Fechamento de bares e restaurantes prejudicou a Ambev?

Segmento premium, no qual a empresa tem menor participação, reagiu melhor do que a indústria cervejeira em geral.

Acredite se Puder / 16:41 - 7 de mai de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O brasileiro bebeu menos cerveja ou trocou a Brahma por outras marcas? De acordo com a pesquisadora do comportamento dos consumidores, a Nielsen, a indústria cervejeira caiu um dígito médio no trimestre. Nesse cenário, o faturamento da Ambev no mercado interno teve queda de 9,6%, enquanto no segmento cerveja Brasil, os volumes diminuíram 11,5% superando as expectativas dos analistas, que se situavam em 10%.

Para a equipe de análises da XP Investimentos, os volumes foram impactados por uma indústria fraca e por um mix desfavorável, uma vez que o segmento premium, no qual a empresa tem menor participação de mercado, teve um desempenho consideravelmente melhor que a indústria total. Além disso, o surto do coronavírus resultou no fechamento da maior parte do canal on-trade, ou seja, bares e restaurantes a partir de meados de março, levando a uma redução de 29,1% no volume durante o mês. Assim, acreditam que isso manterá as ações pressionadas, de vez que o ambiente competitivo continua sendo uma das principais preocupações.

 

Analistas acreditam no BB

Para os analistas do Morgan Stanley o Banco do Brasil teve um trimestre difícil. Destacam que as provisões de R$ 2 bilhões impactaram o lucro líquido que caiu 20,1%, mas com a exclusão delas, os resultados não seriam tão ruins. Como pontos positivos, apontam para o crescimento de 4% na carteira de empréstimos e o maior controle das despesas. Os analistas do banco norte-americano mantiveram a nota acima da média do mercado e preço-alvo de R$ 48.

Os especialistas do Bradesco BBI classificaram o resultado como positivo e ressaltaram que o aumento das provisões, que provocou a queda no lucro, também ocorreu nos grandes bancos privados brasileiros. Chamam atenção para o fato de que, se não fossem os custos mais altos do risco, o desempenho provavelmente surpreenderia no upside. Assim, como preveem que as provisões aumentarão no 2º trimestre, não alteraram a classificação, deixando-a como neutra e objetivo em R$ 35.

 

Notre Dame surpreendeu

As equipes de análises do Bradesco BBI e do Itaú BBA consideraram como muito positivos os resultados do 1º trimestre do Grupo Notre Dame Intermédica. Ambos ressaltaram que a empresa manteve um forte crescimento orgânico durante o período, conquistando mais de 90 mil clientes, e conquistando poderosa sinergia com as operações da Clinipam, que comprou no Sul, e com a São Lucas, adquirida no interior paulista. A previsão é que a empresa continuará a crescer nas duas regiões no 2º trimestre, mesmo com a recessão provocada pelo coronavírus. O sólido crescimento das vendas brutas, junto à manutenção dos funcionários e a um menor número de contratos encerrados por clientes ajudaram a sustentar a tendência positiva da empresa, que ultrapassou concorrentes, é a opinião dos técnicos do Itaú BBA, para os quais as ações estão acima da média e com objetivo a R$ 81.

Para os do Bradesco BBI os resultados foram sólidos, com sinergias melhores que as previstas e que a empresa obteve ganhos com o menor número de cirurgias em março, efeito da chegada da epidemia da Covid-19 ao Brasil. Além disso, acham que a trajetória impressionante desses resultados provam que existe espaço para crescer na crise com o desenvolvimento de sinergias. Os especialistas do banco reafirmaram a nota acima da média de mercado, com preço-alvo de R$ 72. As ações subiram mais de 5% e chegaram a R$ 57.

 

Bradesco acredita na Suzano

As ações da Suzano subiram mais de 10%, passando dos R$ 46, com a decisão do Bradesco BBI de elevar a classificação desses papéis de neutro para desempenho acima da média do mercado, por causa da expectativa de uma robusta geração de fluxo de caixa livre de R$ 8 bilhões em 2021, e maior desalavancagem para a companhia. Segundo a equipe de analise, a combinação do real mais fraco num contexto de taxa de juros mais baixa e os esforços para reduzir custos operacionais, serão difíceis de serem ignorados, enquanto preços de celulose parecem ter chegado ao fundo e com recuperação que deve ser gradual. Por outro lado, eles são cautelosos em relação a um rali sustentável de preço de celulose nos próximos meses especialmente pela visão de que os estoques de celulose estão em níveis de normais para altos. A Klabin permanece como top pick no setor e o banco aumentou o preço-alvo para R$ 27.

 

Não adiantou

Os governos estaduais não suspenderam os serviços de pedágios, mas as empresas tiveram perdas. A queda do volume de veículos nas estradas da Ecorodovias foi de 29,1% no período entre 16 de março e 5 de maio.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor