Farinha pouca

O setor de construção civil amanhece em peso hoje em Brasília para pedir ao presidente Lula que aposente a proposta de se utilizar parte dos recursos do FGTS para compra de ações – a proposta é manter o que determina a lei, ou seja, uso em saneamento e habitação popular. Outra reivindicação é que a caderneta de poupança volte aos moldes como foi concebida, com os recursos sendo aplicados na construção e com limitação dos juros de financiamentos em 10%, como era no SFH. Interessa ao setor, ainda, a pontualidade nos pagamentos e a aplicação da Cide (imposto sobre combustíveis) em infra-estrutura de transportes, como previa a lei que criou a contribuição.

Decisiva
A semana que se iniciou em 10 de março terá uma importância que, talvez, poderá ser tão significativa como a Crise dos Mísseis de Cuba, em outubro de 1962. O alerta foi feito pelo economista democrata Lyndon LaRouche, que tem em seu currículo denúncias sobre a irrealidade dos mercados de ações, feitas ainda no início da década passada. LaRouche afirma que se se permitir que os EUA usem sua ameaça de empregar sua força unilateral, inclusive armas nucleares, contra o Iraque, ou estabelecerá um império mundial norte-americano sob o modelo do antigo Império Romano ou “obrigará as demais nações do mundo a trabalhar para solapar o poder dos EUA para conduzir semelhantes políticas, ou determinará que o planeta passe algumas gerações no inferno, como punição pelo seu fracasso em evitar a guerra proposta”. LaRouche compara a atual política do governo Bush para o Iraque com uma caricatura da “mesma estupidez soberba que levou a Atenas antiga à trágica Guerra do Peloponeso”.

Tirando o couro
Apesar do crescimento de 13% nas exportações dos calçados brasileiros neste início do ano, o setor está preocupado com as consequências da guerra dos Estados Unidos contra o Iraque e prevê queda do faturamento nos próximos meses. O diretor do Programa Calçado Brasil da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Heitor Klein, ressalta que o desempenho positivo nos dois primeiros meses de 2003 deve-se a pedidos feitos no fim do ano passado e que estão sendo embarcados agora.

Magna
Sob o tema “Os Novos Rumos do Judiciário”, o presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Miguel Pachá, dará a aula magna do curso de Direito na UniverCidade, dia 26 de março, às 19h. Será no Teatro UniverCidade (Rua Humaitá, 275 – Rio de Janeiro – RJ).

Troca de papéis
Ao antecipar, em entrevista, o tom que daria à arguição dos ministro Antônio Palocci e Guido Mantega na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, o líder do PSDB na Casa, Romero Jucá (PSDB-RR), cobrou mea culpa do PT em relação às duras críticas à política econômica tucana, acrescentando que o partido “está mais conservador do que o governo FH”. Jucá só perdeu o rebolado quando perguntado se considera a política econômica sob controle, na medida em que o PT segue as mesmas diretrizes de FH.

Pedaço cativo
Dirigentes sindicais de diversas categorias profissionais do Rio de Janeiro se reuniram, na noite da última segunda-feira, com o deputado federal Jorge Bittar (PT-RJ), para tratar da sucessão na Delegacia Regional do Trabalho do Rio de Janeiro. Os sindicalistas, ligados à CUT, rejeitam o controle político da Delegacia Regional do Trabalho (DRT) do estado pelo PTB, como pleiteia o deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ). Os dirigentes sindicais reivindicam a nomeação de Adeílson Telles, secretário de Trabalho no governo Benedita da Silva.

Pedaço cativo II
Durante o encontro com Bittar – indicado pelo Planalto para tratar dos pleitos do Rio junto ao governo federal – os sindicalistas solicitaram uma resposta à sua reivindicação até sexta-feira. Caso contrário, pretendem ir em caravana a Brasília. Participaram da reunião com Bittar representantes sindicais dos médicos, dos engenheiros, dos ferroviários, dos nutricionistas, dos aeroviários, dos químicos, dos trabalhadores da área de saneamento, dos trabalhadores dos correios, entre outros.

Artigo anteriorLeão pequeno
Próximo artigoCandidato
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Taxar dividendos aumentou investimentos na França

Redução, nos EUA e na Suécia, só elevou distribuição de lucros.

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.