30.1 C
Rio de Janeiro
sexta-feira, janeiro 15, 2021

Firjan usa Mapa para atacar pré-sal

A Federação das Indústrias do Rio (Firjan) aproveitou a elaboração do “Panorama Naval no Rio de Janeiro 2016 – Mapa Naval” para atacar o modelo de exploração de petróleo, em benefício das multinacionais. Um dos pontos do estudo fala em “permitir que diversas empresas atuem como operadoras nas áreas licitadas no momento da partilha e revogar a participação mínima obrigatória do atual operador único nas áreas licitadas”, sem explicar em que isto poderia beneficiar o setor naval – ao contrário, foram as encomendas feitas e serviços contratados pela Petrobras que permitiram o espetacular renascimento de estaleiros e empresas de apoio. As petroleiras estrangeiras preferem contratar construção e serviços de seus parceiros no exterior, não só por questão de custos, relacionamento e estratégia empresarial, mas como forma de fugir ao controle de envio de recursos para fora.

Não à toa, um dos pontos destacados por Marcio Fortes, diretor de Relações Institucionais da Firjan, é a revisão de questões como a política de Conteúdo Local. O Mapa, apresentado na feira Marintec South America, traz cinco propostas e dez diretrizes para o desenvolvimento da indústria naval. “O objetivo é o de revisar os procedimentos de gestão no segmento naval para voltarmos a gerar empregos e renda”, afirma Marcio Fortes, que enfatizou que a retomada do crescimento da indústria naval passa pela identificação e valorização de seus diferenciais competitivos: “Temos que buscar a competitividade no mercado externo, saber em quais áreas é preciso investir mais tecnologias e como conseguir financiamento para exportar o produto brasileiro.” O Rio de Janeiro concentra 21 estaleiros de médio e grande porte e 40% dos complexos existentes no país

Arsenal

Apenas 3% dos norte-americanos adultos possui metade das 265 milhões de armas em poder da população, mostra sumário de estudo da Harvard/Northeastern publicado com exclusividade pelo jornal britânico The Guardian.

A pesquisa estima em 55 milhões o número de cidadãos com armas. Cerca de metade deles têm em média uma ou duas. Porém, 7,7 milhões têm entra oito e 140 armas.

Desde 1994, o armamento em poder do público cresceu cerca de 70 milhões, enquanto a percentagem de norte-americanos que o possuem caiu de 25% para 22%.

Credibilidade

Na visão dos empresários brasileiros, o sucesso do Programa de Concessões do Governo Temer dependerá da velocidade na recuperação da imagem e credibilidade do país no cenário interno e externo. Esta é a opção apontada por 64%, em pesquisa feita pela Câmara de Comércio Americana (Amcham), em São Paulo.

O ritmo da aprovação de financiamento (13%), licenciamento ambiental (13%) e realização de road show com investidores (9%) também são pontos cruciais da boa aceitação no mercado do principal programa do Governo Temer.

Há um problema, porém, não mostrado na pesquisa, mas que pode ser ouvido em conversas reservadas com estrangeiros: a crescente contestação ao governo traz o receio de que medidas adotadas por Temer venham a ser modificadas por um novo governo eleito. Manifestações como a desta segunda em Nova York (“Temer out”) só reforçam o risco.

 

Rota de colisão

Sindicalistas da Força Sindical e das demais centrais vão se reunir nesta terça, às 9h30, com representantes do governo no Palácio do Planalto para discutir a instalação e a formatação das câmaras setoriais para os setores metalúrgico, químico e da construção civil.

As câmaras são aceno do governo para reduzir as resistências do setor sindical às reformas que tiram direitos dos trabalhadores. Já o sindicalistas veem nelas uma oportunidade para alterar as mudanças.

Rápidas

A Escola de Negócios da PUC-Rio realiza em 5 de outubro, das 19h às 21h, a mesa redonda “Planejando 2017: as questões político-econômicas e a estratégia do negócio – desafios emergentes na gestão de Recursos Humanos”. O evento será mediado pela professora do MBA de RH e do curso de Formação em Recursos Humanos da Escola de Negócios da PUC-Rio, Eliane Leite, com participação do diretor de Recursos Humanos da Invepar, Julio Fonseca; do Superintendente de Planejamento, Gestão Estratégica e Sustentabilidade da Eletrobrás, Luiz Augusto Figueira; e do professor do Departamento de Economia e Decano do Centro de Ciências Sociais da PUC-Rio Luiz Roberto Cunha. Inscrições: comunicacao@iag.puc-rio.br ou (21) 2138 9201 *** A Campanha de Adoção de Animais, organizada em parceria com o Projeto Entre Pegadas, volta ao Carioca Shopping neste sábado. Para adotar um animal é necessário ser maior de 18 anos e levar original e cópia da identidade, do CPF e de um comprovante de residência *** Os médicos da rede municipal de Angra dos Reis (RJ) realizarão manifestação nesta terça-feira (20) para denunciar os problemas da saúde pública do município, que conta com equipes médicas reduzidas, falta de materiais e medicamentos e atrasos salariais.

Marcos de Oliveira
Diretor de Redação do Monitor Mercantil

Artigos Relacionados

Grande produtor rural não paga impostos

Agronegócio alia força política a interesses do mercado financeiro.

Não foi a disrupção que derrotou a Ford

Mercado de automóveis está mudando, mas montadora sucumbiu aos próprios erros e à estagnação que já dura 6 anos.

Quantas mortes pode-se debitar na conta de Bolsonaro?

Se índice de óbitos por Covid-19 no Brasil seguisse a média mundial, teriam sido poupadas 154 mil vidas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias

Realização de lucros em âmbito global

Bolsas europeias e os índices futuros de NY operam em baixa nesta manhã de sexta-feira.

Desaceleração deve vir no começo do primeiro trimestre

Novo pacote de estímulo fiscal, bem como o avanço da imunização, deve garantir reaceleração em direção ao final do período.

Vendas no varejo surpreenderam negativamente

Surpresa foi tanto no quesito restrito (-0,1%) e no quesito ampliado (+0,6%).

Freio de arrumação

Sabe quando o ônibus está lotado e o motorista pisa fundo no freio? Logo abre espaço para mais gente entrar.

Lewandowski assume tarefa do ministro da Saúde

Supremo quer saber dos estados estoque real de agulhas e seringas.