Fitch publica relatório sobre locadoras no Brasil

A Fitch Ratings publicou relatório especial sobre as expectativas e os desafios das locadoras de veículos no Brasil. O documento analisa as tendências que devem suportar um novo ciclo de crescimento no setor, as consequências do desequilíbrio temporário entre a oferta e a demanda por veículos e as projeções para os emissores cobertos pela agência.

Projeções atualizadas da Fitch para 2021 refletem um crescimento da frota total no fim de período de 25% a 50% menor do que o esperado no começo do ano, mas com tarifas e margens mais elevadas. Adequada rentabilidade e estruturas de capital menos pressionadas pelo crescimento trazem estabilidade para os ratings das empresas.

O desequilíbrio temporário entre a oferta e a demanda por veículos novos limitará o ritmo de crescimento da frota das empresas em 2021, mas permitirá o reposicionamento de tarifas e margens”, aponta Renato Mota, diretor da área de Corporates da Fitch e autor do relatório.

Dados do setor

De acordo com o Anuário da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), nacionalmente, o faturamento bruto anual do setor de locação de veículos atingiu R$ 17,6 bilhões em 2020, enquanto o faturamento líquido foi de R$ 15,3 bilhões. O número de locadoras subiu 2,23%, passando de 10.812 em 2019, para as atuais 11.053 empresas de locação de veículos ativas junto à Receita Federal, com automóveis e comerciais leves registrados junto aos órgãos competentes de trânsito.

Conforme o Anuário Abla, nacionalmente os emplacamentos feitos pelas locadoras em 2020 chegaram 360.567 novas unidades, que representam 20,63% de todos os automóveis e comerciais leves vendidos durante o ano pelas montadoras que atuam no Brasil. A frota total das locadoras (soma das compras de veículos realizadas em 2020 com os seminovos disponíveis para aluguel) é de 1.007.221 unidades no Brasil.

Em março, a Abla divulgou os resultados do Anuário Brasileiro de Locação de Veículos 2021. Segundo o balanço da Abla, a categoria turismo na locação de carros no último ano foi responsável por 34% do uso de veículos. O turismo de negócios ocupou 16% da demanda e a terceirização de serviços foi responsável por 56% das atividades.

Por conta da falta de peças, redução de turnos, fechamento de fábricas e até a paralização de atividades em decorrência do agravamento da pandemia de covid-19, 2020 terminou com aproximadamente 100 mil pedidos de veículos não entregues. A idade média da frota de locação passou de 14,9 meses para 19,6, no comparativo de 2019/2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 8,35%

Previsão é que taxa Selic suba para 8,25% ao ano até o fim de 2021.

CVM quer dispensar registro para investidor não residente

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) colocou em audiência pública esta semana uma proposta de alteração da Resolução CVM 13, que reúne as regras...

Ratings de empresas de saneamento não sofrerão impactos imediatos

A crise hídrica no Brasil terá reflexos em diversos segmentos da sociedade. Mas os ratings das empresas brasileiras de saneamento básico avaliadas pela agência de classificação...

Últimas Notícias

Jovem baixa-renda é mais requisitado para voltar a trabalho presencial

Quanto menor a renda familiar, maior o percentual; brasileiros de 18 a 25 anos somam 42% das contratações temporárias no primeiro semestre.

Formbook afetou mais de 5% das organizações

Capaz de capturar credenciais e registrar digitação de teclado, malware figurou em segundo lugar no ranking mensal do país.

Sauditas liberam exportação de carne de unidades de Minas

De acordo com o Ministério da Agricultura, autoridades do país suspenderam o bloqueio de cinco plantas de carne bovina mineira.

Comerciários do Rio têm aumento

Já em São Paulo, emprego no comércio registra a maior alta mensal desde novembro de 2020.

Evergrande e nova Guerra Fria

Semana passada já tinha sido de grande tensão, mesmo considerando a capitulação do presidente Bolsonaro em atacar o STF e o TSE.