Filantropia em benefício próprio

Como os super-ricos se beneficiam das doações que eles mesmos fazem.

Filantropia é uma forma de os mais abastados ajudarem os mais necessitados, ao mesmo tempo em que passam para a sociedade uma imagem de solidariedade e preocupação com a desigualdade. Certo? Apenas a segunda oração da sentença. Quanto à ajuda aos menos favorecidos, é tão verdadeiro quanto uma nota de tatu-bola.

Paul Vallely, autor de Philanthropy – from Aristotle to Zuckerberg, mostra que em um período de 10 anos, até 2017, mais de 2/3 de todas as doações de milionários – somadas, chegam a £ 4,79 bilhões (cerca de R$ 35 bilhões) – foram para escolas de elite do ensino superior, metade do valor para Oxford e Cambridge. Escolas frequentadas pelos pares dos doadores e pela classe média alta. Na mesma década, os bilionários britânicos doaram £ 1,04 bilhão para artes e somente £ 222 para amenizar a pobreza.

Outro ponto levantado por Vallely é sobre a fatia de benefícios fiscais nessas doações. Rendimentos acima de £ 150 mil anuais são taxados a 45% no Reino Unido (alô, Paulo Guedes!). Ao fazer uma doação de, digamos, £ 1 milhão, o Estado britânico entra com £ 450 mil, que deixam de ser recolhidos aos cofres públicos.

E vem daí outro questionamento: por que deixar para o doador decidir onde quer aplicar o dinheiro, se quase metade vem de isenções fiscais? Vallely exemplifica com o importante papel desempenhado pela Fundação Bill e Melinda Gates na virtual erradicação da pólio no mundo – o número de casos foi cortado em 99,9%. A ONG do fundador da Microsoft, com apoio de outras entidades, levou vacinas a 2,5 bilhões de crianças.

Porém, há casos em que as prioridades da comunidade podem ser diferentes daquelas dos doadores. Não seria mais justo que esses bilionários – quase 3/4 das 260 mil fundações filantrópicas do mundo foram criadas nas últimas 2 décadas e controlam mais de US$ 1,5 trilhão – pagassem seus impostos, sem esquemas de paraísos fiscais, e deixassem as populações, através de seus representantes democraticamente eleitos, decidirem onde aplicar os recursos?

Philanthropy – from Aristotle to Zuckerberg está disponível em formato eletrônico (na casa de US$ 28) ou tradicional (US$ 38, mais frete). Um bom aperitivo está em “How philanthropy benefits the super-rich”, um resumo (nem tão pequeno assim) publicado no jornal britânico The Guardian. Ambos, por enquanto, somente em inglês.

 

Nas ruas

Em parceria com a Associação dos Ambulantes (Acanit), o Projeto UFF nas Ruas realizou uma pesquisa, na última semana de agosto, sobre a situação do comércio ambulante em nossa cidade. Cerca de 9 em cada 10 trabalhadores ambulantes tiveram perda no seu faturamento neste primeiro mês desde a retomada das atividades, como revelou com exclusividade esta coluna. Os dados completos da pesquisa serão transmitidos em uma live nesta quinta-feira, às 20h, através dos canais na internet da Acanit.

 

DO

A Globo tem deitado e rolado (com razão) com os “Guardiões do Crivella”. Com conhecimento de causa: entre 2007-2014, os “Guardiões do Cabral” eram chamados de “Diário Oficial”. Tudo era lindo e maravilhoso, a despeito das inúmeras denúncias (verídicas) do ex-governador Garotinho.

 

Rápidas

O Netur – Núcleo de Turismo da Uva coloca em pauta “Eventos no Novo Normal”, nesta sexta, às 10h10, no Meets *** Aasp realizará nesta quinta-feira, às 10h, o webinar “Departamento Jurídico de empresas e prerrogativas”. Inscrições aqui *** A Matrix Intercom, empresa de importação e exportação de roupas e utensílios do lar, registra rápida recuperação pós-pandemia e prevê crescimento de 30% em 2020 *** O Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) fará esta semana palestra sobre “A importância da educação, ciência e tecnologia para um projeto de desenvolvimento” (terça-feira, às 17h) e mais uma etapa do “Ciclo de Palestras de Direito Ambiental – Status da política ambiental nos estados: efetividade dos instrumentos” (sexta, 10h), ambos no canal TVIAB no YouTube *** Nesta quinta-feira, às 18h30, a Liga, pré-candidatura coletiva à Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro, conversa com ambientalistas sobre “Sustentabilidade e a poluição dos cursos d’água de nossa cidade”. A transmissão ao vivo acontece no Facebook @aligario2020

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Ameaça de demissões expõe crise na Saúde

Piso de menos de 4 SM para enfermagem revela desvalorização.

Qual a parcela de culpa da Ericsson no terrorismo?

Multi sueca é processada por pagar propina no Iraque que teria chegado ao Estado Islâmico.

BC eleva juros, mas inflação segue disseminada

Remédio errado a partir de diagnóstico equivocado.

Últimas Notícias

Fiagros têm captação líquida satisfatória até junho

Esses fundos entraram em operação em agosto de 2021

Vendas financiadas de veículos leves e pesados crescem pouco

Em relação a julho de 2021, no entanto, queda é de 18,8%

Índices influenciaram o mercado nesta semana

Ibovespa encerrou nesta sexta-feira com alta de 2,33%

Petrobras informa sobre venda de direitos minerários de potássio

A Petrobras informa que iniciou a etapa de divulgação da oportunidade (teaser), referente à venda de seus direitos minerários para pesquisa e lavra de...

China aposta no controle da inflação este ano

BPC: condições favoráveis para manter os preços geralmente estáveis