Faturamento de cinemas cresceu quase 90% após lançamento de ‘Barbie’

Segmentos de recreação e lazer e alimentação aproveitam onda; streaming, entretanto, atingiu 99,6% dos lares no Rio no primeiro semestre

146
Cinema (Foto: Renato Araújo/ABr)
Cinema (Foto: Renato Araújo/ABr)

O faturamento dos cinemas no Brasil cresceu 89,7% após o lançamento do filme “Barbie”, de acordo com o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA). A comparação, que considera a semana da estreia (20 a 26 de julho), foi feita com período similar de 2022. O número representa as vendas de mais de 50 redes de cinema em todo o país.

Considerando apenas o faturamento de shoppings, onde a maioria dos cinemas está concentrada, o crescimento foi de 6,2%. Os principais destaques foram os segmentos de recreação e lazer (22,2%) e alimentação (21,6%). Varejo alimentício especializado e vestuário também cresceram, com 12,7% e 4,2%, respectivamente.

“O filme da ‘Barbie’ é um sucesso mundial de bilheteria. No Brasil, não é diferente. Percebemos uma evolução significativa na receita dos cinemas e de segmentos relacionados após a estreia do longa. É possível deduzir que a estreia de ‘Oppenheimer’, que também desperta a atenção de um público amplo, tenha contribuído, ainda que em menor escala, para esse resultado expressivo”, afirma Carlos Alves, vice-presidente de Produtos e Tecnologia da Cielo.

As regiões que mais movimentaram os Shoppings na estreia do filme foram o Sudeste (6,8%) e o Norte (6,5%). Na sequência, aparecem Sul (5,9%), Nordeste (5,3) e Centro-Oeste (4,5%).

Espaço Publicitáriocnseg

Já quando se fala de streaming, dentro dos lares no Rio de Janeiro, 99,6% das pessoas consumiram conteúdos em vídeo no primeiro semestre. Os números, que reforçam a diversidade e o alcance do formato em seis regiões metropolitanas, fazem parte do material “Aquarelas de Vídeo do Brasil – Explorando o Consumo Cross-media no País”, edição de julho do Data Stories, conteúdo temático lançado mensalmente pela Kantar Ibope Media.

Dados compilados com ajuda da Cross-Platform ViewTM mostram que a TV Linear (redes aberta e por assinatura) lidera a distribuição de conteúdo em vídeo no Rio de Janeiro, com participação de 82% no share – os 18% restantes são dedicados à audiência online.

A pesquisa também aponta que, apesar do grande consumo por celulares ou tablets, os aparelhos de televisão são os mais usados para assistir a vídeos online. Neste primeiro semestre, os moradores da região metropolitana gastaram, em média, 2h58min diariamente consumindo vídeos online por aparelhos de TV, enquanto a média total dos devices chegou a 2h12min – diferença de 46 minutos.

É válido ressaltar como a sobreposição de plataformas mostra a diversidade dos meios utilizados no Rio de Janeiro para consumir vídeo. Em um dia normal, 30% do conteúdo é assistido via TV, em uma combinação entre conteúdos que chegam pelas antenas, pelo cabo ou online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui