Febraban apoia programa do governo para micros

170

As medidas de crédito anunciadas nesta segunda-feira pelo governo para micro e pequenas empresas – compostas pelo Desenrola Pequenos Negócios, ProCred 360 e novo Pronampe – foram apoiadas pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban). O ProCred 360, por exemplo, possibilitará a inclusão de microempreendedores individuais (MEI) que faturem anualmente até R$ 360 mil, que segundo o IBGE somam mais de 13,2 milhões de pessoas. Esse número equivale a quase 70% do total de empresas do nosso país.

A Federação disse que as medidas chegam em um momento oportuno e se alinham a plataformas consolidadas que os bancos já operam, permitindo injeção de mais recursos para as empresas em situação vulnerável.

O quadro associativo da Febraban reúne 119 instituições financeiras associadas de um universo de 155 em operação no Brasil, as quais representam 98% dos ativos totais e 97% do patrimônio líquido das instituições bancárias brasileiras.

“Voltadas para a renegociação de dívidas e para crédito subsidiado orientado para os Microeempreendedores Individuais (MEI), as medidas são importantes instrumentos para manter estímulo à recuperação da economia”, expressou em nota a Federação.

Espaço Publicitáriocnseg

Além disso, para atender ao contingente de empresas que carecem de oportunidades para renegociarem as suas dívidas, ao mesmo tempo que precisam obter recursos para manterem suas atividades em funcionamento, o Desenrola Pequenos Negócios possibilitará a renegociação de dívidas de empresas de micro e pequeno porte que faturem até R$ 4,8 milhões anuais.

Segundo o Sebrae, o maior acesso para as empresas a uma linha de crédito já testada, fácil e de rápida contratação, que possui taxas acessíveis e longo prazo para pagamento, como o Pronampe, contribuirá para solidificar a posição de micro e pequenas empresas em seus setores de atuação. Ainda, ela garante a existência das atividades desses microempreendedores e até mesmo poderá ajudar a expandi-las.

Âncora

O anúncio desses programas de concessão de crédito e de renegociação de dívidas para segmentos empresariais de menor porte, com recursos mais acessíveis e prazo mais longos, possibilitará a redução dos impactos negativos para micro e pequenas empresas em situação mais delicada.

Também presentes no Desenrola Pequenos Negócios, anunciado pelo Governo, os bancos ainda ajudaram a construir o Desenrola para as famílias, em duas faixas (1: débitos não bancários e 2: bancários).

O Desenrola Brasil, de acordo com dados divulgados pelo governo, com a ajuda direta dos bancos, já beneficiou 14 milhões brasileiros e possibilitou a renegociação de aproximadamente R$ 50 bilhões em dívidas.

“Reiterando o compromisso dos bancos com a iniciativa, dentro das mudanças e evoluções efetuadas, destacamos a possibilidade de os clientes acessarem diretamente os canais oficiais dos bancos parceiros para renegociarem as suas dívidas, como alternativa à plataforma do Programa Desenrola PF”, destacou a nota da Federação que acrescentou a parceria com os Correios como ponto focal para renegociação de dívidas.

A extensão do Programa até o dia 20 de maio deste ano, aliada às evoluções em processos implementadas na plataforma, possibilitará que mais pessoas possam conhecer e acessar o Desenrola PF para renegociar suas dívidas, o que contribuirá para uma retomada mais robusta do ciclo econômico.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui