Fim de uma certa história

Do secretário-executivo do Itamaraty, Samuel Pinheiro Guimarães, no seminário “As Alternativas para o Brasil Enfrentar a Crise”, organizado pelo MM com apoio de outras entidades, ao ironizar as previsões otimistas dos apóstolos da globalização: “Eram utopias. Nem todas utopias são boas. Também existem utopias malévolas, como a da globalização, que pregava o win-win, em que todos supostamente ganhavam”, observou o embaixador, que classificou a atual crise como “a maior manobra especulativa da história”.

Ao chinês desconhecido
Também presente ao seminário, o economista Dercio Munhoz salientou a importância da China para tirar o Brasil do crescimento médio pouco acima de 2% ao ano: “Existem países que gostam de colocar estátuas públicas para governos. Aqui, devíamos colocar estátuas para os chineses”, ironizou.

Anabolizado
Dercio, no entanto, advertiu para a inconsistência do crescimento brasileiro, baseado na elevação dos preços de commodities, que compensaram a sobrevalorização cambial: “Quando a economia se expande por conta do câmbio, o efeito distributivo interno é restrito, diferentemente de quando se cresce quando o câmbio está ajustado.”

Livre
Começa nesta segunda-feira, no Rio de Janeiro, o Congresso Internacional de Software Livre para o Setor Público. O evento, de dois dias, no Centro de Convenções da Bolsa do Rio (Praça XV de Novembro, 20 – Centro), contará com a participação de personalidades internacionais, como Jean Pierre Laisne, considerado o guru do software livre e responsável pela política européia para o setor; Timothy Ney, co-fundador do Linux Greenhouse; e Karl Rasche, engenheiro do estúdio cinematográfico Dreamworks.

Visão
Vantagens da tecnologia de processamento de imagens é um dos temas que serão abordados pelo empresário Moisés Pontremoli na palestra “Sistemas de Visão”, dia 11, das 9h às 13h, na sede da Abimaq (Av. Jabaquara, 2925, São Paulo – SP).

Globalizadas
Pela primeira vez, as Pioneiras Tecnológicas – grupo de empresas escolhidas pelo Fórum Econômico Mundial – incluem empresas da China, Gana, Nigéria e Chile, ao lado das tradicionais da América do Norte e Europa. Ao todo, o grupo de 2009 inclui empresas de 15 países: além dos citados, Áustria, Canadá, França, Alemanha, Japão, Índia, Holanda, Noruega, Suíça, Reino Unido e EUA. Não é nada, não é nada… vindo do Fórum, não é nada, mesmo.

Celular
Atualmente, 5% dos usuários de telefonia celular têm cadastro com alguma inconsistência. Essa falha, que facilita o comércio de aparelhos roubados, recebe pouca atenção das operadoras. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) promete acabar com o problema e deu um prazo de 120 dias para as empresas de telefonia. Será realizada uma campanha para estimular o registro de furto, roubo, perda ou extravio de celulares no Cadastro de Estações Móveis Impedidas (Cemi).

Marcos de Oliveira e Sérgio Souto

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Arrest them”
Próximo artigoDialogo, “no”

Artigos Relacionados

Montadoras não vieram; demissões, sim

Promessas de Doria e Bolsonaro para fábrica da Ford não passaram de conversa para gado dormir.

Ganhos de motoristas de app desabam

Renda média é de pouco mais de 1,5 salário mínimo.

Lei determina que estatais respeitem interesse público

Acionistas da Petrobras sabem que ela tem obrigações e bônus por ser de economia mista.

Últimas Notícias

Cana: safra começa com qualidade e produtividade inferiores à anterior

Indicadores de qualidade e produtividade em abril são negativos, mas clima pode contribuir para a recuperação.

Ford anuncia venda da fábrica de Taubaté

No ano passado, montadora anunciou o fim de suas atividades no país.

Títulos chineses detidos por instituições estrangeiras diminuem

Instituições estrangeiras diminuíram suas participações em títulos interbancários chineses, segundo um relatório divulgado pela sede do Banco Popular da China em Shanghai.

Operações financeiras de Shanghai estão estáveis apesar da epidemia

O centro financeiro da China, Shanghai, conseguiu manter suas operações financeiras estáveis apesar do recente ressurgimento da COVID-19.

Carga de energia aumentou 2,2% em abril ante 2021

ONS: Subsistema Sudeste/Centro-Oeste registra variação positiva de 4,8%.