Falta interesse nas delações da Carne Fraca?

37

Mais uma diferença entre as operações Lava Jato e Carne Fraca: enquanto na primeira políticos e executivos de empresas ficam mofando na cadeia até aceitarem fazer delação premiada, na ação para combater propinas e irregularidades em frigoríficos o afrouxamento da prisão está sendo a regra – quarta-feira foi solto o diretor da BRF. Na Lava Jato, a pressão da mídia é um fator para inibir solturas de presos. Na Carne Fraca, a grande imprensa assumiu a tese de que a Polícia Federal exagerou no exibicionismo. Talvez porque a mídia acredite nos caros anúncios que os frigoríficos estão divulgando – nesta quarta-feira, o JBS publicou duas páginas em grandes jornais para demonstrar quanto cuida do rastreamento de seus produtos.

Devem existir outros motivos, nobres como as carnes, claro. Mas é estranho, já que a JBS – juram os antipetistas ativistas – pertence ao Lulinha, prato cheio (ops) para que se fizesse uma ligação entre as duas operações, o que a mídia evitou. Da mesma forma, dribla um tema espinhoso: que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, foi presidente do Conselho de Consultivo da J&F de maio de 2012 a maio de 2017, quando saiu para atender ao chamado de Michel Temer. Foi em 2012 que a Eldorado, do grupo, captou R$ 940 milhões do FI-FGTS – operação que é alvo da Operação Sépsis, ramo da Lava Jato. O ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto relatou em delação premiada que cobrou 1% de propina, sendo a maior parte repassada a Eduardo Cunha.

Meirelles diz que atuava apenas como consultor do grupo empresarial. Nos cinco anos em que lá esteve, viu o plano de tornar o Banco Original em uma instituição online virar realidade. Apesar de voltado para a internet, o banco, desde o início do ano, esbanja uma página de publicidade diária nos jornalões.

Mais um

Segundo o UOL, nova gravação mostra a interferência do então deputado e atual ministro das Justiça, Osmar Serraglio, em frigoríficos no Paraná. A Polícia Federal, que fez as interceptações telefônicas, é – pelo menos no organograma – subordinada ao Ministério da Justiça.

Recuperação

Os escritórios Basilio Advogados e Penalva Advogados foram premiados pela revista jurídica inglesa Latin Lawyer pelo processo de recuperação judicial da Oi. A publicação reconheceu a complexidade dos trabalhos. Juristas avaliam que a recuperação judicial da multinacional está caminhando para se tornar um caso de sucesso para ser estudado em todas as faculdades de Direito. É a primeira vez que a mediação é usada como solução em um processo com tantos credores de pequeno porte. Ao todo, mais de 50 mil pessoas.

Democracia

Do historiador holandês Rutger Bregman, citado nesta coluna há coisa de 15 dias, autor do ensaio Utopia para Realistas, em entrevista sobre renda básica universal: “Muitas vezes me dizem que as pessoas são contra, mas no século XVII a maioria também era contra a democracia.”

Rápidas

Acontece na próxima semana, de 4 a 7 de abril, no Riocentro, a Laad Defence & Security 2017, feira de defesa e segurança da América Latina. Nesta edição, o encontro reúne mais de 600 marcas nacionais e internacionais *** Entre 6 e 8 de abril, a Yes! Idiomas participa da quarta edição da Brasília Expo Franquias, no centro de convenções Ulysses Guimarães, com o objetivo de expandir a rede na região centro-oeste *** Na próxima terça-feira, começa a 23ª edição da Intermodal South America, no Transamerica Expo Center, em São Paulo (SP). O ministro-presidente de Flandres (Região Norte da Bélgica), Geert Bourgeois, confirmou presença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui