Feliz 2006

“Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui pra frente…
Tudo vai ser diferente!”
Carlos Drummond de Andrade

Impressão em relevo
Em 2004, as vendas do setor de formulários somaram R$ 1.861 milhão, sendo 43,3% do segmento print (21,4% de dados variáveis e 21,3% de listagens). “Pela primeira vez nas pesquisas dos últimos anos, o segmento de dados variáveis desponta como o segundo mais importante segmento da Abraform, com excelente rentabilidade”, destaca o vice-presidente da Abraform, Marcos da Cunha Ribeiro, citando pesquisa do Instituto e Marketing Industrial, sobre mercado de impressão de formulários. Elaborada com base nos dados de 2004, o levantamento inclui os segmentos print, listagens, PDV, etiquetas, dados variáveis (impressão eletrônica ou digital) e serviços.

Tradição resiste
Outro destaque em 2004 ficou com o setor de listagens, com consumo médio de 5 mil toneladas/mês no Brasil: “A listagem chama a atenção porque, apesar de todos os impactos tecnológicos do segmento – laser, ink jet e automação bancária – o volume é ainda significativo. Indica maturidade dos clientes no ambiente de indústria e comércio, com alto grau de consciência na relação custo-benefício para emissão de relatórios simples, de conferência, razão contábil, e inventários, entre outros”, destaca Ribeiro, explicando que a emissão de listagem com impressora matricial tem custo total para o usuário de 1/10 do custo via impressora laser; e 1/100 do custo de impressão via inkjet.

Fidelização
Os principais clientes do setor de formulários continuam a ser a indústria e o comércio (80%); seguido pelo setor público (11,7%); e pela área financeira (5,1%). O segmento com maior número de produtores na indústria de formulários é o print, com 198, seguido por etiquetas (79), listagens (57) e dados variáveis (49).
Segundo a pesquisa, as micro, pequenas e médias indústrias representam 90% das unidades em atividade no segmento. Apenas 5% são empresas de médio porte e 3,2%, de grande porte. O segmento emprega 18.579 funcionários, 35,7% dos quais estão no segmento print, seguido por dados variáveis (24,3%) e listagens (14,4%).

Artigo anteriorTranquilidade
Próximo artigoCusto Brasil
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.

Cem anos de Celso Furtado

A atualidade de um dos mais importantes intelectuais do planeta.

A Disneylândia espacial dos trilionários

Jornada nas estrelas escancara a desigualdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Taxar dividendos aumentou investimentos na França

Redução, nos EUA e na Suécia, só elevou distribuição de lucros.

Petroleiro tem maior produtividade da indústria no Brasil

Mesmo com setor extrativista, participação industrial no PIB caiu de 25% para 20%.

Exportação cresce, mas só com produtos pouco elaborados

Superávit de quase US$ 7 bilhões até a quarta semana de julho.

Bolsonaro comanda pior resposta à pandemia da AL

Para formadores de opinião, Brasil foi pior até que a estigmatizada Venezuela.