em queda.

“A crise tem afetado o mercado como um todo e os reflexos podem ser percebidos de diversas maneiras. O varejo continua demandando para a indústria. Porém, os pedidos não estão sendo entregues, seja pela negociação de reajustes nos preços, ou pela escassez de matéria-prima, por exemplo”, explica Munhoz. “Esse cenário pode ser interessante para a entrada de novos players, pequenos fabricantes e consolidação de marcas próprias do varejo”, complementa.

Alimentos à base de soja e margarina, que foram destaques negativos no levantamento passado, apresentaram uma leve melhora de, em média, 1,1%. Ovos de aves permaneceram no mesmo patamar (17,24%). Já o leite longa vida, também presente na lista anterior, teve a maior evolução, saindo de 20,91% para 16,55%.

Com o objetivo de identificar as causas das faltas e, assim, minimizar possíveis prejuízos como a indisponibilidade de produtos, recentemente, a Neogrid lançou o VIU Varejo. A solução possui indicadores diários que trazem insights estratégicos para que o mercado ofereça o consumidor procura, no local, tempo e quantidades adequados. A ideia é aumentar a rentabilidade evitando perdas e excessos.

Leia também:

Confiança do consumidor recua 6,5 pontos em setembro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Em um ano, Brasil perdeu 1,2 milhão de empresas

Entre abril de 2021 e o de 2022, Ltdas. e S/As foram as que mais fecharam; MEIs, apesar da proliferação, caíram 7,2% no período.

Preço dos medicamentos recuou 0,74% em julho

Após avançar 1,32% em junho, queda mensal observada foi inferior à variação do IPCA/IBGE.

Vestuário e calçados têm desempenho positivo entre redes de moda

Dia dos Pais impulsionou desempenho do setor; mercado de roupas usadas pode ultrapassar varejo de moda em 2024.

Últimas Notícias

Em um ano, Brasil perdeu 1,2 milhão de empresas

Entre abril de 2021 e o de 2022, Ltdas. e S/As foram as que mais fecharam; MEIs, apesar da proliferação, caíram 7,2% no período.

Rio restabelece parte dos serviços hackeados

Sistemas fazendários continuam fora do ar.

Preço dos medicamentos recuou 0,74% em julho

Após avançar 1,32% em junho, queda mensal observada foi inferior à variação do IPCA/IBGE.

Vestuário e calçados têm desempenho positivo entre redes de moda

Dia dos Pais impulsionou desempenho do setor; mercado de roupas usadas pode ultrapassar varejo de moda em 2024.

Bares e restaurantes tiveram o maior faturamento do ano em julho

Segundo associação do setor, 32% dos estabelecimentos operaram com lucro no período, enquanto 41% tiveram equilíbrio.