Finalmente inovadores

Uma célula de combustível de baixo custo (MFC) que usa microrganismos do solo para recarregar um telefone celular; pequenas moléculas que se combinam para formar um composto tóxico que elimina especificamente apenas as células infectadas com HIV; uma maneira inovadora para decompor o dejeto humano e converter a energia em eletricidade e calor; um vaso sanitário sem água que sela o dejeto em um cartucho portátil envolto por um filme biodegradável, para digestão local anaeróbica; peletes de fertilizantes feitos de dejetos humanos tratados para ser vendido no mercado a fim de aumentar a produtividade agrícola na África Sub-Saariana. Estas são algumas das 88 pesquisas inovadoras que receberão US$ 100 mil cada da Fundação Bill & Melinda Gates.

Oportunidade alemã
Cerca de 1.200 empresas de capital alemão atuam no Brasil. Elas empregam 250 mil funcionários e são responsáveis por 10% do PIB industrial do país. Uma comitiva de 22 parlamentares da Baviera tem encontro marcado nesta sexta-feira, na Firjan, com autoridades, empresários e representantes de entidades para discutir as oportunidades de negócios da indústria do Estado do Rio. Promovido pela Câmara Brasil-Alemanha e pelo consulado, a comitiva tem uma série de encontros no Rio.
A Baviera é o segundo maior parceiro comercial do Brasil na Alemanha. Em 2010, o estado alemão exportou US$ 1,4 bilhão em produtos para o país e importou US$ 435 milhões em mercadorias brasileiras. A Baviera responde por 13,8% das exportações alemãs para o Brasil. Entre os grupos empresariais bávaros mais conhecidos estão Faber-Castell, MAN e Siemens, todos com unidades no Brasil.

Nano natural
A Nanox, empresa de soluções em nanotecnologia, desenvolveu um polímero que, ao ser incorporado a qualquer tipo de plástico, torna o produto antimicrobiano, bactericida, fungicida e acaricida. O Nanox Clean é próprio para contato com alimentos. Trata-se do primeiro inorgânico fabricado no país, desenvolvido com recursos do programa Subvenção da Finep, e que traz como benefícios o aumento do prazo de validade, reduzindo a necessidade de aditivos e conservantes inseridos diretamente no alimento, deixando-o mais natural.
Para o desenvolvimento deste projeto, a Nanox, recebeu investimentos do Fundo Novarum (Araújo Fontes + Jardim Botânico Investimentos), sendo a primeira empresa de nanotecnologia a receber este tipo de apoio.

Ícone
O Empire State Building celebrará seu 80º aniversário neste domingo.

Lenda jornalística
Ao optar por uma metodologia mais precisa sobre as contas previdenciárias, o Ministério da Previdência passou a divulgar, desde o fim do segundo Governo Lula, separadamente os números sobre aposentadorias urbanas e rurais. A mudança tem lógica irretocável. No primeiro caso, trata-se de uma relação entre contribuição ao INSS e recebimento de benefícios. No segundo, de uma contribuição social, determinada pela Constituição de 1988, visando a evitar que, após desgastados para o trabalho, camponeses que sequer tinham a carteira assinada continuassem largados à própria sorte. Caso típico de política social a ser assumida pelo Tesouro Nacional.
No entanto, quem leu os jornais de quinta-feira viu, em quase todos, a informação de que, em março, o “déficit” da Previdência caiu 56%, quando, conforme destacou o ministro Garibaldi Alves Filho, mês passado o setor teve superávit de R$ 1,1 bilhão no setor urbano, o terceiro saldo positivo consecutivo no ano. É a midia tupiniquim plagiando o personagem de O homem que matou o facínora, filme clássico de John Ford:  “Quando a lenda se torna mais forte do que a realidade, publica-se a lenda.”

Padrão
As promessas de tarifas mais baratas e melhora dos serviços dos aeroportos brasileiros que se seguiriam à privatização de aeroportos do país soam como tragicômicas para os brasileiros submetidos aos padrões dos concessionários de serviços públicos privatizados na área de transporte, como rodovias, ferrovias e metrô. Na quase totalidade dos casos, além de os investimentos serem subsidiados com dinheiro público, via BNDES, as tarifas são extorsivas e os serviços de péssima qualidade. Em alguns casos, os privatistas conseguem o que parecia impossível, como transformar o Metrô do Rio, orgulho dos cariocas, num serviço de qualidade inferior ao prestado pela Supervia.

Artigo anterior“They can”t”
Próximo artigoPrivilégio secular
Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Vacinas vendidas por até 24x o custo de produção

Aliança denuncia altos lucros dos laboratórios.

Energia rara e cara

Modelo equivocado colocou Brasil entre os campeões de tarifas elevadas.

União perde bilhões de dólares no petróleo

Lei isentou campo mais produtivo de pagamento de participações especiais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

DHL Express compra 12 aviões de carga elétricos da Eviation

Aeronaves formarão a primeira rede Express elétrica mundial.

Aprovada MP que simplifica abertura de empresas

Texto prevê a emissão automática, sem avaliação humana, de licenças e alvarás de funcionamento para atividades classificadas como de risco médio.

Auxílio impulsiona captação da poupança: R$ 6,37 bi em julho

Depósitos superam retiradas pelo quarto mês seguido.

Bahia e Sergipe exercerão direito de preferência em relação à Gaspetro

Privatização pode levar a monopólio de 2/3 do gás canalizado do país.

Câmara aprova projeto que privatiza os Correios

Nos EUA, ninguém pensa em abrir mão do serviço estatal.