Física e química deverão ser opcionais no Ensino Médio do Rio em 2022

Professores e alunos discordaram da medida e pediram o adiamento ou a suspensão da reforma.

A partir de 2022, as matérias física, biologia e química deverão ser opcionais aos alunos do ensino médio do Estado do Rio de Janeiro. A alteração será feita pela Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), que irá implementar uma nova base curricular para os alunos do Ensino Médio. A medida, que atende à Lei Federal nº 13.415/2017 e cria uma Base Nacional Comum Curricular, foi debatida nesta quarta-feira, em audiência pública da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj). No encontro, professores e alunos discordaram da medida e pediram o adiamento ou a suspensão da reforma.

“Ouvimos todas as posições e ficou claro para a comissão que não foi realizado, pela Seeduc, um amplo debate do tema. Antecipo que a comissão vai propor que se repitam esses debates com todo o setor da educação, já que a secretaria alega que não pode adiar a medida que tem imposição Federal”, comentou o presidente da comissão, deputado Flávio Serafini (PSol). Ele também lembrou que desde o início da pandemia cerca de cinco mil professores saíram da rede e não houve reposição. “Antes de mudar o currículo é preciso solucionar problemas como esse”, alertou.

Em resposta, a subsecretária de Gestão de Ensino da Seeduc, Joilza Abreu, informou que foram realizados debates presenciais, híbridos e remotos, para analisar a Reforma Curricular. “Foram mais de 20 mil participantes, entre eles pais, alunos, professores e representantes dos sindicatos”, disse. Porém, o professor e representante do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação do Rio de Janeiro (Sepe), Matheus Mendes, alegou que não foi feito um debate acerca do assunto, apenas enviado às escolas uma consulta pública da reforma.

“Os meus alunos, por exemplo, não sabiam dessa mudança. Qual é o objetivo de uma consulta que começou a ser feita depois que o projeto já tinha sido estruturado? Não houve um debate. Além disso, há uma falta de transparência sobre os itinerários e a distribuição da carga horária”, disse Matheus que lembrou que o sindicato fez um abaixo assinado com mais de quatro mil assinaturas pedindo o cancelamento dessa medida.

Reforma Curricular

A reforma prevê uma ampliação da carga horária do estudante na escola e uma nova organização curricular. No novo modelo o ensino será dividido em dois grupos, o de formação geral básica, contemplando as disciplinas de português e matemática obrigatórias para todos os estudantes; e as disciplinas complementares que serão opcionais ao aluno, como física, biologia e química. Porém, independentemente da escolha, ele terá que completar 1.200 horas de aulas assistidas ao longo do ensino médio.

Segundo Joilza Abreu, a Seeduc está fazendo um estudo amplo e não tem a intenção de dispensar os professores ou aumentar a carga horária dos docentes. “Hoje temos sete grupos de trabalho formados e um deles vem pensando nas ofertas de componentes eletivos e outro trabalhando as atividades interculturais, por exemplo. Só depois de analisar todas as frentes vamos definir o currículo. Falou-se muito no aumento de carga horária e garanto que isso não vai acontecer. O que vai ocorrer é uma adequação das horas”, afirmou.

De acordo com a Seeduc, será um ensino integral, sem o horário integral.

Para o aluno Bruno Nunes, representante da Associação dos Estudantes Secundaristas do Estado do Rio de Janeiro (AERJ), ainda não é possível identificar o ponto positivo da reforma. “Sentimos que ela precisa ser mais discutida. Nesse momento ela está sendo imposta para que funcione. Ela já foi testada em outros tempos e também não deu certo. A única diferença é que ela vai aumentar a desigualdade do ensino entre os alunos ricos e pobres do estado, já que não teremos mais as matérias complementares como física e química, como obrigatórias, elas serão complementares, ou seja, de escolha do aluno cursar ou não. Não acredito que as escolas particulares vão deixar de lecionar essas disciplinas da forma tradicional”, considerou o estudante.

Leia também:

Comércio torce pelo frio para aumentar as vendas

9 COMENTÁRIOS

  1. Um absurdo essa reforma! Principalmente por saber que a Física e a Química são tão importantes para nos fazer entender a criação e evolução humana, incluindo a Biologia. A quem interessa essa reforma?
    Para a população um retrocesso!!!

  2. Olha a descontrução da ciências acontecendo em baixo dos panos!

    É isso aí Lourdes, quem são os verdadeiros interessados nessa reforma?

  3. E o Enem como fica? Vcs querem alunos burros? Analfabetos funcionais?
    Logo as matérias que criam interesse para o aluno de poder ser um médico, um engenheiro. São matérias específicas.
    Anteriormente isso não deu certo

  4. O Brasil se revelando um país formador de milhões de autômatos, com cada vez menos cidadãos autônomos, livres, empoderados. Educação na lata de lixo da história de uma nação que se recusa a sair do estado de Barbárie para entrar no mundo civilizado. Brasil com B de Bárbaros, Bizarros, Bitolados.

  5. É uma piada né?! Os alunos não sabem o básico, ai querem tornar as matérias da ciências opcionais, aí que o povo vai ficar burro mesmo! Esse de medida não deveria nem ser discutida!

  6. Aquilo que dá maior base fundamental para entender e comprender o nosso mundo cada vez mais tecnológico está sendo retirado talvez por critérios quê vão contra qualquer progresso e nível de conhecimento para todos de forma igualitária e uniforme. Deixando de lado essas matérias e transferido a responsabilidade ao aluno a fazer a escolha, sem o mesmo estiver preparado ou ciente da importância de tal decisão na escolha, fará abrir um maior desnível entre diferente classes de alunos. A proposta aprovada e querendo ser aplicada terá suas consequências nas próximas gerações com a separação de uma educação de qualidade de outra com limitações ou restrições a poder seguir qualquer carreira técnica ou tecnológica. Isso é querer entortar ainda mais a precária educação do ensino médio atual que deixaria de ser contemporâneo para regredir no ensino de qualidade que dê oportunidades a todos sem distinção.

  7. É um absurdo! O Brasil cada dia pior.Vejo jovens, querem ser cantor,jogador de futebol, cantar funk,agora não vejo incentivo para um bom matemático, físico,prof de Portugues.Agora querem retirar Química e Física, que país de bosta é esse nosso.!! Nem todos nasceram para dançar, jogar,”cantar”.Onde física e quimica deve ficar fora do curriculo.A maioria das coisa envolve fisica e quimica fala sério.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Importações sobem 60% e derrubam superávit

No ano, saldo é de US$ 54,52 bilhões, alta de 40%.

Direito de resposta – notícia sobre o Heliporto Farol de São Tomé

Por Louzival Mascarenhas Junior - INFRA OPERAÇÕES AEROPORTUÁRIAS FAROL DE SÃO TOMÉ.

Rio vacina adolescentes de 13 anos nesta semana

Nesta faixa de idade será aplicada exclusivamente a vacina da Pfizer; cidade também retoma vacinação com CoronaVac.

Últimas Notícias

Startup lança soluções para indústrias e pequenas e médias empresas

ReFact aposta em tecnologia própria inovadora para agilizar e unificar informações dos clientes no e-commerce.

Produção de cerveja retoma ao patamar de 2014: 14,1 bi de litros

Número de brasileiros que apreciaram uma cerveja em casa saltou para 68,6% em 2020, ante os 64,6% de 2019, de acordo com a Kantar.

Bem Brasil Alimentos acelera exportações de batatas pré-fritas

Indústria mineira realizou embarques para Bolívia, Uruguai e Estados Unidos e projeta quadruplicar o volume de vendas em 2021.

Vale cancela ações em tesouraria sem reduzir o valor do capital social

O Conselho de Administração da mineradora Vale aprovou o cancelamento de 152.016.372 ações ordinárias de emissão da companhia adquiridas em programas de recompra anteriores...