Fechando o ralo

O Ministério do Planejamento apresentou ao Tribunal de Contas da União (TCU) proposta para substituir gradualmente os postos de trabalho terceirizados irregularmente na administração pública federal por servidores concursados, até 2010. Neste prazo, 33.125 terceirizados serão substituídos, conforme cronograma elaborado pelo ministério. Há tempos o TCU critica o fato de terceirizados ocuparem cargos em vários órgãos do setor público. Em 2004, segundo relatório do TCU, assinado pelo ministro Marcos Vinícius Vilaça, a União gastou R$ 7,3 bilhões em serviços terceirizados, aumento de R$ 1,5 bilhão sobre 2003. O TCU deu seis meses para o ministério apresentar o número de trabalhadores terceirizados que não executam atividades previstas no decreto que permite contratação de terceiros.

Financeirização
Apesar de as economias mundiais terem crescido, existem riscos reais de crises resultantes das disparidades financeiras internacionais. Este é um dos destaques do Relatório de Comércio e Desenvolvimento, que a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad) lança nesta quinta-feira.

Pedra do aço
O lançamento da pedra fundamental da Companhia Siderúrgica do Atlântico(CSA) – investimento de US$ 2,4 bilhões – foi confirmado para 29 de setembro. A usina é uma parceria da alemã Thyssenkrupp Steel com a brasileira Companhia Vale do Rio Doce e vai gerar 18 mil empregos nos próximos três anos, destacou o secretário fluminense de Desenvolvimento Econômico, Maurício Chacur

Retoque
O inverno é o período preferido para cirurgias plásticas. O motivo é que, entre maio e setembro, é menor a intensidade dos raios solares e com isto a recuperação do paciente fica menos desconfortável, informa o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica – RJ, Luiz Mario Bonfatti. A SBCP-RJ recomenda rigor na escolha do profissional, já que o mercado está cheio de falsos cirurgiões plásticos.

Médico no banco dos réus
O julgamento simulado de um médico movimenta o Simpósio Internacional de Mastologia, no Rio de Janeiro, neste sábado. Será realizada a leitura de um caso verídico, em que os advogados Antonio Ferreira Couto Filho e Alex Souza, da banca A. Couto Advogados, interpretarão a acusação e a defesa. Um júri selecionado do público julgará o caso. O objetivo é chamar a atenção para o debate sobre a aplicação do Código de Defesa do Consumidor na relação médico-paciente. O evento será às 13h30, no Windsor Barra Hotel (Av. Sernambetiba, 2630 – Barra da Tijuca – RJ).

Tô nem aí!
O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, mostrou que ainda alinhado com o chefe. Pouco depois de a Volkswagen demitir 1.800 funcionários, Marinho – que se reunira com a montadora na véspera – se recusou a tratar do assunto, recorrendo ao padrão Lula: “Não sei de nada”; “Não vi nada”; “Hoje não vou falar sobre isso. Desconheço esse assunto.” Se o ministro ignora quase duas mil demissões na sua própria base sindical, o que será que ele conhece?

Ronda
Um dos tradicionais programas socioeducativos da Legião da Boa Vontade completa, nesta sexta, 44 anos de atuação: a Ronda da Caridade, conhecida, no início, como Sopa dos Pobres. Hoje o trabalho vai além da distribuição de sopa, já que detecta os principais problemas das populações e, a partir desse diagnóstico, presta nos locais serviços como oficinas de geração de renda, atendimentos médico, odontológico, jurídico e psicológico. Em todo o país, a LBV fará uma programação especial para celebrar o aniversário da Ronda.

Inquérito no TJ
Um importante escritório de advocacia fluminense tem contra si três inquéritos administrativos e um incidente de falsidade por adulteração de documentos processuais. É ilustrativo do sinal dos tempos. Trata-se de enorme desestímulo profissional para os jovens que enveredam pelo Direito.

Artigo anteriorPesquisas infladas
Próximo artigoVale o escrito?
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Privatização da Eletrobras aumentará tarifa em 17%

Estatal dá lucro e distribuiu R$ 20 bi em dividendos para a União.

Dois mitos sobre a Petrobras

Mídia acionada pelo mercado financeiro abusa de expedientes que ataca quando usados por bolsonaristas.

Mudar preços implica parar venda de refinarias

Mercado financeiro cobrará deságio, e Petrobras precisa de ativos para poder operar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

IGP-M acumula inflação de 28,94% em 12 meses

Segundo FGV, taxa ficou em 2,53%, em fevereiro, após registrar 2,58% em janeiro.

Confiança do comércio tem leve alta em fevereiro

Segundo a FGV, é a primeira alta depois de quatro quedas consecutivas.

Balanço melhor que o esperado da Petrobras anima mercado nacional

Hoje, no exterior, Bolsas mundiais operam sem direção única.

O futuro está nas criptomoedas?

Quarta foi de intensa volatilidade nos mercados externos; por aqui com justificativa, ainda em função do imbróglio de Petrobras e Eletrobras.

Preços dos carros mais vendidos subiram 9,4% em média em um ano

Com 18,23% de variação, Renault Kwid foi o que mais subiu de preço entre os 13 mais vendidos.