Fluxo de veículos pesados em rodovias subiu 6,8% e de leves, 0,5%

Índice ABCR cresce 1,7% em junho; nos últimos 12 meses, índice acumula crescimento de 4,6%

80
Rodovia (Foto: ANTT)
Rodovia (Foto: ANTT)

Medido pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias, o Índice ABCR referente a junho de 2024 cresceu 1,7% no comparativo com maio, considerando a série livre de efeitos sazonais. O índice que mede o fluxo pedagiado de veículos nas estradas é construído pela associação juntamente com a Tendências Consultoria.

Mantida a comparação mensal dessazonalizada, o índice de fluxo pedagiado de veículos pesados subiu 6,8%, e em menor magnitude, o de veículos leves cresceu 0,5%.

Comparado ao mesmo período de 2023, o índice total avançou 4,3%, devido ao crescimento de 4,0% de leves e 5,2% de veículos pesados. Nos últimos 12 meses, o índice total acumula crescimento de 4,6%, fruto do aumento de 4,5% de veículos leves e 5,1% de pesados.

“Com esse resultado de junho, tanto o índice de veículos leves quanto o de veículos pesados atingiram o maior nível da série histórica. O crescimento dos veículos pesados ocorreu após queda intensa no mês anterior, mantendo a comparação dessazonalizada. Apesar da volatilidade na margem, o desempenho líquido tem sido positivo (2,0% no segundo trimestre de 2024), captando benefícios do crescimento dos setores que demandam transporte de cargas, especialmente o comércio de bens de consumo. Além disso, o fluxo continua sendo favorecido pelo setor agropecuário; embora as projeções indiquem uma desaceleração, espera-se que a produção de grãos deste ano seja a segunda maior da série histórica”, apontam os analistas da Tendências Consultoria, Thiago Xavier e Davi Gonçalves.

Espaço Publicitáriocnseg

O fluxo de veículos leves manteve crescimento pelo terceiro mês consecutivo. “O desempenho reflete influências positivas das concessões de crédito, que se encontram em níveis relativamente elevados, incentivando o consumo de viagens pelas famílias, além das condições aquecidas do mercado de trabalho, em termos de geração de vagas e renda. Contudo, é importante destacar que o aumento nas pressões inflacionárias e as incertezas do ambiente doméstico atuam como limitadores dos últimos resultados”, afirmam.

No Rio de Janeiro, o fluxo total mostrou aumento de 0,2% comparado a maio na série dessazonalizada. O resultado decorreu da elevação de 3,6% de pesados, a despeito da queda de 0,5% de leves.

Na comparação com junho de 2023, o índice total registrou alta de 3,1%. O resultado foi determinado pela alta de 2,5% de leves e 6,1% de pesados, mantida a métrica de comparação interanual.

Nos últimos 12 meses, o índice total acumula crescimento de 3,3%, fruto do aumento de 3,0% de veículos leves e 5,2% de pesados.

Em São Paulo, o fluxo pedagiado total de veículos registrou alta de 1,0% em junho, em termos dessazonalizados. O segmento de pesados apresentou alta de 3,2% e leves estabilizou (-0,1%).

Em relação ao mesmo período de 2023, o índice total aumentou 4,6%. O fluxo pedagiado de veículos leves cresceu 4,2% e veículos pesados mostrou alta de 5,6%.

Nos últimos 12 meses, o índice total acumula avanço de 4,9%, fruto do aumento de 4,8% de veículos leves e 5,5% de pesados.

Leia também:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui