Fintechs passam mega bancos no Pix após 33 milhões de cadastros

Pochmann: 'Na sequência do Pix, vem abertura financeira escancarada com o real digital e sua conversibilidade ao dólar'.

Mercado Financeiro / 00:00 - 16 de out de 2020

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

O Banco Central (BC) divulgou uma lista com as dez instituições financeiras que mais registraram chaves Pix até a última quarta-feira. Os cinco grandes bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander) estão atrás de fintechs como Nubank, que é o primeiro colocado, Mercado Pago e PagSeguro, na segunda e terceira posição, respectivamente.

Segundo os dados mais recentes do BC, até esta última quarta, foram quase 33,7 milhões de cadastros de chaves no novo sistema de pagamentos instantâneos. o Nubank lidera a quantidade de cadastros de chaves, com 8 milhões. Em seguida, aparecem Mercado Pago (4,7 milhões de chaves), PagSeguro (4,3 milhões), Bradesco (3,7 milhões), Caixa Econômica Federal (2,4 milhões), Banco do Brasil (2,1 milhões), Itaú (1,75 milhões), Santander (1,6 milhões) Pic Pay (1,1 milhão) e Inter (889 mil).

Apesar das expectativas com o novo sistema, os efeitos no mercado e a adesão por parte dos clientes só poderá ser avaliada de fato a partir da chegada do Pix. O panorama inicial divulgado pelo BC serve de parâmetro para entender como as instituições financeiras estão batalhando pelas chaves Pix, que se tornaram o principal instrumento de captação e manutenção de clientes no ecossistema Pix.

O economista Marcio Pochmann comentou no twitter que, com o Pix, BC concede +1 passo na via neocolonial a qual o Brasil já se encontra ao continuar seguindo o receituário neoliberal. Na sequência vem a abertura financeira escancarada com o real digital e a sua conversibilidade ao dólar. Condição perfeita ao protetorado dos EUA.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor