Ficção

Apontada como fundamento econômico vital, a política de meta de inflação foi transformada pelo próprio tucanato em coisa de baixa credibilidade. No início do ano, Malan e demais crédulos prometeram ao FMI fechar o ano com inflação máxima de 5,5%. No meio do ano, esse teto foi elevado para 6,75%. Esta semana, porém, o próprio Focus, boletim do Banco Central no qual se dá crédito a pitacos de babalorixás e outros equivalentes do mercado financeiro, já aumentou essa previsão para 8,07%. A não ser que o tucanato e o FMI considerem a diferença de 46% entre a promessa inicial e a atual uma margem aceitável, é melhor arquivar a pressão sobre o novo governo para transformar essa meta em cláusula pétrea da política econômica.

Mão única
Menos de cinco dias depois de conseguirem do moribundo governo FH a redução da alíquota do IPI, as montadoras anunciam novo aumento do preço do carros, que deve ficar, em média, em cerca de 5%.

Alvancarlalá
De inimigo a “salvador da pátria”. Essa foi a forma como observadores dos humores da TV Globo analisaram a longa participação, segunda-feira, de Luiz Inácio Lula da Silva no Jornal Nacional. Segundo o Ibope, Lula garantiu ao JN 43 pontos de média e pico de até 49 pontos, contra a audiência média de 41 pontos da atração. Lula ocupou uma hora e quinze minutos do JN, único telejornal para o qual deu entrevista. Além de elevar a audiência da TV, a longa aparição de Lula coincidiu com o anúncio feito pela Globo de que vai renegociar dívidas com credores. Ou, na língua objetiva do jornalismo praticado pela emissora, “reescalonar o fluxo de pagamentos de suas obrigações de caráter financeiro”.

Dissenso
Encabeçado por nomes como Noam Chomsky, Gore Vidal, Robert Altman, Susan Sarandon, Robert Altman e Martin Luther King III, cerca de 4 mil intelectuais, artistas, acadêmicos e líderes religiosos norte-americanos divulgaram manifesto condenando duramente o desejo do presidente George Bush de atacar o Iraque. Intitulado Não em meu nome, o manifesto desautoriza Bush a falar em nome de todos “os cidadãos estadunidenses” e convida a população o povo a resistir ao belicismo da Casa Branca: “O presidente Bush declarou: ou estão conosco ou contra nós. Esta é a nossa resposta: nos negamos a que fale em nome de todos os estadunidenses. Não entregaremos nossas consciências em troca de uma duvidosa  promessa de segurança. Dizemos Não em NOSSO nome. Nos negamos a ser parte dessas guerras e rechaçamos todas as ações empreendidas em nosso nome ou por nosso bem-estar”, destacam os signatários.

Negócios
A rede holandesa Golden Tulip Worldwide anuncia amanhã a intenção de abrir, nos próximos três anos, um hotel em cada capital da América do Sul. A rede hoteleira administrará novos empreendimentos no interior de São Paulo, Nordeste, Norte e Centro-Oeste do Brasil. Atualmente com oito empreendimentos em São Paulo e um em Fortaleza, a rede internacional busca o filão do turismo de negócios. Com 1,5 mil apartamentos em hotéis padrão quatro estrelas superior e três estrelas superior, a rede prevê faturamento anual superior a R$ 30 milhões.

Pesquisa
Amanhã começa a primeira etapa de um levantamento sobre os hábitos de transporte da população da região metropolitana do Grande Rio. O estudo total envolverá 36 mil residências. Na primeira fase serão pesquisados 4,1 mil domicílios nas cidades de Duque de Caxias, São João de Meriti e Belfort Roxo. Trabalho semelhante não é realizado há quase 30 anos.

Estrela sobe
Citada por Lula em seu primeiro pronunciamento depois de confirmada a vitória, Benedita da Silva, governadora do Rio, consolida não só a liderança do PT no estado como ascende a líder nacional do partido.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNeo-socialismo
Próximo artigoÓleo negro

Artigos Relacionados

Engie valerá R$ 2,5 bi a mais após acordo com Aneel

Semana passada, o Monitor noticiou que a proposta da Aneel de repactuação do risco hidrológico (GSF) deixaria a conta a ser paga pelo pequeno...

Apelo de Biden ao multilateralismo fica sem crédito

Na ONU, presidente dos EUA desmente mundo dividido em blocos rígidos.

Fintechs e bancos disputam quem cobra mais

‘Não temos vergonha de sermos bancos’, diz Febraban; mas deveriam.

Últimas Notícias

Eve desenvolverá modelo de operação de Mobilidade Aérea Urbana

A Eve Urban Air Mobility, empresa da Embraer, e a Bristow Group Inc. (NYSE: VTOL), líder mundial em soluções de voo vertical, anunciaram, nesta...

China: Ampliar apoio à energia verde agrada banco de investimento

O Banco Asiático de Investimento em Infraestrutura (BAII) declarou que dá as boas-vindas ao anúncio da China de aumentar o apoio à energia verde...

XP: Preços de ativos podem sofrer na atual turbulência de mercado

Um dia depois do aumento de 1 ponto percentual da taxa básica de juros, a Selic (agora em 6,25% ao ano), pelo Comitê de...

Projetos de energias renováveis em substituição ao uso do diesel

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Eletrobras firmaram um Pacto de Energia para atuarem conjuntamente na busca de soluções...

Proposta atualiza regulamentação sobre as cooperativas de crédito

Texto em análise na Câmara dos Deputados promove uma série de modificações na Lei do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC), abordando o Projeto...