Fluxo de consumidores aumentou 44% no Rio

Varejistas de shopping se beneficiaram: fluxo avançou 73,8%; em contrapartida, nas lojas de rua caiu, recuando -16,8%.

As pessoas seguem visitando mais suas lojas preferidas. O Índice de Performance do Varejo (IPV), organizado pel0 venture capital HiPartners Capital & Work em parceria com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), mostra aumento no fluxo de consumidores no comparativo mensal. Em relação a junho de 2021, a movimentação de clientes aumentou 18,6% nos shopping centers e 11,5% nas lojas físicas. Entre os estabelecimentos localizados exclusivamente nos centros de compras, o crescimento foi de 11,3%, enquanto que as lojas de rua subiram 5,5%.

O fluxo de consumidores no varejo brasileiro mantém a tendência de alta no comparativo mensal em julho de 2021. É o que mostra o levantamento realizado pelo IPV – Índices de Performance do Varejo, organizado pela venture capital HiPartners Capital & Work em parceria com a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC).

Os dados são provenientes das empresas FX Data Intelligence, plataforma de monitoramento da jornada do consumidor e da performance da operação em ambientes físicos; F360º, plataforma de gestão financeira para pequenos e médios varejistas; e Harmo, plataforma de feedback intelligence que integra gestão de reputação on-line de estabelecimentos físicos.

O estudo é chancelado pela 4Intelligence, empresa que desenvolve plataformas de inteligência para o mercado B2B e que também é responsável pela metodologia das análises, garantindo mais equilíbrio ao estudo e agregando outros índices para ratificar a sinergia com distintos benchmarks do mercado, como a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC).

Na comparação com junho de 2021, o fluxo de consumidores aumentou 18,6% nos shopping centers e 11,5% nas lojas físicas. Entre os estabelecimentos localizados exclusivamente nos centros de compras, o crescimento foi de 11,3%, enquanto as lojas de rua subiram 5,5%.

Em relação a julho de 2020, já em meio à pandemia, o movimento de pessoas em shopping centers cresceu 128,8% e o das lojas físicas, 20,3%. Varejistas cujas lojas estavam dentro dos centros de compra se beneficiaram, visto que o fluxo deste tipo de estabelecimento avançou 73,8%. Em contrapartida, o fluxo nas lojas de rua caiu, recuando -16,8%.

Outros dois fatores contribuem para a retomada do aumento de fluxo de consumidores. O primeiro deles é a própria mobilidade, com os brasileiros voltando a frequentar os estabelecimentos comerciais e o avanço da campanha de vacinação, que eleva a confiança em relação aos centros comerciais, o Reputation Rating Index (RRi) mostra aumento de 9,12 para 9,16 entre julho de 2020 e julho de 2021.

Já segundo o Indicador de Atividade do Comércio da Serasa Experian, as vendas do comércio físico cresceram 1,2% em julho deste ano na comparação com o mês anterior. De acordo com o estudo, o setor de tecidos, vestuário, calçados e acessórios impulsionou a alta com expansão de 10,5%, enquanto o segmento de veículos, motos e peças desacelera marcando a única queda do mês, de 1,8%. No comparativo entre julho deste ano e o mesmo mês de 2020, entretanto, o índice registrou aumento de 10,6%.

Leia também:

Índice Nacional de Custo da Construção varia 0,56% em agosto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigos Relacionados

População mais pobre está bastante pessimista em relação ao Brasil

Em contrapartida, segundo a Associação Comercial de São Paulo, classes AB e C mostram cada vez mais confiança na economia do país.

Saques extraordinários já somam 20% do patrimônio do FGTS

Para deputado, 'a nobreza do gasto não justifica o desvio do seu uso'.

XP amplia crescimento do PIB para este ano

Elevou a projeção de 0,8% para 1,6%

Últimas Notícias

Tunisianos investem em azeite orgânico para entrar no Brasil

Segundo executivo, Tunísia está em primeiro lugar no ranking global de azeites orgânicos.

População mais pobre está bastante pessimista em relação ao Brasil

Em contrapartida, segundo a Associação Comercial de São Paulo, classes AB e C mostram cada vez mais confiança na economia do país.

Saques extraordinários já somam 20% do patrimônio do FGTS

Para deputado, 'a nobreza do gasto não justifica o desvio do seu uso'.

Bolsas globais sobem após movimento do BC chinês

Corte de juros na China é um sinal positivo para Brasil, de modo que a Bolsa local possa acompanhar o bom humor global.

Leega lança solução de inteligência de dados marketing das empresas

Marketing Analytics combina arquitetura Cloud, engenharia de dados e machine learning.