FHC é nomeado presidente honorário de comissão de política de drogas

Ex-presidente é um dos membros fundadores da comissão, lançada em junho de 2011.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso foi nomeado presidente honorário da Comissão Global de Política de Drogas. FHC é um dos membros fundadores da comissão, lançada em junho de 2011. Em 2007, ele iniciou e orientou o trabalho da Comissão Latino-Americana de Drogas, para em seguida reunir um grupo de personalidades mundiais para defender a reforma de políticas de drogas em nível internacional.

Sob sua presidência entre 2011 e 2016, e com o apoio de outros comissários como Kofi Annan, Ruth Dreifuss e George Shultz, a Comissão Global contribuiu para a abertura de um debate sobre os danos gerados por políticas de drogas repressivas, o que favoreceu reformas em todo o mundo.

“A liderança de Fernando Henrique Cardoso foi fundamental para o avanço de reformas de políticas de drogas em todo o mundo. Dando prova de coragem política, ele denunciou os danos que as políticas punitivas de drogas e a proibição vem infligindo às pessoas mais vulneráveis de nossa sociedade. Nosso respeito coletivo por sua coragem e seu compromisso é imenso”, afirma Helen Clark, atual presidente da Comissão Global, que tem como novos membros Juan Manuel Santos, da Colômbia, e José Ramos-Horta, de Timor-Leste.

Por meio de recomendações baseadas em evidências científicas, em uma década a Comissão Global se tornou um ator central do debate internacional sobre as políticas de drogas, defendendo uma abordagem equilibrada e pragmática baseada nos direitos humanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Exportação de sucata ferrosa cresceu 43% em abril

Preços se acomodaram; após pressão forte no mercado em função da guerra e da China, tendência é de normalização no Brasil.

Correspondentes bancários são punidos por irregularidade em consignado

Sidney: 'assédio comercial leva ao superendividamento do consumidor; isso não interessa a ninguém, nem ao consumidor nem aos bancos'.

Inadimplência cresce e atinge 61,94 milhões de brasileiros

Número de inadimplentes no país teve crescimento de 5,59% em comparação a abril de 2021; média das dívidas é de R$ 3.518,84.

Últimas Notícias

Exportação de sucata ferrosa cresceu 43% em abril

Preços se acomodaram; após pressão forte no mercado em função da guerra e da China, tendência é de normalização no Brasil.

Correspondentes bancários são punidos por irregularidade em consignado

Sidney: 'assédio comercial leva ao superendividamento do consumidor; isso não interessa a ninguém, nem ao consumidor nem aos bancos'.

Inadimplência cresce e atinge 61,94 milhões de brasileiros

Número de inadimplentes no país teve crescimento de 5,59% em comparação a abril de 2021; média das dívidas é de R$ 3.518,84.

Inflação permaneceu elevada em todas as faixas de renda em abril

Variação foi entre 1% para famílias de renda mais alta e 1,06% para mais baixas; dinheiro é maior preocupação de três em quatro brasileiros.

Mercados globais operam no negativo com dados decepcionantes de China

Notícias de Xangai e IBC-Br também ficam no radar.